Resenha: Atlântida, o enigma perdido de Flystwick, Ronnyel Sanpe

ATLÂNTIDA O ENIGMA PERDIDO DE FLYSTWICK

Autor:  Ronnyel Sanpe – Editora: Giostri              Ano: 2016 – Páginas: 266

Classificação 3/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino Americanas

Sinopse:

Após longos anos separados, 4 amigos reúnem-se para encontrar um enigma deixado por um historiador chamado John Flystwick. Desvendar esse enigma pode levá-los ao tesouro do rei de Atlântida, sendo isso uma prova irrefutável de que tal local existiu. Uma grande aventura repleta de acontecimentos surpreendentes e a descoberta dos maiores segredos de uma civilização há muito tempo perdida.

 

 

” – Me encontraram – sussurou penosamente para si mesmo. Mas como? Ninguém além da velha senhora sabia da sua existência. O que ele poderia ter feito para ser descoberto?
Não importava, ele tinha que fugir.”

Antes de tudo: muito obrigada Ronnyel por esse livro incrível! E muito obrigada por ter autografado ele! Meu primeiro livro com autógrafo!

Tudo começa quando as crianças Carol, Victor, Mônica e Diogo ouviram pela primeira vez a história do tesouro do rei de Atlântida, contada pelo Sr. Antônio, avô de Camila. Apesar de ficarem impressionados eles não levaram a história adiante, afinal todos acharam que era apenas uma história. Anos depois eles se reencontram no velório Sr. Antônio e descobrem que ele deixou em testamento um baú para Vitor. Para surpresa geral, dentro do baú tem um mapa para o tal tesouro! O que era uma simples história acaba se tornando a maior aventura da vida deles! Por que convenhamos, se aparece um mapa do tesouro em suas mãos, você vai atrás né?

Bom, eu vou.

” Descobrindo que o tesouro era real, ele não só descobriu um tesouro antigo. Descobriu a prova que faltava de que Atlântida realmente existiu, e que havia uma grande população no continente que afundara.”

” Essas perguntas não saíam da cabeça do rapaz. O que mais o deixava nervoso não eram as perguntas e sim a agonia de não ter as respostas para elas.”

E a jornada se torna uma missão no estilo ‘ Indiana Jones’, tem enigma, perseguição, mapa, tiroteio, descoberta de civilização…E tudo isso no Brasil! Sim! E o mais legal é que tudo acontece no nordeste. O autor soube usar muito bem as cidades para criar um clima de mistério.

” – Você mente…- grunhiu  velho. – Eu sei o que vocês querem. E digo: lá vocês não vão encontrar nada. Apenas a morte e coisas aterrorizantes. Coisas que vocês jamais viram nas suas vidas. “

Outro ponto positivo é que eu aprendi mais sobre o Brasil e as cidades. Tem uma passagem que os amigos vão na Pedra da Galinha Choca, no Ceará e rola um comentário que nesse lugar rodaram o  filme dos Trapalhões. Gente me bateu uma nostalgia…quase chorei. Eu vi esse filme! rs

E sobre a cidade de Atlântida, eu amei a ideia de como ela ainda existe e tem até um vocabulário próprio do lugar! Eu queria que boa parte do livro tivesse acontecido nela e não na  busca do tesouro. Talvez a história tenha uma continuação e isso aconteça..quem sabe 😎 Ah e os personagens…gente não consegui sentir simpatia por nenhum rs…tinha hora que eu torcia pra alguém levar um tiro ou cair num buraco hahaha..

E vocês, se interessam por cidades perdidas, tipo Atlântida? Eu acho incrível!

Fico aqui aguardando os comentários de vocês!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

Anúncios