Resenha e frases: O pequeno príncipe, Antoine de Saint-Exupéry

pequeno-principe

                  Autor: Antoine de Saint-Exupéry                 Ano: 1943 – Páginas: 128

Classificação 4/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino l Americanas

Sinopse:

Um piloto cai com seu avião no deserto e ali encontra uma criança loura e frágil. Ela diz ter vindo de um pequeno planeta distante. E ali, na convivência com o piloto perdido, os dois repensam os seus valores e encontram o sentido da vida. Com essa história mágica, sensível, comovente, às vezes triste, e só aparentemente infantil, o escritor francês Antoine de Saint-Exupéry criou há 70 anos um dos maiores clássicos da literatura universal. Não há adulto que não se comova ao se lembrar de quando o leu quando criança. Trata-se da maior obra existencialista do século XX, segundo Martin Heidegger. Livro mais traduzido da história, depois do Alcorão e da Bíblia, ele agora chega ao Brasil em nova edição, completa, com a tradução de Frei Betto e enriquecida com um caderno ilustrado sobre a obra e a curta e trágica vida do autor.

” Eles não estavam contentes, lá onde eles estavam?
– Nunca estamos contentes onde estamos.”

Esses dias eu estava indo trabalhar toda chateada porque teria que pegar trem…e quem anda de trem em São Paulo sabe como é triste rs…e o pior, eu estava sem livro. Daí por sorte eu passei na frente daquelas máquinas que vendem livro e encontrei um lá do Pequeno Príncipe por 5,00!

Comprei principalmente porque eu precisava de ajuda para superar o desafio de ficar 25 minutos no trem hahaha

E eu reli o Pequeno Príncipe e fiquei surpresa de ter percebido coisas que eu nunca tinha notado quando li a primeira vez, com 12 anos de idade. Não vou dizer que eu entendi o livro, porque eu continuo sem entender, mas ele fez mais sentido. O livro trás a ingenuidade de uma criança e a importância de valorizar os sentimentos alheios.

Para quem não conhece, o livro conta a história de um homem que cai de avião no meio do deserto e depois de alguns dias encontra o pequeno Príncipe. Eles começam a conversar e o Príncipe começa a contar como acabou chegando na Terra. Ele passou por outros planetas, conheceu pessoas com personalidades diferentes e contou sobre sua amizade com sua rosa, que ele deixou no seu planeta e agora sente-se culpado por isso.

O livro tem MUITAS ANALOGIAS. Essa história com a rosa está fazendo minha cabeça fervilhar! A rosa era uma pessoa??? Ah e também tem frases ótimas, eu não conseguia passar uma página sem grifar alguma coisa.

Quem não leu e vê aquele povo postando a foto do chapéu e perguntando ” você vê um chapéu ou um elefante dentro de uma cobra“? Eu vou explicar, porque quem posta não explica. O aviador, conta que quando criança ele desenhou uma cobra que tinha engolido um elefante. Quando ele mostrava esse desenho para os adultos, todos viam um chapéu. Daí ele desenhou o interior da cobra e os adultos pediram para ele parar de desenhar essas coisas e se dedicar a geografia, cálculo…. Ele finaliza com ” as pessoas grandes não entendem nunca as coisas sozinhas e é cansativo para as crianças sempre e sempre dar-lhe explicações”. É interessante, não é? Pegou a coisa aqui?

As pessoas que o Pequeno Príncipe encontrou na sua viagem também serve como crítica ao mundo dos adultos. Pessoas que só pensam em trabalhar, em dinheiro ou em possuir coisas. 

Eu gostei muito do livro, gostei até da dedicatória rs.

E agora para terminar, separei algumas frases do livro para vocês. E fica aí o questionamento: o pequeno príncipe realmente existiu ou foi uma alucinação do aviador no meio do deserto?

separador

” – O que é essa coisa?
– Não é uma coisa, é um avião, ele voa.
– Então você também vem do céu? De qual planeta você é?
– Você vem de outro planeta então?
Mas ele não me respondeu.”opequenoprincipe

” Eu sofro tanto contando essas memórias. Já faz seis anos que meu amigo partiu com seu carneiro. Se eu tento descrevê-lo é para não esquecê-lo. É triste esquecer um amigo. Nem todos tiveram um amigo.”

”  – Um dia, eu vi o sol se pôr 44 vezes!
E um pouco mais tarde ele acrescentou:
   – Sabe…Quando estamos muito tristes, gostamos dos pores do sol…
   – No dia das 44 vezes, você estava muito triste, então?
Mas o pequeno príncipe não respondeu”

pequenoprincipe” Eu não soube entender nada! Eu deveria tê-la julgado por seus atos e não por suas palavras. Ela me perfumava e me iluminava. Eu não deveria nunca ter fugido! Deveria ter adivinhado sua ternura por trás de suas pobres astúcias. As flores são tão contraditórias. Mas eu era muito jovem para saber amá-la”

” – Você julgará a si mesmo então – respondeu-lhe o rei – É o mais difícil. É muito mais difícil julgar a si mesmo que julgar outrem. Se você conseguir julgar-se bem, então você é um verdadeiro sábio”

” – Apenas conhecemos as coisas que cativamos – disse a raposa – Os homens não têm mais tempo para conhecer nada. Eles compram coisas já prontas nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se você quer ser meu amigo, cative-me!”pequeno principe

” Eis o meu segredo. Ele é muito simples: só vemos bem com o coração. O essencial
é invisível aos olhos.”

separador

Incrível não é? Sentiu vontade ler? Já leu e quer me contar sua opinião? Gente, comenta! Eu adoro falar sobre livros rs

Até a próxima!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys