Dia do Folclore!

Hoje é dia das crianças brincarem de Saci Pererê na escola! Hoje é dia da criançada voltar pra casa com máscara da cuca!

E porque? Porque!

Hoje é dia do Folcloreeeeeeeee!!!!!!!!!

2

O Folclore Brasileiro é muito divertido, recheado de lendas, mistérios e personagens fantásticos que ganham um nome diferente em cada canto desse Brasil de meu Deus!

Desde crianças ouvimos as lendas do folclore, ficamos com medo, achamos engraçado, repassamos as histórias, isso é cultura popular! Tem que repassar! De acordo com o site Educar Para Crescer, folclore ” é o conjunto de práticas, histórias, tradições e formas de pensar que pertence a um determinado povo, foi disseminado oralmente e resistiu ao tempo.” E como resistiu heim!

Com certeza você já leu e ouviu muitas vezes as lendas folclóricas, ficou com medo do Saci Pererê e da Mula sem cabeça, assustou os irmãos mais novos com a cuca, se fantasiou de Iara ou até mesmo já disseram que você é  filho do boto cor de rosa 😀

O folclore são mais que simples contos, pode não parecer mas ele serve como um ponto reflexão, como uma lição, como exemplo a Cuca, ela é um personagem que leva as crianças mal educadas, que não respeitam os pais (e eu acho que ela come as crianças tô preocupada ). Outro exemplo é o Curupira, o bichinho é danado mas ele protege a floresta dos que querem destruí-la.

Pra dar uma refrescada na memória e divertir, aqui vai um resuminho dos personagens! Se bem que são tão curtos que nem dá pra resumir né.

Negrinho do Pastoreiro:

250px-Negrinhodopastoreio

História triste essa viu, tinha medo dele… Reza a lenda que… brincadeira, eu sempre quis começar uma história assim..

Essa lenda é originário do Rio Grande do Sul.

“Conta a lenda que nos tempos da escravidão, havia um estancieiro malvado com negros e peões. Em um dia de inverno, fazia muito frio e o fazendeiro mandou que um menino negro de quatorze anos fosse pastorear cavalos e potros que acabara de comprar. No final do tarde, quando o menino voltou, o estancieiro disse que faltava um cavalo baio. Pegou o chicote e deu uma surra tão grande no menino que ele ficou sangrando. Disse o estancieiro: “Você vai me dar conta do baio, ou verá o que acontece”. Aflito, o menino foi à procura do animal. Em pouco tempo, achou o cavalo pastando. Laçou-o, mas a corda se partiu e o cavalo fugiu de novo.

De volta à estância, o estancieiro, ainda mais irritado, bateu novamente no menino e o amarrou nu, sobre um formigueiro. No dia seguinte, quando ele foi ver o estado de sua vítima, tomou um susto. O menino estava lá, mas de pé, com a pele lisa, sem nenhuma marca das chicotadas. Ao lado dele, a Virgem Nossa Senhora, e mais adiante o baio e os outros cavalos. O estancieiro se jogou no chão pedindo perdão, mas o negrinho nada respondeu. Apenas beijou a mão da Santa, montou no baio e partiu conduzindo a tropilha. A partir disso, entre os andarilhos, tropeiros, mascates e carreteiros da região, todos davam a notícia, de ter visto passar, como levada em pastoreio, uma tropilha de tordilhos, tocada por um Negrinho, montado em um cavalo baio. Desde então, quando qualquer cristão perdia uma coisa, fosse qualquer coisa, pela noite o Negrinho procurava e achava, mas só entregava a quem acendesse uma vela, cuja luz ele levava para pagar a do altar de sua madrinha, a Virgem, Nossa Senhora, que o livrou do cativeiro e deu-lhe uma tropilha, que ele conduz e pastoreia, sem ninguém ver.”

Boto Cor de Rosa

download (1)

Esse é um dos meus favoritos. Como assim um boto engravida a mulherada? Conta essa história direito heim…

Lenda originária do Norte do Brasil.

” Conta na Amazônia, que os botos do rio Amazonas fazem charme para as moças que vivem em vilas e cidades à beira-rio.
Eles as namoram e, depois, tornam-se os pais de seus filhos! No início da noite, o boto se transforma em um belo homem e sai das águas, muito bem vestido e de chapéu para esconder o buraco que todos os botos têm no alto da cabeça (o buraco serve para respirar o ar, já que os botos são mamíferos e têm pulmões, como você). O rapaz-boto vai aos bailes, dança, bebe, conversa e conquista uma moça bonita. Mas, antes do dia surgir, entra de novo na água do rio e se transforma de novo em um mamífero das águas.”

Curupira

images (1)

Ele me assusta também, é cada coisa que já ouvi a respeito dele…

 ” O Curupira gosta de sentar na sombra das mangueiras para comer os frutos. Lá fica entretido ao deliciar cada manga. Mas se percebe que é observado, logo sai correndo, e numa velocidade tão grande que a visão humana não consegue acompanhar. “Não adianta correr atrás de um Curupira”, dizem os caboclos, “porque não há quem o alcance”.
A função do curupira é proteger as árvores, plantas e animais das florestas. Seus alvos principais são os caçadores, lenhadores e pessoas que destroem as matas de forma predatória.
Para assustar os caçadores e lenhadores, o curupira emite sons e assovios agudos. Outra tática usada é a criação de imagens ilusórias e assustadoras para espantar os “inimigos das florestas”

Mula Sem Cabeça

mula

Esse nem é folclore, conheço várias

No começo do post eu disse que as lendas folclóricas serviam como lição né? Essa aqui é pras moças assanhadas rs.

Na minha cidade, dizem que em época de Quaresma costuma aparecer mula sem cabeça nas plantações, sei lá né…

” A mula é literalmente uma mula sem cabeça e que solta fogo pelo pescoço, local onde deveria estar sua cabeça, possui em seus cascos, ferraduras que são de prata ou de aço e apresentam coloração marrom ou preta.
Segundo alguns pesquisadores, apesar de ter origem desconhecida, a lenda fez parte da cultura da população que vivia sobre o domínio da Igreja Católica. Segundo a lenda, qualquer mulher que namorasse um padre seria transformada em um monstro, desta forma as mulheres deveriam ver os padres como uma espécie de “santo” e não como homem, se cometessem qualquer pecado com o pensamento em um padre, acabariam se transformando em mula sem cabeça. Segundo a lenda, o encanto somente pode ser quebrado se alguém tirar o freio de ferro que a mula sem cabeça carrega, assim surgirá uma mulher arrependida pelos seus “pecados”.”

Boitatá

images (2)

Eu começo a achar que tenho medo de todos os folclores.

Essa lenda é de  origem indígena e os índios sabem de tudo, então deve ser verdade 🙂

” O Boitatá é um Monstro com olhos de fogo, enormes, de dia é quase cego, à noite vê tudo.
Diz a lenda que o Boitatá era uma espécie de cobra e foi o único sobrevivente de um grande dilúvio que cobriu a terra. Para escapar ele entrou num buraco e lá ficou no escuro, assim, seus olhos cresceram. Desde então anda pelos campos em busca de restos de animais. Algumas vezes, assume a forma de uma cobra com os olhos flamejantes do tamanho de sua cabeça e persegue os viajantes noturnos.
Às vezes ele é visto como um facho cintilante de fogo correndo de um lado para outro da mata. No Nordeste do Brasil é chamado de “Cumadre Fulôzinha”. Para os índios ele é “Mbaê-Tata”, ou Coisa de Fogo, e mora no fundo dos rios.
Dizem ainda que ele é o espírito de gente ruim ou almas penadas, e por onde passa, vai tocando fogo nos campos. Outros dizem que ele protege as matas contra incêndios.”

Lobisomem

lobisomem2

Ah esse aqui já é manjado, nem me assusta mais.

” A figura do lobisomem é de um monstro que mistura formas humanas e de lobo. Segunda a lenda, quando uma mulher tem 7 filhas e o oitavo filho é homem, esse último filho será um Lobisomem.

