Resenha: O Iluminado, Stephen King

O Iluminado

Autor: Stephen King       Editora: Suma das Letras Páginas: 463                Ano: 2012

Classificação 5 ⭐️ 🚍

Á venda l Submarino l Americanas

Sinopse:

Danny Torrance não é um menino comum. É capaz de ouvir pensamentos e transportar-se no tempo. Danny é iluminado. Será uma maldição ou uma bênção? A resposta pode estar guardada na imponência assustadora do hotel Overlook.
Em O iluminado, quando Jack Torrance consegue o emprego de zelador no velho hotel, todos os problemas da família parecem estar solucionados. Não mais o desemprego e as noites de bebedeiras. Não mais o sofrimento da esposa, Wendy. Tranquilidade e ar puro para o pequeno Danny livrar-se das convulsões que assustam a família.  Só que o Overlook não é um hotel comum. O tempo esqueceu-se de enterrar velhos ódios e de cicatrizar antigas feridas, e espíritos malignos ainda residem nos corredores. O hotel é uma chaga aberta de ressentimento e desejo de vingança. É uma sentença de morte. E somente os poderes de Danny podem fazer frente à disseminação do mal.

Escrever resenhas sobre livros de horror é sempre um desafio, pois vários elementos, tais como o suspense e a surpresa, devem permanecer como uma constante intacta. O Iluminado, apesar de sua idade, ainda vem causando espanto até hoje, e com sua elegância tem atraído todo tipo de pessoa. A história de Jack Torrance se mostrou imensurável.

Jack Torrance é um pai de família frustrado profissionalmente e emocionalmente. Desde sempre tivera problemas com álcool, o que contribuiu para tornar sua personalidade agressiva. Esse problema tem raízes bem antigas, a julgar pela personalidade também agressiva de seu pai Mark. Ele o maltratava e agredia sua mãe e seus três irmãos: Mike, Becky e Brett. Os conflitos familiares com certeza foi uma ponte até o álcool.

Não obstante, quando Jack se casou, trouxe seu vício para dentro de sua casa. Certa vez por puro descontrole quebrara o braço de seu filho Danny quando ele tinha três anos por ter sujado de cerveja uns papéis de seu trabalho como escritor. Externou arrependimento depois; claro que estava arrependido.

O livro começa na expectativa de Jack se sair bem em uma entrevista de emprego para trabalhar como zelador durante a temporada de inverno no Hotel Overlook em Denver, Colorado. O homem não parava em trabalho algum; sempre havia algo que o afastava, como por exemplo, ter agredido um colega de trabalho no seu último emprego. Apesar de tudo, sua esposa Winnifred, ou simplesmente Wendy, não o abandonava.

“Nunca imaginara que pudesse haver tanta dor numa vida, quando não há nada fisicamente errado”.

Danny, agora com 5 anos, expressa certo medo em ter que ir para o Overlook, pois seu amigo imaginário Tony o mostrava coisas terríveis. O rapazinho tinha um dom do destino que o permitia ler e conversar por pensamentos e ter premonições. Ao chegarem no hotel, o mesmo já estava se esvaziando. Conhecem Dick, o cozinheiro, e Danny logo percebe que este era iluminado também.

o iluminado2

Os três são aparentemente uma família que está feliz e que passam por problemas como qualquer outra, mas até então podemos perceber que Jack está se esforçando e se sente grato pelo apoio de Wendy e o amor de seu filho. Para Danny, o pai era incrível. O garoto amava sua mãe, mas aquele seu pai o fascinava, tinha um amor indescritível.

Com o passar dos dias, Danny começa a perceber que algo de muito estranho habita naquele hotel. E é aqui que as coisas ficam difíceis. Ele vê coisas que na verdade não estão lá. Assim também Jack, que não só começa as ver, como também as sente. O sobrenatural do hotel começa a agir, dando início a um fim magistral.

“Este lugar desumano cria monstros humanos. Este lugar desumano”.

O medo toma conta de Wendy quando se dá conta de que algo terrível está por vir ao ver seu marido mais descontrolado. Apesar dos protestos de Danny ao culpar o hotel, a mulher não acredita. Só se dar por convencida quando já era tarde demais.

“A pior coisa, não mencionada, vaporosa e não mencionada, talvez até imencionável, era que todos os sintomas de alcoolismo de Jack estavam de volta, um por um… todos, menos a própria bebida”.

O Iluminado até hoje conquista as pessoas pelo seu modo único de andamento e pela história proposta.

O Iluminado“O taco atingiu a porta do banheiro, derrubando um enorme pedaço do compensado fino. Metade de um rosto louco e determinado a encarou. A boca, faces e garganta estavam cobertas de sangue, o único olho que conseguiu ver estava miúdo e brilhante”.

Obs: O Hotel Overlook realmente existe, mas seu nome é The Stanley Hotel. É situado a 333 Wonderview Avenue, Estes Park CO 80517, EUA.

SOBRE O FILME DE 1980

Fato que achei muito erroneamente apresentado na adaptação cinematográfica de 1980 dirigido por Stanley Kubrick foi que Jack Torrance (Jack Nicholson) parece não demonstrar a evolução do personagem entre o antes de ir para o hotel, e o depois quando se muda, é quando começa a desenvolver uma presença psicótica, maníaca. Tem uma cena no filme em que os três (Jack, Wendy e Danny) estão na estrada antes mesmo de chegar no Overlook e Jack externa falta de entusiasmo e paciência, desânimo, tédio, aborrecimento. Ao que tudo indica, o diretor quis passar para nós que Jack era doido e sua esposa ingênua demais para perceber, vulgarmente falando. Ou seja, o filme não apresenta sequer um momento de carinho sincero como apresentou no livro.

“- Lisonja – respondeu Wendy – é quando seu pai diz que gosta de minhas novas calças amarelas, mesmo não gostando, ou então quando diz que não preciso perder uns quilinhos.
– Já sei. Uma mentirinha de brincadeira?
– Alguma coisa bem parecido com isso.
O menino estivera olhando Wendy de perto e então disse:
– Você é muito bonita, mamãe. – E franziu as sobrancelhas confuso, quando os pais se entreolharam e explodiram numa gargalhada”.

Uma outra curiosidade sobre o filme é que no livro o autor relata algo que aconteceu exatamente no filme: Nos últimos capítulos, quando Wendy carrega Jack para o trancar na dispensa, o ferrolho não abria, foi aí que ela percebeu que a lingueta estava presa na tranca. Também há outra cena fiel ao livro de um camarada vestindo uma fantasia de cachorro.

Espero que essa resenha tenha aguçado a curiosidade de vocês. Ressalvo que este é meu ponto de vista, assim, abro um caminho para que vocês sintam-se a vontade e comentem quando e o que quiserem, pois a opinião de todos é valida!

Obrigada pela leitura!

assinatura luiza

Anúncios

7 comentários sobre “Resenha: O Iluminado, Stephen King

Conte o que você achou!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s