Resenha: Anexos, Raibow Rowell

anexos

Autor: Rainbow Rowell – Editora: Novo Século Páginas: 368 – Ano: 2014

Classificação 4/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino lAmericanas

Sinopse:

Beth Fremont e Jennifer Scribner-Snyder sabem que alguém está monitorando seus e-mails de trabalho. (Todo mundo na redação sabe. É política da empresa.) Mas elas não conseguem levar isso tão a sério, e continuam trocando e-mails intermináveis e infinitamente hilariantes, discutindo cada aspecto de suas vidas.
Enquanto isso, Lincoln O’Neill não consegue acreditar que este é agora o seu trabalho ler os e-mails de outras pessoas. Quando ele se candidatou para ser agente de segurança da internet, se imaginou construindo firewalls e desmascarando hackers e não escrevendo um relatório toda vez que uma mensagem esportiva vinha acompanhada de uma piada suja. Quando Lincoln se depara com as mensagens de Beth e Jennifer, ele sabe que deveria denunciá-las. Mas ele não consegue deixar de se divertir e se cativar por suas histórias. No momento em que Lincoln percebe que está se apaixonando por Beth, é tarde demais para se apresentar. Afinal, o que ele diria…?

Antes da resenha quero agradecer a Luiza aqui do blog, que me presenteou com esse livro! Muito obrigada! Foi uns dos melhores presentes de aniversário!

” Eu não quero amar tanto alguém a ponto dessa pessoa ocupar toda a minha cabeça, todo meu espaço. Se eu soubesse que ia me sentir desse jeito a seu respeito, teria ido embora muito tempo atrás, enquanto ainda podia.”

Gente a resenha vai ser longa heim…porque eu gostei do livro e quero falar dele hahaha

Esse é o primeiro livro da Rainbow Rowell ( adoro esse nome), a mesma autora do livro Eleanor & Park. E para quem gostou de um vai gostar do outro com certeza. A escrita  permance a mesma: leve e divertida! Deus, como eu dou risada com essa mulher, seja minha amiga Rainbow!

Ao contrário de Eleanor e Park, nesse livro temos personagens adultos, beirando os trinta anos e a maior parte da história se passa no jornal onde eles trabalham. Beth e Jennifer são amigas e trabalham na redação do jornal, mas como ficam em áreas diferentes, boa parte da comunicação é feita por e-mails. Elas sabem que a empresa monitora os e-mails e que palavras chaves “ativam o sistema” de monitoramento, mas mesmo assim elas continuam tendo conversas super divertidas ou não, sobre relacionamentos e eles sempre caem na pasta para serem verificados.

” – Você não vai dizer a sua mãe que está grávida? Ela pode notar quando sua barriga começar a crescer.
– Ela vai me dizer que estou gorda.”

E quem verifica? Lincon, uma cara lindo e alto de vinte e oito anos. O trabalho dele consiste em verificar se estão passando informações da empresa para terceiros, alertar a supervisão sobre contéudos impróprios…essas coisas que a gente sabe que não pode fazer rs. Esse é o trabalho dele e mesmo assim ele se sente invadindo a intimidade das pessoas. Vai entender né.

Não gostei dele não.

Uma amiga disse que eu não gostei porque eu sou estúpida e grossa. Pode ser né. O Lincon tem quase trinta anos e mora com a mãe. Ele ainda sofre por um relacionamento da época da escola e não é nada sociável. Ele deve ter pontos positivos, mas como eu não gostei dele só vi os negativos mesmo hahahah.

” Se era assim que ele agia perto de uma garota pela qual não se sentia atraído, como agiria se algum dia precisassa consertar o computador da Beth? Podia até vomitar nela.

A Beth e a Jennifer são mulheres que gostaria de ter como amigas. Super engraçadas, com tiradas ótimas, gentem como a gentem. A Beth namora o  desde a faculdade e está a espera do pedido de casamento. O namorado dela é um ser que deveria ser estudado, nem dá pra explicar, é sério. A Jennifer é casada com o Sr. Perfeito. É sério, eu queria casar com ele também. Até a Beth fala que se a Jennifer morrer primeiro, ela vai se casar com ele. Eles estão passando por uma fase que ele quer ser pai mas ela não tem certeza se quer ser mãe e várias coisas acontecem.

