Resenha: Trilogia do Desejo, Roberto Muniz Dias

trilogia do desejo

Autor: Roberto Muniz Dias Editora: Metanoia Páginas: 350  Ano: 2015

Classificação 3/5 ⭐️ 🚍

Á venda l Livraria Cultural

Sinopse:

A TRILOGIA DO DESEJO é uma coletânea que reúne os três primeiros romances do escritor Roberto Muniz Dias. Os personagens, na maioria sem nomes, juntam-se nestas histórias que os unem pela descrição psicológica repetida nos três romances. O fio condutor desta pisque plural é o desejo; o desejo pela vida, pelo sexo, pela descoberta, pela entrega. As histórias compõem o que se chama de um romance de formação (Bildungsroman)- um homem se transforma físico, moral, psicológica, estética e socialmente durante sua própria trajetória. Os protagonistas são pessoas perturbadas por uma justificativa de seu desejo seja na boemia, na monogamia ou na permissão da reinvenção. Nesta trilogia ADEUS A ALETO, UM BUQUÊ IMPROVISADO e URÂNIOS subsistem numa tentativa de se criar um espaço físico para os personagens psicológicos de Roberto Muniz Dias. O leitor vai atravessar a mente de uma personagem ávida por conhecer a si mesmo, tanto faz o que a construiu no passado ou o que a espera no futuro. A leitura carregará o leitor até certo momento, depois vai soltá-lo no meio da jornada inventada para se desvirtuar. O encontro com certa compreensão vem nas imagens que o leitor vai fazendo de si mesmo e do inexorável Outro.

 

” Fizemos poesias lindas que falavam de amor. Mas era o amor libertário daqueles que vicia a alma, porém não aprisiona o corpo.”

 

Olha quem voltou a escrever resenhas: eu! Gente, nem lembro quanto tempo fiquei sem tempo 😅 ( culpa da faculdade que me faz estudar rs)

Mas vamos lá! Para comemorar meu retorno trago um livro de um escritor brasileiro, sim, como diz Galvão Bueno, éééé do Brasill! ( piada ruim né?) 😁

O livro é uma coletânea dos três primeiros romances do autor, chamam-se ” Adeus a aleto”, ” Um buquê improvisado” e ” Urânios”. Ah e os personagens são todos homossexuais, mas isso acaba ficando em segundo plano, pois os contos trazem personagens com muitas questões reflexivas e  que passam por momentos de descobertas. Confesso que foi um livro muito adulto para mim já que 90% da minha leitura é voltada para livros de  ficção, então talvez não consiga fazer uma resenha digna ao livro.

Cada livro trás uma temática diferente: morte,  casamento gay e um amor a três. O que mais me prendeu foi ” Um buquê improvisado”. Gente. Que que isso. Que D.E.S.E.S.P.E.R.O. Nesse conto o personagem relata sua vida, uma mistura de antes e depois. O antes como professor universitário que se envolve com uma aluna e se casa com ela. E o depois quando resolve assumir sua homossexualidade.  Coloque no meio uma esposa psicopata e um personagem que sente muita culpa. História digna de filme de suspense!

” Ingenuamente, sentia-se atraído pela remota possibilidade de ser um bilhete de um aluno, e não de uma aluna.”

” – Pessoal…muito se fala em felicidade. E ela está aqui em nós. Estampada nesse contentamento de cada um vocês. – Pegou na mão do outro, trouxe a altura do peito completando: Isso é felicidade, caso não saibam.”

O conto ” Urânios” foi um que me surpreendeu. Sempre que leio livros com passagens eróticas fico pensando na reação da pessoa do meu lado, quando ela lê só um trecho, sabe? 🔥 😎 Mas então, esse é um conto onde o protagonista relata seu relacionamento com seus “dois maridos”, ele apresenta questões como a dificuldade de viver a três, a vida sexual, seus conflitos internos e o preconceito da sociedade.

” …para ser história bastam dois ingredientes: uma presunção da verdade e um idiota para creditá-la valor. Eu fui o idiota. E tenho sido por muito tempo.”

” Criei uma poesia minha, que disfarçava meu desejo, mas que apressava o tempo para viver logo minha vida.”

E por fim, o primeiro conto que deixei por último. “Adeus ao aleto” é uma história complicada, tem muitas referências culturais e ( olha a vergonha) me senti perdida em vários momentos. Esse conto fala sobre amor, sexo e a morte. Fala sobre o envolvimento amoroso e intenso do protagonista com um jovem misterioso. E fica aquela coisa: ele é real? Não é? Gente que loucura rs. 

‘Será que podia mudar o percurso da vida? Será que meus personagens me perdoariam?’ Por que ainda pensava naquele homem como se fosse meu próprio rosto impreciso e indefinido na dinâmica daqueles acontecimentos?”

Vocês já leram? Ele está na lista de desejados? Conta aqui!

Até a próxima.

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

Anúncios