Resenha: Desejo concedido, Megan Maxwell

desejo-concedido-megan

   Autor: Megan Maxwell – Editora: Essência          Ano: 2016 – Páginas: 464

Classificação 3/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino l Americanas

Sinopse:

Na Inglaterra do século XIV, após a morte dos pais, a jovem lady Megan Phillips, de vinte anos, segue uma vida tranquila, focada na educação e na criação de seus dois irmãos mais novos. Para fugir de um casamento arranjado por sua tia, Megan e a irmã, Shelma, vão para o castelo de Dunstaffnage, na Escócia, onde vive seu avô Angus de Atholl, do clã McDougall. Anos depois, durante o casamento de um de seus primos, Megan – uma mulher aguerrida, pronta a empunhar uma espada pra defender sua família e que não se dobra por nada e nem por ninguém –, conhece o temido guerreiro de olhos verdes Duncan McRae – um homem acostumado a liderar exércitos, mas que nunca esteve preparado para enfrentar o gênio forte de uma mulher. O destino trama contra (ou a favor de) Megan, que, contra a sua vontade, acaba se casando com Duncan. Conseguirão os dois se entender e seguir a vida como um casal feliz? Ou viverão às turras, como se estivessem num campo de batalha?

” – É uma cabeça dura, mulher! – reclamou ele, franzindo a testa.
– Por todos os santos celtas! – bufou Megan – Quantas vezes tenho que dizer que não, senhor?
– Até que diga sim – respondeu ele, divertindo-se com aquela conversa.”

Esse livro faz parte das minhas coleções: ‘ vou dar oportunidade‘  e ‘ ainda bem que dei oportunidade‘ hahhaha

Desejo concedido é uma leitura leve e sexy. É muito interessante conhecer os costumes dos cavalheiros, a forma que as mulheres eram tratadas, a vida nos castelos…e no meio de tudo isso, momentos tórridos de paixão ( sempre quis falar ‘ tórridos de paixão’ rs) e descritos de formas bem explicitas. 

O livro conta a história de Lady Megan e de sua irmã Lady Shelma duas irmãs orfãs, filhas de pai inglês e mãe escocesa. Por causa dessa descendencia, elas são consideradas sujas, já que os dois países vivem em guerra e odeiam com força seus oponentes.  A fim de conseguir dinheiro e expulsar as meninas de casa, sua tia arma um casamento com dois ingleses nojentos e num momento de desespero elas fogem para a Irlanda, pedir refúgio para Angus, o avó delas do Clã McDougall. 

Vivendo uma vida bem simples, sem o luxo que tinham na Inglaterra, elas continuam sofrendo o mesmo preconceito, mas dessa vez por terem um pai inglês. Por conta disso elas aprendem a se defender, elas sabem lutar, andar a cavalo como os homens ( que é o jeito que todo mundo anda hoje em dia, uma perna de cada lado), batem boca e saem nos tapas sem rodeios rs

Quando o primo delas se casa, uma grande festa é realizada e os highlanders são convidados para o casamento. Como uma boa festa de casamento deve ser, alguns convidados se interessam por outros…Lorde Duncan McRae ( lindo, alto, forte), que lidera o exército de highlanders fica super interessado em Megan, mas nada acontece porque Megan não vai se deitar com um highlander com fama de mulherengo.

” – Falcão! Isto que eu ouço é o seu coração disparado por essa moça bonita?

– O que está dizendo? – disfarçou ele – Meu coração só bate desenfreado quando estou combatendo. Não se esqueça.”

Meses depois acontece uma reviravolta na história. Duncan e Megan precisam se casar, assim como Shelma e Lolach, outro highlander. É um choque de personalidade esses casais, já que Megan e Shelma foram criadas para se defender e tem comportamentos nada comuns para damas. Já Duncan e Lolach são guerreiros que não estão acostumados a receber ordens ou respostas atravessadas…Bom gente, dá pra imaginar o inferno que é né rs…mas é daquelas, brigam e vão pra cama hahaha

” – Porque preciso saber o que se sente quando se beija a pessoa que mais se deseja no mundo. Sei que você e eu nunca poderemos ficar juntos. E imagino que Axel um dia encontrará um marido para mim, e o terei que beijar. Mas seu beijo será aquele que quero recordar por toda a vida.”

E então, outra reviravolta! Mas agora fica o suspense.

Muitos personagens merecem uma surra, ou pelo menos um soco no nariz.  Gente é muita infantilidade, não dá pra entender. Mas em compensação é um romance divertido de ler, tem aquela pegada dramalhão mexicano, e como eu já disse, cenas de sexo descritas com precisão.

” – Nunca mais faça isso. Eu lhe ordeno – sussurrou ele, com tanta doçura que parecia qualquer coisa menos uma ordem.

– Não me dê ordens – sorriu ela ao escutá-lo -, ou sua vida será um inferno, Falcão.”

Eu recomendo a leitura, é boa para passar o tempo. 

E vocês, tem alguma opinião sobre o livro? 

Até a próxima!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys