Resenha: Eu, você e a garota que vai morrer, Jesse Andrews

Eu-Você-e-a-Garota-Que-Vai-Morrer

Autor: Jesse Andrews        Editora: Fábrica 231        Ano: 2015     Páginas: 288

Classificação 2.5/5 ⭐️ 🚍

Á venda l Submarino l Americanas

Sinopse:

Livro que deu origem ao filme vencedor do Festival Sundance 2015, nas categorias Público e Crítica, com estreia marcada para 12 de junho nos EUA, Eu, você e a garota que vai morrer é uma mistura perfeita entre drama e humor e um retrato preciso da adolescência em face do amadurecimento. Na trama, Greg tem apenas um amigo, Earl, com quem passa o tempo livre jogando videogame e (re)criando versões bastante pessoais de clássicos do cinema, até a sua mãe decidir que ele deve se aproximar de Raquel, colega de turma que sofre de leucemia. Contrariando todas as expectativas, os três se tornam amigos e vivem experiências ao mesmo tempo tocantes e hilárias, narradas com incrível talento e sensibilidade. Crossover com enorme potencial no segmento young adult, o romance é perfeito para fãs de livros e filmes como A culpa é das estrelas e As vantagens de ser invisível.

“Eu realmente queria que Rachel acordasse. Em restospecto, isso era estúpido e sem sentido, porque eu não tinha nada para dizer à ela, só queria poder falar com ela outra vez”.

Foi durante minha viagem à Orlando que comprei esse livro. Não queria voltar sem ter comprado algum. A escolha foi um pouco aleatória, pois tinha tantos, mas tantos livros que foi difícil escolher. Agora posso dizer finalmente que o resultado dessa minha escolha não foi nem um pouco lamentável, a não ser pela garota que está morrendo.

Nosso autor e narrador, Greg Gaines, relata com detalhes sasrcásticos a trajetória e o impacto causado em sua vida durante e após a chegada de uma ex namorada, agora com câncer. Parece óbvio. Clichê. Provável. Claro. Evidente. Só que não.

Essa história não tem nada a ver com um romance típico adolescente. Ela é sobre um garoto mesquinho (Greg) as vezes beirando o desprezível, um garoto estranho (Earl) que pensa muito em peitos e uma garota que está morrendo (Rachel) que vai morrer.

Rachel está doente e a cada dia mais deprimida. Como a mãe de Greg é amiga da mãe de Rachel, ela o obriga a se aproximar da garota e pelo menos tentar animá-la um pouco. Contra sua vontade, ele o fez. É totalmente notável a falta de vontade e o esforço medíocre que Greg faz.

“Eu sou um burro que não sente emoções apropriadas e não consigo viver de verdade uma vida humana normal”.

Greg é um personagem que me irritou por diversas vezes. Claro que o entendo. Sempre foi o esquisitão, sozinho e sem amigos, com exceção de Earl, que desde pequenos se entendiam por terem gostos distintos da maioria. Enquanto uns gostavam de futebol, eles curtiam fazer filmes. Mas não se enganem. São os mais ridículos possíveis.

Voltando ao Greg, todas as vezes que ele fala com a Rachel seja para animá-la, dar força, apoio ou fazê-la rir, é mentira. Da boca dele não sai quase nada, e quando sai é fingimento. Não há nada que seja espontâneo, e isso me deixava aflita. Ele tem reações muito vagas com sentimentos. É indirefente. Porém, em sua cabeça, o que podemos perceber durante a narração, acontece um turbilhão de palavras mais irônicas que as outras. E isso foi um dos porquês que Eu, Você e a Garota Que Vai Morrer me impressionou tanto.

O livro é tão cômico de um jeito seco. São piadas brutais e diminutas. A maioria das vezes Greg critica a ele mesmo do como é possível sentir nada e não encontrar palavras certas.

Por fim, o livro está longe de ser uma leitura descartável. Tenho certeza que você vai se pegar rindo em vários momentos. Incrível foi ver que a amizade entre Greg e Rachel era apenas um disfarce para que Greg poderia fazer a diferença na vida dela, mas quem acaba sendo transformado é ele.

“Na verdade eu estava chorando o tempo inteiro, porque por alguma razão não tinha caido a ficha que ela estava morrendo, e agora eu estava literalmente a assistindo morrer, e isso era diferente de alguma forma”.

Aos mais sensíveis, este livro é altamente não recomendável, você vai receber muitos xingamentos do autor. Que dó!

Espero que essa resenha tenha aguçado a curiosidade de vocês. Ressalvo que este é meu ponto de vista, assim, abro um caminho para que vocês sintam-se a vontade e comentem quando e o que quiserem, pois a opinião de todos é valida!

Obrigada pela leitura!

assinatura nova luiza

Resenha: A Menina Que Tinha Dons, M.R. Carey

a menina que tinha dons

Autor: M.R. Carey            Editora: Fabrica 231 Páginas: 381                       Ano:  2014

 Classificação 4 ⭐️ 🚍

Á venda l Submarino l Americanas

Sinopse:

A menina que tinha dons conta a história de Melanie, uma menina superdotada que faz parte de um grupo de crianças portadoras de um vírus que se espalhou pela Terra e que são a única esperança de reverter os efeitos dessa terrível praga sobre a humanidade. Uma comovente história sobre amor, perda e companheirismo encenada num futuro distópico.

” Qualquer um que experimente o furor para comer carne quando sente o cheiro de carne humana não está inteiramente dentro dos parâmetros normais, concorda comigo?”

Começo dizendo que não ia ler esse livro só por conta da capa. Segundo que a sinopse é horrível, passa mais tempo falando sobre o autor do que o livro. Essa sinopse que você leu é nova viu! Não fiquem achando que eu sou louca! 😏

 WWZ-dog-4Eu sou fã assumida e louca por The Walking Dead e na minha opinião toda e qualquer história sobre zumbis acabará caindo na comparação com eles. E continuo achando que nada será melhor, então quando descobri que esse livro se tratava de zumbis não fiquei muito empolgada por achar que encontraria uma historinha batida e meia boca. Mas sabe que me surpreendi! O autor mostrou uma história diferente, nova! Ok, temos zumbis, ok, temos um vírus que se espalhou, ok, o mundo acabou…mas é diferente! Pra começar, aqui os zumbis não são chamados dessa forma e sim de famintos. Tudo começou com um vírus em Londres que se espalhou para o mundo todo. Surpreendentemente algumas crianças tem esse vírus, são famintos, mas elas conseguem raciocinar, conversar, conviver com humanos e algumas vivem em um quartel general que estudam seu DNA a fim de encontrar uma cura. Elas não sabem o que são, nem porque estão ali. Elas são cobaias do governo.

” As cobaias não são humanas; são famintos. Famintos de alto nível funcional.”

Na história conhecemos Melanie, uma garotinha muito inteligente ( é sério, ela é inteligente mesmo) de 10 anos que tem um rotina dura no quartel. Todas as manhãs ela aguarda em sua cela para ser levada a sala de aula. Quando os militares chegam para buscá-la, o sargento aponta uma arma para ela, enquanto dois soldados a amarram em uma cadeira de rodas, pés, mãos e cabeça. Ela não entende por que eles não gostam dela e brinca que não vai mordê-los, mas eles não acham engraçado. Querem apenas continuar vivos. Aos sábados Melanie fica trancada na cela o dia todo, onde tem a companhia apenas de sua cama, sua cadeira de rodas e uma mesinha. Aos domingos ela é levada ao refeitório onde come uma tigela de vermes e logo em seguida toma banho com um produto químico que queima a pele. Para ela é normal essa rotina, ela não conhece outra. O melhor dia é quando tem aula da Sra. Justineau. Melanie a ama. É a única professora que trata a turma com carinho, que não usa palavrões e principalmente: conta muitas histórias para a turma, de contos de fada a mitologia grega.

O ponto alto do livro é quando a base é atacada e os sobreviventes são obrigados a ir a pé para o centro de Londres. A jornada se torna dias de luta pela sobrevivência, descobertas, esperanças, amor e amizade.

” Está tudo bem – diz ela fraca. – Eu não mordo”
” Ela luta com um animal selvagem e o animal é ela”

Sabe uma coisa que eu sempre fiquei indignada com os zumbis? Eles nunca comem o corpo todo, só tiram uma mordida e partem pra outra e tipo, todo mundo sabe que tem que comer tudo que tá no prato né! E nessa história eles comem tuuuudoooo!!!! Gosto assim! 😍

tumblr_mwysbaeuqu1rl9n7jo1_500

E aí já era pro meu lado 💀

Ah e eles correm viu! Quem assistiu “Guerra Mundial Z” aqui? Então, eles correm igual no filme. Eles ficam inertes, mas ao menor barulho ou presença de humanos eles disparam cara! Que medo! 

Tem algumas curiosidades no livro, por exemplo, os famintos conseguem sentir seu cheiro a quilômetros de distância (assim como as vibrações sonoras) então os cientistas criaram um bloqueador, um tipo de creme para passar no corpo que afasta qualquer morto vivo.

Algumas pessoas podem achar a leitura difícil porque tem muitos termos científicos. Teve momentos que eu não fazia ideia do que estava lendo. Eu até pensei em colocar um trecho aqui, mas não quero assustar vocês rs.

Recomendo a leitura? Sim! É uma leitura difícil mas vale a pena.

” Terceiro e último, se tiver um faminto atrás de vocês, não corram. De maneira nenhuma podem derrotá-lo e tem uma chance maior se o enfrentarem de frente”
” Por que você sempre, sempre atira neles na merda da cabeça?”
” Um para me desamarrar, outro para apontar a arma para mim. É de quantos precisamos.”

E tem Booktrailer pra gente!!!! 

 E ai o que acharam? Alguém já leu? Vai ler?

Conta aqui!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana