Resenha: Sobrenatural, Paige Mckenzie

sobrenatural

        Autor: Paige McKenzie – Editora: Rocco        Ano: 2015 – Páginas: 304

Classificação 5/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino l Americanas

Sinopse:

Você acredita em fantasmas? Sunshine Griffith é uma garota que acaba de fazer dezesseis anos. Depois de sua mãe receber uma proposta de emprego, as duas se mudam para a fria cidade de Ridgemont, em Washington. A transição de Austin, uma cidade acalorada do Texas, para Ridgemont já é bem complicada para Sunshine, mas esse é o menor de seus problemas. Logo ela descobre que além de seu quarto ser todo, hum…, bem rosa, sua nova residência é uma casa poeirenta e assombrada. À medida que os fenômenos vão ficando mais frequentes, assustadores e perigosos, a mãe de Sunshine vai demonstrando um comportamento mais estranho. Restará a Sunshine aceitar seu destino e – juntamente com Nolan, a única pessoa que acredita na garota e seu único amigo na cidade – salvar sua mãe de um futuro tenebroso.

” O que senti na noite passada não foi saudade de casa. Saudade de casa deixa a pessoa triste, não com medo

Gente eu queria ler esse livro já fazia tanto tempo, mas tanto tempo, que eu não acreditei quando ele entrou em promoção na blackfriday por doze reais 😍 

E olha, me arrependi de não ter comprado antes, de ter me apegado a dinheiro. Eu amei a leitura, amei a história, os personagens, o desfecho..amei a autora ter curtido a foto no insta também rs…e eu acho que é ela na capa do livro heim.

Esse livro foi inspirado em uma série  de um canal no youtube que a autora produziu, dirigiu e atuou. O sucesso foi tanto que ela acabou tornando a história em uma série de livros. Esse é o primeiro que em inglês se chama ” The haunting of Sunshine Girl”. Se você lê em inglês então pode se preparar para comprar os dois últimos livros que serão lançados em Abril de 2017:” The Awakening of Sunshine Girl” e o último livro ” The sacrifice of Sunshine Girl”. 

sobrenatural-paige-mckenzie

O terceiro livro não tem capa definida.

A história é sobre Sunshine, uma garota de dezesseis anos que se muda para uma cidade nublada e fria com sua mãe Katherine. Logo na primeira noite Sunshine escuta passos e sons pela casa que a deixam de cabelo em pé. No decorrer dos dias as atividades paranormais se tornam mais intensas e apesar de ter provas claras, Katherine não acredita na filha. 

Disposta a resolver o mistério da nova casa, Sunshine começa a se ‘ comunicar’ com o fantasma que fica no seu quarto, mexendo em suas coisas e deixando recados. Ela descobre que esse fantasma é de uma garotinha que morreu afogada e mais, que existe um demônio na casa que está possuindo sua mãe e planeja matá-la. 

Em meio a noites mal dormidas, assombrações e questionando sua lucidez,  Sunshine conhece Nolan, um estudante da sua aula de artes que acredita em fantasmas e está disposto a ajudá-la.

” Mamãe estava só me provocando quando perguntou se eu me sentia segura em ficar em uma casa assombrada. Mas agora eu sei: depois que você se muda para uma, você nunca mais fica sozinha.”

” Eu a amo tanto que não vou deixar esse fantasma ou demônio ou poltergeist ou espírito das sombras ou o que quer que esteja nessa casa machucá-la”

O legal desse livro é que não tem enrolação, o fantasma aparece e ponto. As respostas não levam cinquenta páginas para aparecerem. Eu adorei! É claro que tem aquele drama adolescente, a garota que não se enturma, que não tem amigos…mas assim, isso é tão supérfluo perto de fantasmas e demônios…

A relação de Sunshine com sua mãe é muito linda! E a coragem dela em encarar esses fantasmas é surreal. Eu jamais ia dormir numa casa, ou ficar sozinha, sabendo que tem um fantasma e um demônio, um querendo falar comigo e outro possuindo minha mãe. SAI FORA 👀  😐 

Olha esse booktrailer maravilhoso do livro, eu fiquei com mais medo assistindo do que lendo rs

Booktrailer:

 

” Mas juro, quando estou perdendo a consciência, naquele ponto em que você está mais dormindo que acordado, ouço outra coisa. Uma frase pronunciada com voz infantil, não mais que um murmúrio: boa noite.

Curtiram? Eu recomendo a leitura com certeza!

Até a próxima.

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

Anúncios

Resenha: Desculpa se te chamo de amor, Federico Moccia

desculpa-se-te-chamo-de-amor

        Autor: Federico Moccia – Editora: Planeta     Ano: 2009 – Páginas: 413

Classificação 2/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino Americanas

Sinopse:

Niki é uma bela garota, é divertida, é inteligente. Tem 17 anos. Alex é um ‘garoto’ de quase 37. Separou-se há pouco, e sem uma razão clara, de sua noiva. Publicitário com grandes responsabilidades vê-se em crise no trabalho. Os dois se cruzam casualmente num pequeno acidente de trânsito. Niki gosta de Alex, Alex acha Niki divertida. A relação fica cada vez mais intensa. Não querem deixar a diferença de idade atrapalhar. O mundo dos adolescentes se choca com o dos adultos. Mas a vida dos dois nunca mais será a mesma. Este romance é a vontade de reencontrar a própria liberdade, a vontade de ter sentimentos verdadeiros, de amar sem convenções e sem muitos porquês. É o cotidiano, mas também o sonho.

Um livro divertido daqueles tipo mamão com açúcar, porém limita-se meramente em passar o tempo. A grande lição observada diz respeito as novas expectativas em relação ao amor romântico e a liberdade concedida por si mesmo para recomeçar.

A parte mais difícil já passou. Alessandro, 37 anos, é abandonado pela sua noiva, Elena. Espelhando seu desânimo, sua aflição é evidente.

“(…) quando alguém que você deseja se vai, você tenta mantê-lo com as mãos e espera assim prender também o seu coração. E não é assim. O coração tem pernas que você não vê”.

O homem não relutou. Não havia nada a ser feito a não esperar que a dor da perda passasse. Entretanto, em um dia supostamente ordinário, Alessandro choca com seu carro na motinha de uma garota chamada Nikki, de 17 anos e bem maluquinha, dando início a história dos dois.

Como Alessandro era um homem que levava seu trabalho bastante a sério, muita das vezes a vida não lhe proporcionava asas, mas depois que Nikki entrou em sua vida, fez parecer com que esta tivesse oscilações que o arrastava cada vez mais às coisas que ele nunca pensou que poderia lhe provocar tanto prazer.

Desculpa se Te Chamo de Amor nos faz indagar se a diferença de idade pode ser uma tangente irrefutável dentro de uma relação amorosa. Com isso, é apontado múltiplos obstáculos os quais os dois tiveram que enfrentar. Nenhum dos dois estavam certos do futuro, todavia sabiam que não conseguiriam mais um viver sem o outro.

Parece aquele típico enredo clichê de livro de adolescente. É… pois é. Ele é. Entretanto, não são esses clichês que nos deixam apaixonadas?

“(…) partem velozes. E Nikki, pouco depois, adormece por debaixo do edredom que a cobre. Ele a observa enquanto dirige e sorri. E ela parece aquela coisa tão linda para a qual não se encontram palavras”.

Espero que essa resenha tenha aguçado a curiosidade de vocês.

Ressalvo que este é meu ponto de vista, assim, abro um caminho para que vocês sintam-se a vontade e comentem quando e o que quiserem, pois a opinião de todos é valida!

Obrigada pela leitura!

assinatura nova luiza

Resenha: Nerve, Jeanne Ryan

CAPA-Nerve

      Autor: Jeanne Ryan – Editora: Outro Planeta Ano: 2016 – Páginas: 304

Classificação 3/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino Americanas

Sinopse:

Você já se sentiu desafiado a fazer algo que, mesmo sabendo que pode se arrepender depois, acaba levando em frente? A heroína deste livro também.
Vee cansou de ser só mais uma garota no colégio, e quer deixar os bastidores da vida para assumir seu merecido posto sob os holofotes. E o jogo online Nerve, febre nacional transmitida ao vivo, pode ser o início dessa trajetória de sucesso. Basta que ela clique no botão “Jogador” em vez de “Espectador” para entrar na disputa, que propõe, a cada etapa, um desafio novo.
A adolescente acaba formando uma dupla imbatível com Ian, um garoto desconhecido com quem trava contato ao se inscrever em Nerve. Juntos, vão galgando posições no jogo. Mas, conforme os dois avançam na disputa, os desafios ficam cada vez mais complexos… e perigosos.

” – Se quer mesmo se envolver com o nerve, acesse o site amanhã como observadora

Quando eu comecei a leitura eu senti que já tinha visto isso antes..e vi mesmo, ano passado quando li o livro The Game [ O jogo] 😳 😳 

Em nerve, a adolescente Vee trabalha como assistente em um teatro onde sua melhor amiga é a estrela da peça. Vee tem um vida bem comum, sem grandes emoções, principalmente depois de um mal entendido que a deixou de castigo pelo resto da vida. Cansada de todos dizendo que ela devia se arriscar mais, ela resolve fazer um desafio do jogo online Nerve. Mas só para provar que ela pode fazer umas loucurinhas quando quiser.

” É difícil acreditar que pouco antes eu estava deprimida atrás de uma cortina empoeirada vendo minha melhor amiga me esfaquear pelas costas. E agora? Prêmios, diversão e dinheiro, talvez. Adoro esse jogo”.

Esse jogo online disponibiliza desafios para os usuários, e quem fizer mais sucesso é selecionado para a etapa seguinte. Coisas simples, como virar um copo de água na cabeça no meio da cafeteria ou cantar bem alto em público…a cada jogada o desafio fica mais difícil e o prêmio aumenta…como uma bolsa de estudos, um carro, uma viagem…o interessante é que o jogo sabe o prêmio que o jogador quer e usa isso a favor.

E aí meus queridos que a Vee toma gosto e quando nota, está completamente envolvida e mais encrencada que nunca. 

” Solto um sorriso e respiro fundo. E de novo. É hora do show”

” Quanto mais rápido eu cumprir o desafio, maior é a chance de sobreviver a ele. Ou não desmaiar, pelo menos”.

No meio dos desafios ela encontra Ian, um outro jogador. Nerve decide que eles serão uma dupla e passam a realizar os desafios juntos. Além dos jogadores temos os observadores, eles pagam para assistir o jogo, sugerem desafios e muitas vezes acompanham as missões. 

Mas nem tudo é diversão. O jogo começa a tomar um rumo muito sombrio, com desafios pessoais que ameaçam relacionamentos e o bem estar da dupla. Mas os prêmios são tão bons que eles decidem ir até o desafio final. Esse desafio envolve todos os outros jogadores que conseguiram cumprir todas as missões e o jogo preparou uma grande surpresa para eles. Confesso que não gostei dessa parte, enrolou muito e ficou confuso…

” Todo mundo prende a respiração. Há sete pistolas penduradas no fundo do armário”

Mas no geral o livro é viciante! Li em dois dias e queria uma continuação. Super recomendado!

Recentemente saiu um filme inspirado no livro. Isso mesmo, inspirado. Porque NÃO TEM NADA A VER COM O LIVRO. Nada. Agora eu sei como os fãs de Percy Jackson se sentiram 💔 

Confere aqui o trailer:

É isso pessoal! O que acharam? Já leram ou assistiram o filme?

Conta aqui tudo o que passa nessas cabeçinhas!

Até a próxima.

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

Resenha: Órfão X, Gregg Hurwitz

orfao-x

         Autor: Gregg Hurwitz – Editora: Planeta     Ano: 2016 – Páginas: 336

Classificação 3/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino Americanas

Sinopse:

Quando garoto, Evan Smoak foi recrutado no orfanato onde vivia para fazer parte de um programa americano ultrassecreto. Rebatizado de Órfão X, ele foi treinado para ser um exímio assassino e enviado aos piores lugares do mundo para missões que ninguém mais conseguia executar. Depois de longos anos de atividade, Evan deixa o programa e usa as habilidades de agente secreto para “desaparecer” e viver para um único propósito, agora sob o codinome de “Homem de lugar nenhum”: salvar e proteger pessoas pobres e  indefesas como ele havia sido. No entanto, seu passado de matador sangrento passará a assombrá-lo e também a seus protegidos. Alguém tão bem treinado quanto ele – talvez um ex-colega de programa?– está na sua cola, para tentar eliminá-lo.

“Evan respirou. ‘Nunca leve para o lado pessoal. Não presuma nada. Nunca leve para o lado pessoal. Não presuma nada’, pensou ele.

Podia sentir o peso da pistola sobre o joelho. A arma estava sempre ali, leal e confiável, uma constante. Aço e chumbo reagiam de maneira previsível. Eram finitos, imutáveis, domáveis. Evan podia contar com eles.”

Evan Smoak é um assassino profissional, que foi treinado pelo governo num programa que transforma órfãos em máquinas de destruição. Lhe foi dado o codinome de Órfão X, e antes dele tiveram Órfãos com todas as letras do alfabeto.

Evan teve como mentor e treinador Jack, e quando ele é morto, o Órfão X decide fugir do programa e usar o que sabe para ajudar as pessoas. Muda-se para um apartamento em Los Angeles, onde através de um celular, que não pode ser rastreado, ele recebe as ligações pedindo sua ajuda.

Morena é uma garota de 17 anos que vive em um bairro humilde junto com a irmã de 11 anos, Carmen. Elas haviam sido abandonadas pelo pai e a mãe havia falecido fazia um ano. Morena sofria abusos sexuais pelo investigador William Chambers. Ela entra em contato com Evan, conhecido como o Homem de Lugar Nenhum, para pedir sua ajuda, pois teme o momento em que William resolva começar a abusar de sua irmã.

“- Você faz parte do que chamamos de Programa Órfão. É excepcionalmente equilibrado e muito comedido diante do desconhecido e foi escolhido para o programa justamente por ter essas qualidades. Há outros como você. Mas jamais os conhecerá.”

Evan encara essa missão e, rapidamente, põe fim à vida do investigador. Ele era assim, um anti-herói, um matador do bem, se é que isso existe. Após concluir a missão, ele despede-se de Morena e diz para ela encontrar outra pessoa que precise de ajuda e dar seu número de telefone.

Em meio a suas missões, ao fingir ter uma vida pacata, Evan conhece Mia, uma promotora de justiça, moradora de seu prédio, e seu filho de 8 anos Peter. Ele se aproxima cada vez mais dessa pequena família, tendo noção de como é uma vida normal.

“- O que faz você feliz?

Dessa vez, não houve intervalo entre pensamento e resposta:

– Suas sardas.

Mia entreabriu os lábios. Deu alguns passos para trás, para dentro do quarto. Ameaçou falar alguma coisa, mas parou.”

Apenas 5 dias após concluir a missão, ele recebe a ligação de Katrin pedindo sua ajuda, ela diz que foi indicada por Morena e está sob ameaça por dívidas de jogo. Ao encontrar com Katrin em um restaurante, eles sofrem um atentado, mas conseguem sair ilesos. Ela diz que o pai  dela, Sam, encontra-se nas mãos dos bandidos. Esses bandidos eram Slatcher e  Candy, comandados por Top Dog.

Evan começa uma investigação, mas ainda sem conseguir ajudar Katrin, não sabe a identidade nem o paradeiro de quem a ameaça, ele recebe outro telefonema, um pedido de ajuda de Memo Vasquez, que também diz tem sido indicado por Morena. Evan tinha deixado bem claro para Morena que ela deveria indicar somente uma pessoa, então vai atrás dela para descobrir o que aconteceu.