Quando nasce, a criança é pálida, magra e possui as orelhas um pouco compridas. As formas de lobisomem aparecem a partir dos 13 anos de idade. Na primeira noite de terça ou sexta-feira após seu 13º aniversário, o garoto sai à noite e no silêncio da noite, se transforma pela primeira vez em lobisomem e uiva para a Lua, semelhante a um lobo.
Após a primeira transformação, em todas as noites de terça ou sexta-feira, o homem se transforma em lobisomem e passa a visitar 7 partes da região, 7 pátios de igreja, 7 vilas e 7 encruzilhadas. Por onde ele passa, açoita os cachorros e desliga todas as luzes que vê, além de uivar de forma aterrorizante.
Quando está quase amanhecendo, o lobisomem volta a ser homem. Segundo o folclore, para findar a situação de lobisomem, é necessário que alguém bata bem forte em sua cabeça. Algumas versões da história dizem que os monstros têm preferência por bebês não batizados, fazendo com que as famílias batizem suas crianças o mais rápido possível.”

Boi Bumbá/ Bumba meu boi

download (2)

Eu já comentei que ele me assusta também? Nossa quando eu vejo na tv aquele boi rodando, me dá um jeito ruim. Boi não dança.

Essa lenda é da região Nordeste do Brasil e até hoje é muito lembrada e valorizada. Segundo a história, em uma grande fazenda de criação de gados, um casal de escravos, Catirina e Francisco (também conhecidos como Mãe Catirina e Pai Francisco, em algumas regiões) passam por uma situação inusitada. Catirina está grávida e, certo dia, conta ao marido que está morrendo de desejo de comer língua de boi. O marido, sabendo que desejo de mulher grávida é uma ordem, busca uma solução. Francisco fica angustiado. Com tantos bois perto, nenhum pertencia a eles, são todos do patrão. O marido, pegou um  boi do patrão, o matou e cozinhou sua língua, saciando o desejo da esposa. O restante do boi, Francisco repartiu com os vizinhos, sobrando apenas o par de chifres e o rabo, que ninguém quis.

 Um dia o patrão notou a falta do boi e perguntou onde ele estava, o escravo que passava por ali, revoltado por não ter ganhado nenhuma peça de carne, deu com a língua nos dentes e contou que Francisco havia matado seu gado. Inconsolado, o amo caiu no choro. Francisco e Catirina, com medo da reação do patrão, fugiram para uma outra cidade. O amo não queria nem saber, só queria seu boi vivo de volta. Chamou rezadeiras, pagaram penitências, curandeiros também foram anunciados para tentar ressuscitar o boi, mas o rabo, os chifres e o esqueleto permaneciam no mesmo lugar.

A história do senhor que chorava por seu boi assassinado se alastrou pela região, chegando até a cidade para onde fugiram Catirina e Francisco. O casal, então, confessou que estava morrendo de arrependimento pelo crime cometido. O filho do casal, já grandinho, ouviu a história e pediu aos pais que o levassem até a fazenda.

 Chegaram então os três na propriedade. Mesmo com medo de receber algum tipo de castigo, o casal acompanhou o filho, que pegou o rabo do boi, espiou lá dentro e deu três sopros muito fortes. O boi, então, viveu e saiu chifrando quem tivesse pela frente. O amo não se aguentava de tanta alegria. Abraçava todos e até perdoou Catirina e Francisco.”

Saci Pererê

saci_perere_3Sempre que eu vejo um redomoinho eu acho que tem um Saci lá.

 “A principal característica do saci é a travessura, muito brincalhão ele se diverte com o animal e com as pessoas, muito moleque ele acaba causando transtornos como:  esconder objetos, jogar os dedais das costureiras em buracos, azedar o leite, quebrar a ponta das agulhas, esconde as tesourinhas de unha, embaraça os novelos de linha, faz o dedal das costureiras cair nos buracos. Bota moscas na sopa, queima o feijão que está no fogo, gora os ovos das ninhadas. Quando encontra um prego, vira ele de ponta pra riba para que espete o pé do primeiro que passa. Tudo que numa casa acontece de ruim é sempre arte do saci. Não contente com isso, também atormenta os cachorros, atropela as galinhas e persegue os cavalos no pasto, chupando o sangue deles. O saci não faz maldade grande, mas não há maldade pequenina que não faça.

Segundo a lenda, o Saci está nos redemoinhos de vento e pode ser capturado jogando uma peneira sobre os redemoinhos.
Após a captura, deve-se retirar o capuz da criatura para garantir sua obediência e prendê-lo em uma garrafa.”

Cuca

5319090ba7cb0-lenda-da-cucaEssa aqui, tem quem diz que é uma velha com saco que pega as crianças, outros dizem que é uma jacaré…I Don´t Care.. Só sei que alguém vem te buscar se você não obedecer! Podia pegar adulto também. Só acho.

” Diz a lenda, que a Cuca rouba as crianças que desobedecem a seus pais. A Cuca dorme uma noite a cada 7 anos, e quando fica brava dá um berro que dá pra ouvir à 10 léguas de distância. Pelo fato da Cuca praticamente não dormir, alguns adultos tentam amedrontar as crianças que resistem dormir, dizendo que se elas não dormirem, a Cuca irá pegá-las.”

Iara

iara

Ahh finalmente um que eu acho legal.

” De acordo com a lenda, Iara era uma linda sereia, com cabelos longos e negros de origem indígena, tendo a metade do corpo de mulher (da cintura para cima), e a outra metade do corpo de sereia. Costuma ficar na beira dos rios no Norte do País, e atrair homens com seu belo canto. Os homens que se apaixonam por Iara seguem-na até as profundezas do rio onde de lá não retornam mais e os poucos que retornam acabam ficando malucos em função dos encantos da mãe das águas. A única maneira de se livrar do feitiço de Iara é um ritual realizado por um pajé.

Segundo a lenda, Iara era uma índia guerreira, a melhor da tribo e recebia muitos elogios do seu pai que era pajé.
Os irmãos de Iara tinham muita inveja, resolveram matá-la à noite enquanto dormia. Iara que possuía um ouvido bastante aguçado, os escutou e os matou.
Com medo da reação de seu pai, Iara fugiu. Seu pai, o pajé da tribo, realizou uma busca implacável e conseguiu encontrá-la, como punição pelas mortes a jogou no encontro dos Rios Negro e Solimões, alguns peixes levaram a moça até a superfície e a transformaram em uma linda sereia.”

Vitória Regia

250px-Lenda_da_Vitoria_Regia

E por última a minha favorita. Uma lenda apaixonada..Ownnnnn

” Diz a lenda que a Lua era um deus que namorava as mais lindas jovens índias e sempre que se escondia, escolhia e levava algumas moças consigo. Em uma aldeia indígena, havia uma linda jovem, a guerreira Naiá, que sonhava com a Lua e mal podia esperar o dia em que o deus iria chamá-la.

Os índios mais experientes alertavam Naiá dizendo que quando a Lua levava uma moça, essa jovem deixava a forma humana e virava uma estrela no céu. No entanto a jovem não se importava, já que era apaixonada pela Lua. Essa paixão virou obsessão em um momento onde Naiá não mais queria comer nem beber nada, só admirar a Lua.Numa noite em que o luar estava muito bonito, a moça chegou à beira de um lago, viu a lua refletida no meio das águas e acreditou que o deus havia descido do céu para se banhar ali. Assim, a moça se atirou no lago em direção à imagem da Lua. Quando percebeu que aquilo fora uma ilusão, tentou voltar, porém não conseguiu e morreu afogada.Comovido pela situação, o deus Lua resolveu transformar a jovem em uma estrela diferente de todas as outras: uma estrela das águas – Vitória-régia. Por esse motivo, as flores perfumadas e brancas dessa planta só abrem no período da noite.”

separador-lápiz-3

E você, qual seu personagem do folclore favorito?

Até a próxima!

 Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

 

 

 

 

 

ps: eu esqueci o site onde fiz a consulta das lendas..foi mal!

Anúncios

6 comentários sobre “Dia do Folclore!

    • Ana Buranello disse:

      Oi Ingrid!
      Que bom que você gostou! 🙂
      Agora sendo um pouco chata, aconselho você a usar essa postagem como base para o seu trabalho, é importante que você consiga assimilar e usar suas palavras ok?!
      Obrigada pela visita! E depois me conta sua nota! 😀

      Curtir

    • Ana Buranello disse:

      Ah obrigada! Fico toda boba quando alguém elogia o blog rs…Se eu pudesse passaria o dia todo aqui e conhecendo blogs novos rs
      Ah essa postagem do folclore faz um sucesso por aqui, foi bem divertido escrever ela e me ajudou a lembrar também!
      Muito obrigada pela visita!

      Curtido por 1 pessoa

Conte o que você achou!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s