Resenha: Dia de Eutanásia, Stephen Spignesi

dia de eutanásia

Autor: Stephen Spignesi      Editora: Landscape    Ano: 2008   Páginas: 296

Classificação 2 ⭐️ 🚍

Sinopse:

Seis pessoas foram mortas no abrigo de animais onde trabalhavam. Uma jovem é acusada dos crimes. Seu nome: Vitória Troy. Ela é a mais improvável de todos os assassinos. Adora animais, é inteligente, possui um afiado senso de humor e trabalhava no abrigo em uma função angustiante. O que poderia tê-la feito matar os seis colegas de trabalho? É o que o doutor Baraku Bexley quer descobrir. Psiquiatra bastante perspicaz, designado pelo tribunal para determinar se Tory é mentalmente capaz para ir a julgamento, Bexley deve explorar seu histórico complicado e suas convicções incomuns enquanto conduz as entrevistas no hospital psiquiátrico de Connecticut onde ela está confinada. O que Bexley conhece sobre esta jovem talentosa vem exclusivamente destas entrevistas, mas será que isto é suficiente para explicar a distância entre a pessoa que Tory parece ser e os terríveis crimes dos quais está sendo acusada? Outras pessoas também a consideram difícil de se entender, mas todos buscam um único objetivo: conhecer a verdade, não importa o quanto custe.

“Vejo eu mesma de cima… com novos olhos luminosos…”

Dizem que há mistérios inexplicáveis na vida, também dizem que nada é uma verdade absoluta. Pois digo que é uma verdade absoluta quando dizem que há mistérios inexplicáveis na vida. É sobre isso que se trata a história de Tory Troy. Uma garota totalmente imprópria de acusação está sendo indiciada por ter assassinado seis colegas de trabalho: três homens e três mulheres. E sua declaração? “Não sei”.

Antes de tudo, Tory sempre adorou animais. Desde criança ela tem esse lado bem sensível. O que torna a trama atroz e redundantemente perspicaz é meramente o caso da garota ter aceitado um emprego de Técnica em Eutanásia em um abrigo de animais chamado Waterbridge Animal Shelter, uma vez que sua função é de executar em uma câmara de gás, todas as sextas-feiras, os animais que não foram adotados ao decorrer da semana. Claro que tinha todo um profissionalismo envolto deste, porém o seu lado pessoal pesava mais na balança. Fora assim que a garota trucidou seus colegas de trabalho.

O fato em si não ocorre no presente, e sim no passado. O que significa que já no presente, todos decorrem sobre o acontecimento passado. Já começamos com Tory conversando com o doutor Baraku Bexley, o psiquiatra encarregado de classificá-la como capaz ou incapaz de se submeter a um tribunal, onde, por conseguinte, será julgada, e claro que ela não é nem um pouco inocente. Não tem pontada de dúvida que seu veredicto será a morte por injeção letal. O decorrer da história se dá com muitos diálogos; interrogações e conversas pessoais. Ou seja, o livro é totalmente a base de diálogos, exceto por pouquíssimas partes explicativas.

Não há muita coisa a ser dita em um livro de suspense como este. Fico por aqui com esta resenha, pois pode acabar em spoiler. Um lado bom é que quando menos se espera, você já está terminando o livro. As páginas fluem muito depressa, até porque não há muitos textos, e sim diálogos.

Dia de Eutanásia vai fazê-lo estremecer em um piscar de olhos. Lembrem-se disso: em um piscar de olhos.

Espero que essa resenha tenha aguçado a curiosidade de vocês. Ressalvo que este é meu ponto de vista, assim, abro um caminho para que vocês sintam-se a vontade e comentem quando e o que quiserem, pois a opinião de todos é valida!

Obrigada pela leitura!

assinatura nova luiza

Anúncios