Resenha: Over the rainbow

over the rainbow

Autor: Vários – Editora: Planeta           Ano: 2016 – Páginas: 224

Classificação 3/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino Americanas

Sinopse:

E se a Cinderela se apaixonasse por uma garota, e não por um príncipe encantado? Ou se os irmãos João e Maria, homossexuais assumidos, enfrentassem a ira de uma madrasta religiosa que só pensa em curá-los? Ou, ainda, se a Branca de Neve, abandonada numa cidade bem distante de sua terra natal, fosse acolhida por… sete travestis?

Pois pare de imaginar se os contos de fadas fossem revisitados e recebessem uma roupagem LBGTT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais). Abra este livro e confira as clássicas histórias da infância de milhões de pessoas contadas sob a ótica de cinco autores que fazem parte desse universo, representado pelas cores do arco-íris. Ou melhor, contos de fadxs, como reza a nova norma de gêneros.

” Finalmente alguém a tinha entendido, e esse alguém era um travesti de 2 metros de altura”

Acho que como a maioria, esse livro me fisgou pela curiosidade. Como assim transformar as histórias dos contos de fada em contos de fadxs LGBTT? Oi? Deixa eu ler isso ai nem.

O livro é composto por cinco coletâneas de cinco autores diferentes. Cada história trás um conto de fadas moderno, todos passados no Brasil e com os personagens centrais sofrendo algum tipo de preconceito por serem gays, lésbicas ou travestis. Algumas histórias tem um conteúdo sexual, o que limita um pouco o público, mas isso acontece apenas em duas histórias, na Cinderela e Rapunzel

E se você achava clichê os contos de fadas, com pessoas que se apaixonam e juram amor eterno, assim rapidinho, te digo que é exatamente isso que você vai encontrar na maior parte dos contos hahah…Mas convenhamos que contos de fadas tem que ser assim mesmo né.

Vou falar rapidamente sobre o que trata os contos, assim o post não fica longo e cansativo. O primeiro, Cinderela, conta a história de Catarina, uma adolescente lésbica que mora com a Madrasta e as duas filhas. Catarina é apaixonada pela Helena, sua meia irmã. Ela nutre esse sentimento em segredo e além de sofrer por não poder se declarar ela ainda sofre com o desprezo da Madrasta. ( Essa história é bem safadinha rs)

” Se minha mãe souber que você esteve no meu quarto ela me mata, então bico calado Catarina!”

O segundo conto é João e Maria, dois irmãos adolescentes que vivem com o pai e a Madrasta, essa por sua vez louca religiosa que acha que um exorcismo vai resolver esse ‘ problema’ dos irmãos. Essa foi uma das histórias que mais gostei, porque tem um pegada sombria…

” – Isso – ela socou mais uma vez- é para você aprender – mais um soco- a não mexer com um veado – e mais um soco certeiro- que tem uma irmã sapatão. Porque na hora de bater eu bato como homem e não como menina. E viro mais homem que você seu merda.”

Depois tem o conto A Bela e a Fera que conta a história do romântico Rodrigo e do amargurado Bruno. Muitas baladas, tinder e declarações de amor exageradassssss….rs. Esse não curti muito.

” …’ Mãe, fiz uma promessa a mim mesmo que, quando eu completasse dezoito anos, contaria isso pra você… Eu sou gay.
– Depois disso escutei um trovão e uma freada brusca, a ligação começou a chiar e caiu…. horas se passaram depois da ligação, foi quando bateram em minha porta. Era um policial, ele disse que houve um acidente e meus pais não tinham sobrevivido”

O quarto conto quase erótico rs…é da Rapunzel, conta a história de Augusto, um jovem rico, delicinha e gay, Os pais não aceitam e obrigam ele a esconder sua sexualidade. Essa foi uma história muito interessante porque explica a diferença de HIV e Aids. Foi uma lição para mim porque eu realmente não sabia diferenciar elas, pra mim as duas eram a mesma coisa.

” – Tá bom! O que eu tô querendo dizer é que eu gosto de garotos, eu sou gay.
– Que merda é essa, Augusto? Você perdeu a noção das coisas? Desde quando você virou veado? Tá louco??? Me diz, Augusto! Você quer acabar com a nossa família, manchar nosso sobrenome? Que porra é essa? Era só o que me faltava, ser pai de bichinha.”

E por último mas não menos importante, temos a história de Júlia, uma adolescente que vive com a Madrasta, uma mulher muito vaidosa e com inveja da enteada. E Júlia tadinha, só quer realizar seu maior desejo, fazer sua cirurgia de mudança de sexo. Depois de ser enganada pela Madrasta, ela acorda em um hospital, sem dinheiro, sem identidade e acaba indo morar na rua. Mas sete travestis acolhem Júlia e ajudam a jovem a se reerguer. Esse conto foi muito legal porque a autora tratou do assunto com muita delicadeza, falou muito sobre os sentimentos e como a sociedade julga o travesti. Foi interessante. 

” Naquela casa de travestis segregadas do mundo tradicional existia família e amor.”

