Resenha: O Limiar, David Baldacci

O_LIMIAR__1422301329433275SK1422301329B

Autor: David Baldacci      Editora: Gutenberg                    Páginas: 368             Ano: 2014                                                  Capa feia né?

Classificação 4 ⭐️ 🚍

Á venda l Submarino l Americanas  

Sinopse:

Vega Jane nunca saiu do vilarejo de Artemísia. Nem ela e nem ninguém. Isso jamais aconteceu porque ir além dos limites daquele lugar não é algo permitido. Até que um dia Quentin Herms, seu mestre e amigo, ultrapassa o limiar da cidade e desaparece rumo ao desconhecido e escuro Pântano, onde, segundo dizem, só há perigos, abismos e criaturas assustadoras com sede de sangue. A fuga não é simples. Ele é violentamente caçado, mas deixa para trás uma trilha de pistas para a jovem: um mapa e um anel, que podem levá-la a descobrir o que há além do limiar de Artemísia, mas que ela deverá ocultar, sob pena de ser acusada de cumplicidade. Cada passo seu torna-se arriscado, e aos poucos ela percebe que aquele lugar e a vida que ela conheceu até então foram construídos sobre mentiras, capazes de fazer poderosos matarem para manter seus segredos. Mas Vega Jane se vê disposta a lutar pela liberdade, mesmo que a descoberta da verdade custe sua própria vida. 

“Mas, independentemente do que acontecesse, eu deixaria aquele lugar. Pois tinha descoberto que havia muitas coisas em Artemísia, só que a verdade não era uma delas. E eu precisava da verdade. Não me restava mais nada.”

Adorei a história! Na verdade eu já tinha adorado o livro antes dele chegar. A editora me enviou um mês antes um mapa do vilarejo do livro e uma carta de Quentin Hermes, personagem do livro, dizendo que ele fugiu e deixou um mapa mostrando como eu poderia fugir também. Gente, viajei na ficção.  E amei o nome da protagonista: Vega Jane! Sério, é um nome muito legal, não é?

Vega Jane deve ser prima da Katniss Everdeen. Sem brincadeira! As duas são personagens fortes e decididas e a-d-o-r-o personagens assim!

O mais incrível é a Vega ter 14 anos, mas a determinação, a forma dela encarar as pessoas e de não levar desaforo pra casa,  não são atitudes de uma menina tão nova! As vezes eu até ficava assustada com a coragem dela.

vocabulário de artemísia

Um pedacinho do vocabulário deles!

O começo da história pode ser um pouco confuso por que o autor criou um linguajar próprio para o vilarejo. Tanto que as primeiras páginas é um dicionário para o leitor ir se familiarizando. Por exemplo, eles não falam ” tantos anos” e sim, “fulano tem 14 ciclos de idade” ou ” eu o conheço a 20 ciclos”. O tempo não é contado em horas e sim em átimos, como ” foi necessário 30 átimos de espera”, ” cheguei 3 átimos atrasada”. Estranho né? Mas piora hahahah

“- Você faz muitas perguntas – disse Cletus irritado
– É porque tenho poucas respostas. – respondi”
” Fidus segurou minha mão entre os dedos esqueléticos e carimbou a pele. Eu não sabia para que servia aquele carimbo. Não fazia o menor sentido, e coisas que não faziam sentido me deixavam infinitamente intrigada. ” 

Bom, na história conhecemos o vilarejo de Artemísia, os moradores nunca saíram da cidade pois ela é cercada por um pântano, e nesse pântano existem criaturas, ou melhor, aberrações que adoram comer uma carne humana. Como ninguém nunca saiu, ninguém nunca entrou também, então os moradores (ou wugs, como são chamados) acreditam que não existe vida fora do vilarejo e nem pensam em sair de lá. Até por que aqueles que são pegos tentando fugir são presos e condenados a morte.

mapa de artemísia

Mapa do Vilarejo

Bom, nem todos. Quentin Hermes conseguiu fugir! Mas antes de fugir deixou um mapa com Vega dando instruções de como escapar de lá! E a partir do momento que Vega tem acesso ao mapa, várias coisas começam a acontecer, segredos começam a ser revelados e sem brincadeira, é tanta coisa que não tem como tentar explicar. É uma mistura de situações mágicas e reais que o leitor fica confuso pensando se tal coisa é possível ou não, já que no vilarejo as pessoas desconhecem magia, mas acontecem coisas que para eles são normais, e que no nosso mundo seria considerado bruxaria rs. Entenderam? 😳 😎

” Contudo, demorou poucos átimos para eu perceber que minha visão tinha sido perfeita. E minha vida em Artemísia, até onde eu poderia dizer que tinha uma, jamais seria a mesma.”

Estou ansiosa pela continuação!

Recomendo o livro para todos que gostam de ação, aventura, magia e ficção juvenil! 

Depois me digam o que acharam!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana

Anúncios

10 comentários sobre “Resenha: O Limiar, David Baldacci

  1. danielavieira89 disse:

    Oii Ana! Achei legal o autor ter colocado o dicionário no começo do livro e não no final. Menina, vários livros que eu li, tinha o dicionário só no final… E tipo… passava o livro todo tentando adivinhar o que significava tal coisa e ia no chute mesmo hahaha

    Curtido por 1 pessoa

  2. Berma disse:

    Oiii Ana…
    Gostei da resenha, ainda mais pela comparação da protagonista com a Kat!! Me lembrou um pouco aquele filme “A Vila”, lembra? Mas claro que deve ser melhor, pelo fato da magia que você comentou e de todo o suspense… Vou colocar na lista!!! 😉

    Curtido por 1 pessoa

Conte o que você achou!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s