Resenha: Sushi, Marian Keyes

sushi

Autor: Marian Keyes    Editora: Bertrand Brasil Páginas: 574             Ano:  2009

Classificação 3/5 ⭐️ 🚍

Á venda l Submarino l Americanas

Sinopse:

“Sushi” é um livro sobre a busca da felicidade. E ensina que, quando você deixa as coisas ferverem sob a superfície por tempo demais, cedo ou tarde elas acabam transbordando. Perspicaz, engraçado e humano, este romance de Marian Keyes consolida sua posição como a mais popular jovem autora da Grã- Bretanha. Lisa Edwards, a durona e sofisticada editora de revistas, acha que sua vida acabou, quando descobre que seu novo emprego “fabuloso” não passa de uma ordem de deportação para a Irlanda, com a missão de lançar a revista Garota. Ashling Kennedy, a editora assistente da Garota, também tem seus problemas. É a Rainha da Ansiedade, e não é de hoje que sente que algo não está cem por cento na sua vida. E não só porque o que lhe sobra são bolsas, falta em cintura e namorado – mas porque, no fundo, no fundo, falta algo mais, como aquele pontinho minúsculo que fica na tela quando a gente desliga a TV à noite. Conhecida como “Princesa”, a vida sempre deu a Clodagh tudo que queria (e por que haveria de ser diferente, quando se é a garota mais bonita da turma?). Ao lado de seu príncipe e dois filhinhos encantadores, ela vive um conto de fadas doméstico em seu castelo. Mas então, por que será que nos últimos tempos anda sentindo vontade – e não pela primeira vez – de beijar um sapo? (Abrindo o jogo: de dormir com um sapo). Mais um sucesso de Marian Keyes, que vem divertindo milhares de leitores no mundo todo.

“Chegar ao fim do dia, até onde Clodagh se lembrava. O trabalho consistia basicamente (e isso valia para todas as garotas com quem trabalhava) em entrar, suspender a vida real durante oito horas e dedicar todas as suas forças a aguentar a espera.”

Essa é a história de Sushi. Não é um livro sobre comida oriental, como todo mundo ficou me perguntando, e eu fiquei curiosa sobre o porquê do nome. Também não é um livro com uma grande história, mas é divertido e com romance.

Conta história de três mulheres, cada uma com sua peculiaridade, idade, medo, desejos e claro, romances, que no decorrer da história se encontram de forma muito original. Lisa é uma mulher linda e inteligente, que está acostumada com a agitação de uma cidade grande, decidiu ter uma carreira de sucesso e abdicou de ser mãe. Sua vida muda drasticamente quando é transferida de Londres para Dublin, e é interessante ir descobrindo como isso vai se desenrolando. E confesso que fiquei tentada a fazer sua dieta do alfabeto, alguém já tentou?

” – As revelações são como os ônibus, não são? – perguntou maravilhada. – Não passa nenhuma durante horas e, de repente, passam três de uma vez.”

Do outro lado temos Ashling e Clodagh. A primeira com problemas de relacionamento e a segunda casada e com dois filhos, e aquele ditado de ‘a grama do vizinho é sempre mais verde’ define bem a relação das duas.

Ashling é insegura e supersticiosa, alguém realmente precavida que carrega em sua bolsa até um kit de primeiros socorros. Clodagh não está satisfeita com sua vida de dona de casa, mas nem sabe por onde começar, pois a única coisa que sabe fazer é ser esposa e mãe. Elas são amigas desde os tempos de escola, mas acontece algo que abala essa amizade.

“Meio sem jeito, ele apanhou o chuveirinho sibilante e, a título de experiência, arriscou passar um jato sobre a cabela de Ashling. Seu cabelo castanho tornou-se no ato uma massa negra.”

É isso, não é um livro que causa grande impacto, mas é ótimo para passar o tempo.

Até a próxima!

assinatura nova tábata

Anúncios

13 comentários sobre “Resenha: Sushi, Marian Keyes

  1. Cíntia Bená disse:

    Eu sou até suspeita de falar, porque adoro a Marian, e com Sushi não foi diferente…nesse caso específico, tive que comprar o livro duas vezes…ando sempre com um livro na bolsa, porque nunca se sabe quando teremos um tempinho livre para ler…rsrsrs…e, um dia, indo pro trabalho, fui assaltada e levaram minha bolsa…com meu Sushi dentro!!!! E, como não consigo começar um livro sem ter terminado a leitura de outro, a primeira coisa que tive que fazer foi providenciar outro, antes mesmo que ir atrás de refazer meus documentos…rs

    Curtido por 1 pessoa

Conte o que você achou!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s