Um dos dois, ou Memo, ou Katrin, está mentindo, e Evan descobre que está sob ameaça, alguém quer ele morto. Agora terá que lutar para sobreviver, ao mesmo tempo em que tenta salvar as pessoas que pedem sua ajuda.

Órfão X é um livro de suspense com muita ação, onde nem tudo é o que parece. No desenrolar da história temos alguns flashbacks de quando Evan ainda era novo e estava em treinamento. Tem muitas partes com lutas, em que ele fica entre a vida e a morte, mas a última é a melhor de todas. O livro é cheio de momentos tensos e não tem quase nada de romance. Tem 59 capítulos e a partir do capítulo 37 é uma emoção atrás da outra.

Beijocas!

assinatura nova tábata

Resenha e frases: O pequeno príncipe, Antoine de Saint-Exupéry

pequeno-principe

                  Autor: Antoine de Saint-Exupéry                 Ano: 1943 – Páginas: 128

Classificação 4/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino l Americanas

Sinopse:

Um piloto cai com seu avião no deserto e ali encontra uma criança loura e frágil. Ela diz ter vindo de um pequeno planeta distante. E ali, na convivência com o piloto perdido, os dois repensam os seus valores e encontram o sentido da vida. Com essa história mágica, sensível, comovente, às vezes triste, e só aparentemente infantil, o escritor francês Antoine de Saint-Exupéry criou há 70 anos um dos maiores clássicos da literatura universal. Não há adulto que não se comova ao se lembrar de quando o leu quando criança. Trata-se da maior obra existencialista do século XX, segundo Martin Heidegger. Livro mais traduzido da história, depois do Alcorão e da Bíblia, ele agora chega ao Brasil em nova edição, completa, com a tradução de Frei Betto e enriquecida com um caderno ilustrado sobre a obra e a curta e trágica vida do autor.

” Eles não estavam contentes, lá onde eles estavam?
– Nunca estamos contentes onde estamos.”

Esses dias eu estava indo trabalhar toda chateada porque teria que pegar trem…e quem anda de trem em São Paulo sabe como é triste rs…e o pior, eu estava sem livro. Daí por sorte eu passei na frente daquelas máquinas que vendem livro e encontrei um lá do Pequeno Príncipe por 5,00!

Comprei principalmente porque eu precisava de ajuda para superar o desafio de ficar 25 minutos no trem hahaha

E eu reli o Pequeno Príncipe e fiquei surpresa de ter percebido coisas que eu nunca tinha notado quando li a primeira vez, com 12 anos de idade. Não vou dizer que eu entendi o livro, porque eu continuo sem entender, mas ele fez mais sentido. O livro trás a ingenuidade de uma criança e a importância de valorizar os sentimentos alheios.

Para quem não conhece, o livro conta a história de um homem que cai de avião no meio do deserto e depois de alguns dias encontra o pequeno Príncipe. Eles começam a conversar e o Príncipe começa a contar como acabou chegando na Terra. Ele passou por outros planetas, conheceu pessoas com personalidades diferentes e contou sobre sua amizade com sua rosa, que ele deixou no seu planeta e agora sente-se culpado por isso.

O livro tem MUITAS ANALOGIAS. Essa história com a rosa está fazendo minha cabeça fervilhar! A rosa era uma pessoa??? Ah e também tem frases ótimas, eu não conseguia passar uma página sem grifar alguma coisa.

Quem não leu e vê aquele povo postando a foto do chapéu e perguntando ” você vê um chapéu ou um elefante dentro de uma cobra“? Eu vou explicar, porque quem posta não explica. O aviador, conta que quando criança ele desenhou uma cobra que tinha engolido um elefante. Quando ele mostrava esse desenho para os adultos, todos viam um chapéu. Daí ele desenhou o interior da cobra e os adultos pediram para ele parar de desenhar essas coisas e se dedicar a geografia, cálculo…. Ele finaliza com ” as pessoas grandes não entendem nunca as coisas sozinhas e é cansativo para as crianças sempre e sempre dar-lhe explicações”. É interessante, não é? Pegou a coisa aqui?