Eee acabou! O que acharam? Ansiosos para ler? Conta aqui a opinião de vocês, tô aguardando ansiosa!

Até a próxima!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

Anúncios

Resenha: Trilogia do Desejo, Roberto Muniz Dias

trilogia do desejo

Autor: Roberto Muniz Dias Editora: Metanoia Páginas: 350  Ano: 2015

Classificação 3/5 ⭐️ 🚍

Á venda l Livraria Cultural

Sinopse:

A TRILOGIA DO DESEJO é uma coletânea que reúne os três primeiros romances do escritor Roberto Muniz Dias. Os personagens, na maioria sem nomes, juntam-se nestas histórias que os unem pela descrição psicológica repetida nos três romances. O fio condutor desta pisque plural é o desejo; o desejo pela vida, pelo sexo, pela descoberta, pela entrega. As histórias compõem o que se chama de um romance de formação (Bildungsroman)- um homem se transforma físico, moral, psicológica, estética e socialmente durante sua própria trajetória. Os protagonistas são pessoas perturbadas por uma justificativa de seu desejo seja na boemia, na monogamia ou na permissão da reinvenção. Nesta trilogia ADEUS A ALETO, UM BUQUÊ IMPROVISADO e URÂNIOS subsistem numa tentativa de se criar um espaço físico para os personagens psicológicos de Roberto Muniz Dias. O leitor vai atravessar a mente de uma personagem ávida por conhecer a si mesmo, tanto faz o que a construiu no passado ou o que a espera no futuro. A leitura carregará o leitor até certo momento, depois vai soltá-lo no meio da jornada inventada para se desvirtuar. O encontro com certa compreensão vem nas imagens que o leitor vai fazendo de si mesmo e do inexorável Outro.

 

” Fizemos poesias lindas que falavam de amor. Mas era o amor libertário daqueles que vicia a alma, porém não aprisiona o corpo.”

 

Olha quem voltou a escrever resenhas: eu! Gente, nem lembro quanto tempo fiquei sem tempo 😅 ( culpa da faculdade que me faz estudar rs)

Mas vamos lá! Para comemorar meu retorno trago um livro de um escritor brasileiro, sim, como diz Galvão Bueno, éééé do Brasill! ( piada ruim né?) 😁

O livro é uma coletânea dos três primeiros romances do autor, chamam-se ” Adeus a aleto”, ” Um buquê improvisado” e ” Urânios”. Ah e os personagens são todos homossexuais, mas isso acaba ficando em segundo plano, pois os contos trazem personagens com muitas questões reflexivas e  que passam por momentos de descobertas. Confesso que foi um livro muito adulto para mim já que 90% da minha leitura é voltada para livros de  ficção, então talvez não consiga fazer uma resenha digna ao livro.

Cada livro trás uma temática diferente: morte,  casamento gay e um amor a três. O que mais me prendeu foi ” Um buquê improvisado”. Gente. Que que isso. Que D.E.S.E.S.P.E.R.O. Nesse conto o personagem relata sua vida, uma mistura de antes e depois. O antes como professor universitário que se envolve com uma aluna e se casa com ela. E o depois quando resolve assumir sua homossexualidade.  Coloque no meio uma esposa psicopata e um personagem que sente muita culpa. História digna de filme de suspense!

” Ingenuamente, sentia-se atraído pela remota possibilidade de ser um bilhete de um aluno, e não de uma aluna.”

” – Pessoal…muito se fala em felicidade. E ela está aqui em nós. Estampada nesse contentamento de cada um vocês. – Pegou na mão do outro, trouxe a altura do peito completando: Isso é felicidade, caso não saibam.”

O conto ” Urânios” foi um que me surpreendeu. Sempre que leio livros com passagens eróticas fico pensando na reação da pessoa do meu lado, quando ela lê só um trecho, sabe? 🔥 😎 Mas então, esse é um conto onde o protagonista relata seu relacionamento com seus “dois maridos”, ele apresenta questões como a dificuldade de viver a três, a vida sexual, seus conflitos internos e o preconceito da sociedade.

” …para ser história bastam dois ingredientes: uma presunção da verdade e um idiota para creditá-la valor. Eu fui o idiota. E tenho sido por muito tempo.”

” Criei uma poesia minha, que disfarçava meu desejo, mas que apressava o tempo para viver logo minha vida.”

E por fim, o primeiro conto que deixei por último. “Adeus ao aleto” é uma história complicada, tem muitas referências culturais e ( olha a vergonha) me senti perdida em vários momentos. Esse conto fala sobre amor, sexo e a morte. Fala sobre o envolvimento amoroso e intenso do protagonista com um jovem misterioso. E fica aquela coisa: ele é real? Não é? Gente que loucura rs. 

‘Será que podia mudar o percurso da vida? Será que meus personagens me perdoariam?’ Por que ainda pensava naquele homem como se fosse meu próprio rosto impreciso e indefinido na dinâmica daqueles acontecimentos?”

Vocês já leram? Ele está na lista de desejados? Conta aqui!

Até a próxima.

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys