Resenha: Sob o céu de Cabul, Andrea Busfield

sob-o-ceu-de-cabul

Autor: Andrea Busfield      Editora: Agir                 Ano: 2014              Páginas: 320

Classificação 5 ⭐️ 🚍

Á venda l Submarino l Americanas

Sinopse:

O Talibã se retirou das ruas de Cabul, mas as sombras de seu regime permaneceram. Fawad, um menino afegão esperto, charmoso e observador, conheceu a tragédia como ninguém: seu pai e irmão foram mortos e sua irmã foi seqüestrada. Sempre otimista, Fawad espera por uma vida melhor e seu sonho se realiza quando sua mãe, Mariya, consegue um emprego como governanta de Georgie, uma carismática mulher ocidental, e seus dois amigos estrangeiros.

Viver com o trio traz uma série de novidades, algumas assombrosas dentre elas, a relação de Georgie com o poderoso guerrilheiro afegão Haji Khan, que faz com que esse homem terrível seja capaz de realizar surpreendentes atos de bondade. Mas a vida, especialmente em Cabul, sempre tem seus perigos e a próxima calamidade que Fawad deverá enfrentar ameaça destruir a única coisa que ele jamais pensava que poderia perder: o amor por seu país.

“Certas vezes, quando não temos nada, a única coisa que podemos fazer é manter nossa dignidade. No entanto, quando não estamos atentos, as palavras mais simples podem nos roubar a dignidade.”

Sob o céu de Cabul é a história de Fawad, um garoto afegão que relata suas experiências vividas ao longo de seus 9 a 11 anos de idade.

O Afeganistão está sob o domínio Talibã e o povo sofre com a guerra, Fawad também foi uma vítima, ficando órfão de pai, perdendo seus dois irmãos mais velhos e tendo sua irmã mais velha sequestrada, após um ataque de talibãs à sua casa. Após essa tragédia, ele e sua mãe vão morar com a sua tia, eram sete pessoas em uma casa com quatro quartos pequenos.

Até que sua mãe Mariya arruma um emprego na casa de estrangeiros e os dois se mudam para lá. Fawad conhece Georgie, uma inglesa alta igual a um homem, que trabalha em uma ONG e tosa lã de cabra para fazer caxemira; May, uma americana, engenheira e lésbica; e James, um jornalista.

A vida de Fawad muda para melhor ao ir morar nessa casa, onde tem todo o conforto e companhia que um garoto poderia querer. Ele também arruma um emprego de meio período na loja de Pir Hederi, um homem com um passado triste e muitas histórias com os mujahidin.

Haji Khalid Khan era um homem importante que lutava contra os talibãs e tentava fazer com que os afegãos tivessem outras formas de viver além dos campos de papoulas, usados para fazer ópio. Ele também tem um relacionamento amoroso com Georgie.

“Você viu o quanto aquela estrela se aproximou da lua?, ele me perguntou certa noite. Eu sou a lua e você é aquela estrela, mas em pouco tempo a estrela começará a se afastar da lua e, lentamente, a estrela desaparecerá na escuridão, ficando fora do alcance da lua.”

O livro é repleto de personagens, como os amigos de Fawad: Spandi, Jamilla , Jahid e Mulallah. E com muitos cenários, lugares do Afeganistão, como Jalalabad e Paghman.

Sob o céu de Cabul é basicamente o caos e amor do Afeganistão aos olhos de uma criança. Tem momentos tristes, a morte de um amigo, a perda de um bebê e uma menina usada pelo pai para pagar uma dívida. Mas há muitos momentos felizes, um presente de Natal, um reencontro familiar e um casamento.

“Meu coração quase se partiu em dois nesse momento… aos tropeções, aproximava-se do filho, comecei a entender, pela primeira vez em minha vida, o peso da morte. É mais ou menos como um milhão de muros desabando em cima do nosso corpo.”

Eu me envolvi totalmente na história, e é lindo ter um ponto de vista com tanta inocência. Também há um choque cultural que foi muito divertido.

Era como se Fawad existisse e eu fiquei com vontade de conhecer esse garoto amável e inteligente. No final do livro a autora deixa um futuro mais ou menos certo pra ele, mas cabe a cada leitor imaginar o futuro que quiser.

Eu indico o livro para quem gosta de crianças e quer conhecer uma cultura diferente.

Beijocas!!!

assinatura nova tábata

Anúncios