” – Eu nunca sequer estive na Califórnia.
–  Está tudo bem, é um lugar seguro.
–  Eu não sei qual aparência tem o lugar. Não consigo visualizar você ai. Eu tento enviar energia positiva, mas não sei em que direção enviá-la”.

E todos esses acontecimentos da vida são discutidos por e-mail. E o Lincon lá lendo tudo, anexos desenhoacompanhando igual novela rs…Até que ele percebe que se apaixonou pela Beth mesmo nunca tendo visto ela. E bom…agora é com vocês. Qualquer coisa dita a partir daqui pode comprometer a história.

É um livro super fofo ( não tão fofo quanto Eleanor e Park rs), eu recomendo a leitura para quem curte romance e histórias leves. Ela fluiu tão bem comigo que terminei em quatro dias. 

E um agradecimento a mãe do Lincon que parece ser inspirada no filme ” Minha mãe é uma peça”, nesse trecho que selecionei, a Beth comentou com a Jennifer que o Lincon parecia o Tom Cruise.

” – Mãe, você acha o Tom Cruise atraente?
– Querido você acha o Tom Cruise atraente?
– Mãe! Não! Porque você está perguntando isso? Jesus.
– Porque você está perguntando isso?
– Eu perguntei se você achava o Tom Cruise atraente. Não perguntei se achava que eu era gay. Você acha que eu sou gay?
– Eu não disse isso. Eu só estava tentado ajudar.
– Ajudar em que?
– Em você me contar, caso fosse.
– Mãe você está falando sério?
– Ora Lincon, convenhamos que se você fosse, isso explicaria muita coisa.”

Tô aqui esperando os comentários de vocês!

Até a próxima.

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

C.L # 25 – Personagens especiais

Hoje o curiosidades literárias apresenta livros com personagens que possuem algum tipo de deficiência.

Essa postagem me lembrou muito a campanha ” we need diverse books“, onde os leitores e escritores apoiam a criação de personagens com deficiência ou etnias diferentes. Como exemplo, no livro ” Partials“, a protagonista é de origem indiana. Nos livros do David Levithan os personagens são gays e no livro ” A Culpa é das Estrelas” do John Green onde o casal tem uma doença terminal. Então, entrando nessa onda, apresento livros onde os protagonistas tem algum tipo de deficiência, seja ela física ou psicológica. 

Vamos lá!

Amy e Matthew
(Paralisia cerebral e  transtorno obsessivo-compulsivo)

Amy-e-Matthew

4 ⭐️ – Ambos personagens tem 16 anos, portadores de doenças diferentes, uma física e outra mental. E foi exatamente isso que os aproximou, a doença. Amy  tem uma doença degenerativa. Ela não consegue falar, usa um andador, não tem amigos, é super inteligente e engraçada. Matthew tem TOC,  que o transforma na pessoa mais estranha do colégio. Fica no banheiro por horas lavando as mãos, ouve uma voz que manda ele fazer coisas ruins e sem sentido. Mas apesar desse comportamento, ele é uma pessoa amável e preocupada com o bem estar de todos. Se tornou aquela relação que você não sabe se é amizade, se é amor, se confundiram amizade com amor…mas é uma história linda. – Resenha -> Aqui <- 

Como Eu Era Antes de Você
( Tetraplégico)

como eu era antes de você

5 ⭐️ – Will e Clark são pessoas tão diferentes que parece impossível eles terem se entendido. A química e simplicidade entre os protagonistas vai fazer com que você se apaixone, sorria e sofra junto com eles. É uma história bonita, triste, romântica, sensível, com um final que me espantou e que vai te prender do inicio ao fim. E posso dizer que não estava preparada para o estava por vir…- Resenha -> Aqui <- 

Extraordinário
(Disostose buco maxilofacial)

capa-extraordinario_frente

4 ⭐️ -Me emocionei com a história de superação e altruísmo do menino. Vimos sua transformação a medida que o texto anda. Nos é apresentado um garotinho inseguro e tímido. E apesar das disparidades e dessa má sorte que o mundo o presenteou, nos tornamos testemunha do crescimento de uma criança em todos os aspectos psicológicos existentes. A história é digna de ser lida. Lembre-se: Não julgue um livro pela capa, muito menos um menino pela cara. Resenha -> Aqui <-

Turismo Para Cegos
(Deficiência Visual)

turismo para cegos

2 ⭐️ –  Não consegui entender nenhum dos três personagens e isso me incomodou pois não torcia para ninguém, é um livro que você lê mais no automático ele não consegue te inserir na história que nos é contada. O final revela alguns mistérios porém foi totalmente inusitado que na minha opinião foi o ponto principal que me fez não entender nada da história. – Blog Livros e Chocolate Quente

Grande Irmão
(Obesidade Mórbida)

grande-irmao

4 ⭐️ – O livro é narrado por Pandora, uma empresária bem sucedida que mora em Iowa nos Estados Unidos com seu marido Fletcher e dois enteados: Tanner e Cody. De um dia para outro descobre por Slack, um amigo de seu irmão mais velho Edison, que o mesmo está passando por uma situação difícil em Nova York. Apesar dos protestos de Fletcher, Pandora o chama para morar com eles quatro por um tempo até as coisas se normalizarem para o lado de Edison. O problema (problemão) que a pegou de surpresa foi quando se dirigiu ao aeroporto para recebê-lo. Notou que o irmão havia engordado radicalmente nesses quatro anos em que os dois não se encontraram. Foi um pouco constrangedor o momento, pois ela teve que ignorar a circunstância mostrando-se educada. Resenha -> Aqui <-

Brooklyn Sem Pai Nem Mãe 
( Síndrome de Tourette)

Brooklyn Sem Pai Nem Mãe

3,6  ⭐️ – A Síndrome de Tourette de Lionel Essrog faz com que ele toque pessoas e objetos de modo compulsivo, distribua tapinhas nos ombros de mafiosos ou nas nádegas de distintas senhoras e vocifere palavrões durante uma reunião de meditação zen-budista. Esse é o narrador e personagem principal deste livro, um romance policial divertido e comovente. 
Criado num orfanato, Lionel Essrog cresceu hostilizado pelos companheiros. Ninguém entende seu comportamento sui generis, até que Frank Minna, um pequeno mafioso do Brooklyn, tira-o do orfanato e lhe oferece trabalho numa empresa de táxi que serve de fachada para uma agência de detetives, que por sua vez serve de cobertura sabe-se lá para que negócios escusos. O idílio de Lionel com a existência termina com o misterioso assassinato de Minna. Reconduzido à solidão, lutando contra as urgências da sua Tourette, ele tenta descobrir o autor da morte da única pessoa que o compreendeu – Minna, que o chamava de Show de Aberrações Humanas. Este livro trouxe um novo fôlego à ficção policial. – Skoob

Menina de Vidro
(Osteogênese)

A MENINA DE VIDRO

5 ⭐️ –  Neste livro, a autora conta a história de Charlotte, uma mãe, que descobre que o bebê que espera tem uma doença chamada osteogênese imperfeita, conhecida popularmente como ossos de vidro ou ossos de cristal. Isso acontece com 27 semanas de gestação e quem descobre é sua amiga e tão obstetra, Piper.  Charlotte dá à luz, num parto prematuro à Willow, que quando nasce já teve 7 fraturas dentro do útero e passa por várias outras no momento do nascimento. Quando completa 5 anos, Willow já teve mais de 50 fraturas, em várias partes do corpo. Jodi Picoult sabe mexer com os leitores. A gente se sente parte da história. Acaba sentindo as emoções de todos os personagens, se sente parte do drama e sofre junto. E nossa!!! Como esse livro me fez sofrer. – Blog Livros e Blábláblá

O guardião de Memórias
(Síndrome de Down)

o-guardiao-de-memorias-livro

4 ⭐️ –  Neste livro temos a história do Dr. David que durante uma forte nevasca em 1964 tem que fazer o parto de seus filhos, o que ele e sua esposa Norah não sabiam é que ela estava grávida de gêmeos. O menino nasce perfeito, mas a menina tem síndrome de Down. Guiado pelo sofrimento de ter tido uma irmã doente com morte prematura, que abalou a mãe do Dr. David profundamente, ele pede a sua enfermeira Caroline que leve a criança para uma instituição onde ela seria criada, porém, a enfermeira acha o lugar horrível e não tem coragem de entregar a criança. É um livro intenso onde temos que analisar e julgar os personagens, sendo que posso garantir com toda certeza deste mundo que eu não sou uma boa juíza! – Blog O Que Tem Na Nossa Estante

 

Guardiã da Minha Irmã
(Leucemia)

a guardia da minha irmã

5⭐️ – Vi o filme, me encantei com a história, descobri que o final do livro era completamente diferente do que aquele apresentado nas telonas e foi aí que a vontade de ler um dos best-sellers da autora Jodi Picoult aumentou. hocante é o mínimo que eu posso dizer sobre esse livro. Existem obras que conseguem mexer com você de forma tão profunda e intensa, que não é possível explicar o quanto tal história te modificou e A Guardiã da Minha Irmã se encaixa muito bem nesse quesito. A narrativa não é linear e a narração é alternada sobre diversos pontos de vista, o que ajuda e muito o leitor a se situar e a entender que não há um lado certo e um outro errado. – Blog Ler é Incrível 

Para Sempre 
( Amnésia)

livro para sempre

4 ⭐️ –  A força do amor e a fé que os uniu foram à alavanca para que conseguisse reconquistar sua esposa novamente. Voltar a namorá-la, passear pelos mesmos lugares, noivarem, casarem e até terem uma nova lua de mel para que tudo que Krickitt via nas fotos, nos filmes se tornasse real em sua memória. Uma história real, um exemplo de vida, do que é possível a força do amor verdadeiro. Para quem gosta de histórias verídicas e com mensagens de amor e superação, recomendo Para Sempre. – Blog Saleta Literária

separador-lápiz-3

Então o que acharam? Interessante né?

Enviem suas sugestões para as próximas curiosidades literárias!

Até a próxima!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana

Resenha: Sushi, Marian Keyes

sushi

Autor: Marian Keyes    Editora: Bertrand Brasil Páginas: 574             Ano:  2009

Classificação 3/5 ⭐️ 🚍

Á venda l Submarino l Americanas

Sinopse:

“Sushi” é um livro sobre a busca da felicidade. E ensina que, quando você deixa as coisas ferverem sob a superfície por tempo demais, cedo ou tarde elas acabam transbordando. Perspicaz, engraçado e humano, este romance de Marian Keyes consolida sua posição como a mais popular jovem autora da Grã- Bretanha. Lisa Edwards, a durona e sofisticada editora de revistas, acha que sua vida acabou, quando descobre que seu novo emprego “fabuloso” não passa de uma ordem de deportação para a Irlanda, com a missão de lançar a revista Garota. Ashling Kennedy, a editora assistente da Garota, também tem seus problemas. É a Rainha da Ansiedade, e não é de hoje que sente que algo não está cem por cento na sua vida. E não só porque o que lhe sobra são bolsas, falta em cintura e namorado – mas porque, no fundo, no fundo, falta algo mais, como aquele pontinho minúsculo que fica na tela quando a gente desliga a TV à noite. Conhecida como “Princesa”, a vida sempre deu a Clodagh tudo que queria (e por que haveria de ser diferente, quando se é a garota mais bonita da turma?). Ao lado de seu príncipe e dois filhinhos encantadores, ela vive um conto de fadas doméstico em seu castelo. Mas então, por que será que nos últimos tempos anda sentindo vontade – e não pela primeira vez – de beijar um sapo? (Abrindo o jogo: de dormir com um sapo). Mais um sucesso de Marian Keyes, que vem divertindo milhares de leitores no mundo todo.

“Chegar ao fim do dia, até onde Clodagh se lembrava. O trabalho consistia basicamente (e isso valia para todas as garotas com quem trabalhava) em entrar, suspender a vida real durante oito horas e dedicar todas as suas forças a aguentar a espera.”

Essa é a história de Sushi. Não é um livro sobre comida oriental, como todo mundo ficou me perguntando, e eu fiquei curiosa sobre o porquê do nome. Também não é um livro com uma grande história, mas é divertido e com romance.

Conta história de três mulheres, cada uma com sua peculiaridade, idade, medo, desejos e claro, romances, que no decorrer da história se encontram de forma muito original. Lisa é uma mulher linda e inteligente, que está acostumada com a agitação de uma cidade grande, decidiu ter uma carreira de sucesso e abdicou de ser mãe. Sua vida muda drasticamente quando é transferida de Londres para Dublin, e é interessante ir descobrindo como isso vai se desenrolando. E confesso que fiquei tentada a fazer sua dieta do alfabeto, alguém já tentou?

” – As revelações são como os ônibus, não são? – perguntou maravilhada. – Não passa nenhuma durante horas e, de repente, passam três de uma vez.”

Do outro lado temos Ashling e Clodagh. A primeira com problemas de relacionamento e a segunda casada e com dois filhos, e aquele ditado de ‘a grama do vizinho é sempre mais verde’ define bem a relação das duas.

Ashling é insegura e supersticiosa, alguém realmente precavida que carrega em sua bolsa até um kit de primeiros socorros. Clodagh não está satisfeita com sua vida de dona de casa, mas nem sabe por onde começar, pois a única coisa que sabe fazer é ser esposa e mãe. Elas são amigas desde os tempos de escola, mas acontece algo que abala essa amizade.

“Meio sem jeito, ele apanhou o chuveirinho sibilante e, a título de experiência, arriscou passar um jato sobre a cabela de Ashling. Seu cabelo castanho tornou-se no ato uma massa negra.”

É isso, não é um livro que causa grande impacto, mas é ótimo para passar o tempo.

Até a próxima!

assinatura nova tábata

Resenha: O Presente do Meu Grande Amor

o presente do meu grande amor

Autor:  Vários/ Organizado por Stephanie Perkins           Editora: Intrínseca     Páginas:  320                    Ano:  2014

Classificação 5 ⭐️ 🚍

Á venda l Submarino l Americanas

Sinopse:

Se você gosta do clima de fim de ano e tudo o que ele envolve — presentes, árvores enfeitadas, luzes pisca-pisca, beijo à meia-noite —, vai se apaixonar por O’ presente do meu grande amor’. Nas doze histórias escritas por alguns dos mais populares autores da atualidade, há um pouco de tudo, não importa que você comemore o Natal, o ano-novo, o Chanucá ou o solstício de inverno.

 

Ai que livro mais fofo do mundo inteiro! Ai que vontade de morder e apertar até ficar roxinho!

livro 2

Eu ficava olhando pra capa, tentando descobrir quem era quem rs

Eu amei! ❤ Realmente foi um presente!

Li achando que ia encontrar histórias melosas, carregadas no apelo emocional e quem me conhece sabe que eu não sou dada a sentimentalismo, e por esse motivo me preocupei. Massss ainda bem que me enganei e que resolvi ler!

Eu pensei em dizer qual era a melhor história mas não é possível. Depois pensei em escolher as três melhores,  mas também não deu. É impossível mesmo. Todas as histórias são ótimas! Todas despertam ótimos sentimentos e você termina o livro achando que tudo é lindo! 😀 Se sente mais leve, sorri a toa e recomenda a leitura para os amigos!

O livro é composto por 12 histórias que se passam na época do natal e todas envolvem casais. Há reencontros, primeiros beijos, casais se formando…tem histórias com duendes, pessoas reais, fantasmas…tem católicos, judeus, ateus…Para todos os gostos! Cada história tem em média 29 páginas, então acaba se tornando uma leitura bem leve, rápida e fácil.

A história que mais ri foi do David Levithan. Nunca tinha lido nada dele e adorei sua forma divertida e inteligente de escrever.

A Rainbow Rowell é mestre em me fazer dizer ” ownnnn”. Foi uma das que eu mais gostei.

A história da Stephanie Perkins foi tão real, tão apaixonante que eu li mais de uma vez!

A Holly Black é um pouco estranha. A verdade é que eu não sei se as histórias são muito bizarras ou se a culpa é da tradução.

Não vou fazer uma resenha de cada conto, massss trouxe um frase de cada um deles para vocês!

“- Não vou a lugar algum,  Noel.
– Vai sim – disse ele, apertando-a contra si. – E não tem problema. Só. .. preciso que me leve junto. “

 

” – Você só vem quando neva – comenta ela.
– Eu só tenho permissão para vir quando neva – diz ele. – E apenas na noite de Natal. “

 

” – O que estamos fazendo? – sussurrou ela em meu ouvido.
– Não faço a menor ideia – respondi, e então voltamos a nos beijar. “

 

” Sei dizer Feliz Natal em qualquer idioma. Os duendes sabem falar qualquer idioma,  mas eu sou apenas humana.”

 

” Mas esse garoto das Árvores de Natal tinha algo que os outros não tinham. Algo de que ela precisava e só ele podia oferecer. “

 

” Estou com medo de estar apaixonado,  porque isso envolve exigir tanta coisa. Estou com medo da minha vida nunca se encaixar na dele. De que ele nunca me conheça. De ouvirmos as histórias,  mas nunca a verdade completa. “

 

” – Você está incrível – falei para ele,  porque estava mesmo.
Se todos os Krampus fossem como ele, a maldade reinaria”

 

” Jogamos várias rodadas de ‘ Eu Nunca’ e, quando alguém disse ‘ eu nunca quis ficar com ninguém dessa festa’, várias pessoas tiveram que tomar um shot”

 

” O beijo era o que importava. Não apenas o beijo, mas o que o beijo significava. O que ele revelava. O que a noite revelava. O que os dois haviam revelado”

 

” A imagem de Grace de biquíni logo veio a mente, seguida do pastor Robinson de sunga. Sacudi a cabeça em um reflexo para afasta-la do cérebro. “

 

” O sorriso de Ben é como açúcar polvilhado em cima de um biscoito. “

 

” Então ele me beijou. Depois me abraçou forte e eu olhei as estrelas no céu de Bethlenhem, certa de que tinha voltado pra casa. “

 

” Alguém lhe dera aquele presente. Alguém estava ali. Ela o sentia. ‘ Eu vou libertá-la e exaltá-la’. Essas foram as palavras dele em seu sonho. Ele já a libertara.”

separador-lápiz-3

Isso é tudo pessoal! Espero que tenham gostado 🙂

Opaaa não acabou não! Tem presente para vocês! Os dois primeiros leitores que comentarem aqui vão ganhar esses displays fofos com o tema do livro! 

PicsArt_1423162118193

Beijo,  outro,  tchau!


assinatura nova ana marys 

Resenha: Férias, Marian Keyes

ferias!-(edicao-de-bolso)

Autor: Marian Keyes         Editora: BestBolso Páginas:  544                       Ano:  2009

Classificação 5 ⭐️ 🚍

Á venda l Submarino l Americanas

Sinopse:

Rachel Walsh tem 27 anos e a grande mágoa de calçar 40. Ela namora Luke Costello, um homem que usa calças de couro justas. E é amiga – pode-se mesmo dizer muy amiga – de drogas. Até que a sua vida vai para o Claustro – a versão irlandesa da Clínica Betty Ford. Ela fica uma fera. Afinal, não é magra o bastante para ser uma toxicômana, certo? Mas, olhando para o lado positivo das coisas, esses centros de reabilitação são cheios de banheiras de hidromassagem, academia e artistas semifissurados (ao menos ela assim ouviu dizer). De mais a mais, bem que já está mesmo na hora de tirar umas feriazinhas. Rachel encontra mais homens de meia-idade usando suéteres marrons e sessões de terapia em grupo do que poderia supor a sua vã filosofia. E o pior é que parecem esperar que ela entre no esquema! Mas quem quer abrir as janelas da alma, quando a vista está longe de ser espetacular? Cheia de dor-de-cotovelo (o nome do cotovelo é Luke), ela busca salvação em Chris, um Homem com um Passado. Um homem que pode dar mais trabalho do que vale… Rachel é levada da dependência química para o terreno desconhecido da maturidade, passando por uma ou duas histórias de amor, neste romance que é, a um tempo, comovente, forte e muito, muito engraçado.

 ” Sempre me descreviam como forte, grande. Isso me deixava simplesmente puta da vida. “

Tirando a parte das drogas a autora poderia mudar o nome da Rachel pelo meu e ninguém notaria a diferença! Na época que li achei incrível o quanto nós eramos parecidas. Ela tem muito senso de humor e por muitas vezes é irônica. Adorooooo!!!

Amei o livro do inicio ao fim, amei todos os detalhes, amei a forma com que a história desenrolou, amei a familia da Rachel, amei o Luke…Então, acho que já deu né? Eu gostei!

A história é sobre Rachel Walsh, a irmã do meio da enorme família Walsh. Ela é Irlandesa mas está morando em Nova Iorque a oito anos e quer se encaixar nos padrões e rótulos dos nova iorquinos. Ela faz tudo o que ” um nova iorquino faz” mesmo sem gostar, ela tem uma necessidade enorme de ser aceita, ela se acha gorda porque não tem um corpo mignon e calça 40 ( Qualé Rachel, eu também calço e sou feliz!) é uma lista interminável de insatisfações com si própria, ela tem uma visão muito distorcida de si mesma e das coisas que acontecem. Ela usa drogas, mas só porque “todo mundo de Nova Iorque usa” e jura ter controle sobre isso. E como se não bastasse ela adora tirar sarro de outras pessoas. Uma dessas pessoas é Luke Costello, outro irlandês que também mora em Nova Iorque.

Pela descrição Luke deve ser um cara muito gato, alto e forte – É difícil encontrar irlandês feio né? Deve ser a água de lá – eu imagino ele como o lobisomem Alcide da série True Blood. Gatinho né? Então, Luke sempre teve uma queda por Rachel mas ela por preconceito não cedia aos charmes dele…até que finalmente eles ficam e começam a namorar! Mas nem tudo são flores na vida de Rachel, o vicio pela cocaína aumenta e num passe de mágica ela se vê solteira, sem emprego e indo em direção ao Claustro, um centro de reabilitação para viciados.

” — Portanto, não há nada que impeça você de voltar para casa e entrar nos eixos — disse papai.
— Mas eu tenho um gato — menti. — Pode arranjar outro — disse ele.
— Mas eu tenho um namorado — protestei. — Pode arranjar outro, também — disse papai. Falar é fácil, velho.”

Ela aceita ir só para satisfazer sua família e também porque no Claustro terá massagens, banhos relaxantes, exercícios leves…Ahhhh Rachel, queria ver sua cara quando descobriu a verdade! 😀

No Claustro ela mesma precisa preparar a comida e limpar seu quarto, fora a quantidade de terapias que é obrigada a participar. Nessa fase você percebe o quanto a Rachel distorcia os acontecimentos da sua vida. Durante a terapia algumas pessoas do seu circulo social e familiar são convidadas a participar de reuniões contando como ela se comportava quando usava drogas e bebia. Nesses momentos o leitor vai se sentir enganado pela Rachel. Vai ficar com aquela cara de “ué, mas não foi isso que ela contou!”, ” mas ela estava nesse nível?”. É essa é a grande sacada livro! Os viciados raramente assumem seus erros, para eles “não é nada de mais”, “não estou desse jeito”, “eu posso parar quando quiser”. E no começo da leitura você realmente vai acreditar nisso e então durante “sua” reabilitação você perceberá o quanto estava mal, precisando de ajuda.

Mesmo durante o período do Claustro a Rachel é engraçada, usando a ironia e sarcasmo a seu favor. Ah e vocês sabiam que o livro foi inspirado durante a estadia da autora numa clinica de reabilitação? *Pausa para reflexão*

” — Me deixa em paz — gritei por trás da porta trancada —, ou eu vou começar a me picar só pra irritar você!”
” — Você quase morreu, sua burra — soltou ele. — Pensa na preocupação em que todos nós ficamos!”

Fiquei muito chateada com a forma que Rachel tratou Luke. Ele ficou arrasado quando percebeu que não conseguia ajudá-la e principalmente quando precisou ir a clinica contar sobre o comportamento dela durante as bebedeiras e uso das drogas – posso falar “dar um tapa no bode” aqui?

A família dela também é ótima! Imagina uma família com seis mulheres e um homem. Uma loucura! E as conversas entre eles são muito engraçadas, tem uma passagem que a mãe da Rachel está desesperada porque o papel alumínio esta sumindo de casa e ela não consegue entender o que a filha caçula Anna faz com eles, então uma outra irmã diz que a Anna esconde a maconha neles para vender :D..e é verdade 😀 😀 Ah as irmãs…sempre dispostas a nos entregar né ❤

É um livro que eu recomendo a leitura com toda a certeza. Ele trata de um assunto sério mas não de uma forma pesada, você se diverte e se identifica com a personagem.

“— E você sai por aí dizendo que é uma dependente? — perguntou ela, um tanto cautelosa.
— Bom, eu não paro os estranhos na rua. Mas, quando é importante, digo, sim.”
“— Sabe — disse ele, em tom casual —, eu estou sem namorada desde que você foi embora.
Naquele momento, acreditei em Deus.”

Alguém aqui já leu? Gostaram? Vão ler?

Conta aqui!

Beijo, outro, tchau!

assinatura ana