As pessoas que o Pequeno Príncipe encontrou na sua viagem também serve como crítica ao mundo dos adultos. Pessoas que só pensam em trabalhar, em dinheiro ou em possuir coisas. 

Eu gostei muito do livro, gostei até da dedicatória rs.

E agora para terminar, separei algumas frases do livro para vocês. E fica aí o questionamento: o pequeno príncipe realmente existiu ou foi uma alucinação do aviador no meio do deserto?

separador

” – O que é essa coisa?
– Não é uma coisa, é um avião, ele voa.
– Então você também vem do céu? De qual planeta você é?
– Você vem de outro planeta então?
Mas ele não me respondeu.”opequenoprincipe

” Eu sofro tanto contando essas memórias. Já faz seis anos que meu amigo partiu com seu carneiro. Se eu tento descrevê-lo é para não esquecê-lo. É triste esquecer um amigo. Nem todos tiveram um amigo.”

”  – Um dia, eu vi o sol se pôr 44 vezes!
E um pouco mais tarde ele acrescentou:
   – Sabe…Quando estamos muito tristes, gostamos dos pores do sol…
   – No dia das 44 vezes, você estava muito triste, então?
Mas o pequeno príncipe não respondeu”

pequenoprincipe” Eu não soube entender nada! Eu deveria tê-la julgado por seus atos e não por suas palavras. Ela me perfumava e me iluminava. Eu não deveria nunca ter fugido! Deveria ter adivinhado sua ternura por trás de suas pobres astúcias. As flores são tão contraditórias. Mas eu era muito jovem para saber amá-la”

” – Você julgará a si mesmo então – respondeu-lhe o rei – É o mais difícil. É muito mais difícil julgar a si mesmo que julgar outrem. Se você conseguir julgar-se bem, então você é um verdadeiro sábio”

” – Apenas conhecemos as coisas que cativamos – disse a raposa – Os homens não têm mais tempo para conhecer nada. Eles compram coisas já prontas nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se você quer ser meu amigo, cative-me!”pequeno principe

” Eis o meu segredo. Ele é muito simples: só vemos bem com o coração. O essencial
é invisível aos olhos.”

separador

Incrível não é? Sentiu vontade ler? Já leu e quer me contar sua opinião? Gente, comenta! Eu adoro falar sobre livros rs

Até a próxima!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

Resenha: Qualquer outro lugar, A.G Howard

qualquer-outro-lugar

    Autor: A.G Howard – Editora: Novo Conceito Ano: 2016 – Páginas: 416

Classificação 3/5 ⭐️ 🚍

Compre aquil Submarino l Americanas

Sinopse:

Alyssa está tentando entrar novamente no País das Maravilhas. Os portais para o reino se fecharam, não sem antes levarem sua mãe. Jeb e Morfeu estão presos em Qualquer Outro Lugar, reino em que intraterrenos expulsos do País das Maravilhas estão vivendo.
Para resgatá-los, ela precisa recorrer à ajuda de seu pai. Juntos, eles iniciam uma missão quase impossível para tentar resgatar entes queridos, restaurar o equilíbrio dos reinos e o lugar dela como Rainha.
Alyssa precisa lutar não só com a Rainha Vermelha, um espírito malicioso que tem a intenção de refazer o País das Maravilhas à própria imagem, mas também reconstruir seu relacionamento com Jeb, o mortal que ela ama, e Morfeu, o ser fantástico que também reivindica seu coração.
E, se todos tiverem sucesso e saírem vivos, eles poderão finalmente ter o felizes para sempre .

” A toca do coelho, o portal para o reino interior, foi destruída por mim. E agora Qualquer outro lugar é a única porta de entrada.”

E finalmente a novo conceito liberou o último livro da saga! Todos ansiosos? Todos muito ansiosos! Morfeu ou Jeb? Quem a Alyssa vai escolher?

” – Eu amo você – eu sussuro, porque ele tem o direito de saber a verdade antes que eu o mate.”

O último livro começa como terminou o segundo, com a Alyssa e o pai indo para o País das Maravilhas. Muitas questões são esclarecidas e é tanta informação que eu fiquei confusa. Juro, não consegui entender muita coisa não hahah…mas isso é um problema meu mesmo, porque desde o primeiro livro eu tive dificuldade de imaginar o cenário, as roupas…O problema é que dessa vez eu não entendi a trama, eu só li e me deixei levar, sem pensar ou raciocinar.

Bom, como lembramos a Alyssa fechou a toca do coelho e agora ninguém consegue entrar ou sair do País das Maravilhas. A mãe de Alyssa, Jeb e Morfeu estão presos lá e o País das Maravilhas está correndo perigo porque a Rainha Vermelha e a Rainha de Copas estão com planos maléficos para repaginar o País e possuir o corpo de Alyssa. Novos parentes entram na trama, pessoas comuns ficam com poderes incríveis, até Lewis Carrol aparece na história! Ah e claro, temos romance, muito romance! Tanto com Jeb quanto com Morfeu, porque a Alyssa não perde tempo hahaha

” A metade intraterrena de meu coração se expande para se libertar das emoções humanas nele enredadas. Não haverá trégua até eu encontrar meus amados e consertar as coisas no País das Maravilhas”

” Quando eu encontrar a Rainha Vermelha, ela vai implorar para que eu só corte sua cabeça.”

Eu nunca gostei do Morfeu e nesse último livro não seria diferente. Cara arrogante, mentiroso, manipulador…sério, não consigo entender como tem leitor que defende ele. Eu fiquei ansiosa pelo momento em que a Alyssa daria uma surra nele ou mandasse ele embora de vez…Não gostei do desfecho com o Jeb também. E a Alyssa..ai, ai..eu sempre impliquei com ela porque a achava muito fraquinha, não tem personalidade ou opinião própria. E nesse livro ela continuou assim, só foi tomar as rédeas no final do livro. Mulher, você é a RAINHA do País das Maravilhas, põe ordem, mostra quem manda!

” – Finalmente eu tenho um segredo só meu. Não é tão divertido ficar do outro lado, heim?
– Pelo contrário minha Rainha. Não consigo imaginar nada mais delicioso do que despi-la de suas defesas, camada por camada, e desnudar seu precioso…segredo.”

Mas mesmo reclamando eu gostei da saga. Essa história sempre foi a minha preferida e ler outras versões é sempre divertido! Só um tipo de leitor vai gostar do final e tudo depende pra quem você torce: Morfeu ou Jeb.

Contem aqui a opinião de vocês. 

” – Minha preciosa Alyssa, compartilhe a realidade comigo. Dê-me a eternidade. Juntos causaremos os mais belos estragos.”

” – Justo? Todo esse tempo ele esteve com você nas horas em que estava acordada. Eu só a tinha durante seus sonhos. Quero você na realidade. Já esperei pelo que parecem ser mil anos. É hora da nossa eternidade começar.”

Ah e não acabou não! Ainda tem um quarto livro! Simmmmm! É aquele com a Alyssa vestida de noiva e com o título em inglês ‘ Untamed”. Sem previsão de lançamento aqui viu gente.  Mas ele é bem parecido com o livro ‘ A mariposa no espelho”, não é uma continuação, é uma versão estendida sobre o futuro da Alyssa. E pra terminar, fiquem com essas fan art que são lindas e merecem aplausos…os fãs são ótimos né! Só acho que faltou ilustração do Jeb 😦 

Até a próxima!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

 

Resenha: O jogo da mentira, Sara Shepard

o-jogo-da-mentira

   Autor: Sara Shepard – Editora: Rocco                  Ano: 2013 – Páginas: 296

Classificação 5/5 ⭐️ 🚍

Compre aquil Submarino l Americanas

Sinopse:

O jogo vai começar. Primeiro volume da nova série da autora de Pretty Little Liars, que ficou mais de 50 semanas no ranking do The New York Times e vendeu mais de cinco milhões de exemplares, O Jogo da mentira acompanha a história de duas gêmeas separadas ao nascer e unidas por um misterioso assassino. Com uma trama ainda mais intrincada e sombria, que tem início quando Emma resolve trocar de lugar com a irmã, a série repete a trajetória de sucesso de PLL, com um enredo repleto de suspense, intrigas e reviravoltas de tirar o fôlego, e uma bem-sucedida adaptação para a TV.

 

“Não me admira que Emma não consiga me ver. Não me admira que eu não aparecesse no espelho. Eu não estava ali. Eu estava morta!”

Já imaginou acordar sem memória em uma banheira e ver a si própria entrando pela porta, agindo como uma pessoa que você sabe que não é você?!  E o pior de tudo é descobrir que além dessa confusão, ninguém parece ver você por um simples e único motivo: Você está morta e agora é um fantasma! É exatamente isso que acontece com Sutton Mercer.

Beleza, antes de continuar me sinto na obrigação de avisar a você caro leitor que esse é o primeiro livro de seis e somente quatro chegaram a ser traduzidos para o português. Não porque os outros ainda não foram lançados, mas porque a série não fez tanto sucesso quanto a coleção Pretty Littles Liars.

saga-o-jogo-da-mentira

coleção completa

Mas continuando…

Sutton, depois de “acordar” morta em forma de fantasma, descobre que tem uma irmã gêmea que foi abandonada por sua mãe e não teve a sorte de ser adotada.

Emma Paxton, que sempre sonhou em ter uma família, descobre por um meio um tanto peculiar que tem uma irmã gêmea rica e marca um encontro com ela. Mas, o que era para ser um reencontro familiar se torna um pesadelo quando uma mensagem anônima chega as mãos de Emma dizendo que Sutton está morta e que se ela não se colocasse no lugar da irmã, acabaria perdendo a vida.

Sem saída, Emma decide se passar por Sutton, mesmo sem conhecer os hábitos da irmã e descobre que mais de uma pessoa (tipo toda sua família e amigos) são suspeitos do assassinato da irmã e que todos tem mais de mil motivos para odiar Sutton e querê-la morta!

O que mais me chamou atenção foi o fato do livro contar com dois pontos de vista dentro de um argumento (se é que você me entende): De um lado, Emma, que luta para se tornar uma Sutton tão boa quanto a original, ao mesmo tempo que tenta descobrir o assassino; E o de Sutton, que vai se redescobrindo, já que ela não se lembra de absolutamente nada de sua vida, apenas partes.

E tudo fica mais frustrante, porque Sutton não pode se comunicar com a irmã, portanto não pode contar das coisas que se lembra.

“Eu queria chorar, eu queria gritar, mas tudo que eu conseguia fazer era seguir Emma…’’

Bom, não vou continuar escrevendo, porque sou capaz de contar o livro todo, mas, se você não se importar de ler em inglês, eu super recomendo essa série. Em uma escala de 0 á 5 minha nota para esse livro é sem duvida um 5. Mas não se empolguem! As chances dos outros dois últimos livros serem traduzido é de 1 em 1 milhão. #Chateada. Mas, para vocês não dizerem que sou uma pessoa muito má por ter postado essa resenha, vou desejar um boa noite no estilo Sutton:

“Bons sonhos minha irmã gêmea há muito perdida. Eu a verei pela manhã…Ainda que você não me veja!”

assinatura leticia

Resenha: A rebelde do deserto, Alwyn Hamilton

a-rebelde-do-deserto

Autor: Alwyn Hamilton – Editora: Seguinte                   Ano: 2016 – Páginas: 288

Classificação 3.5/5 ⭐️ 🚍

Compre aquiSubmarino Americanas

Sinopse:

O deserto de Miraji é governado por mortais, mas criaturas míticas rondam as áreas mais selvagens e remotas, e há boatos de que, em algum lugar, os djinnis ainda praticam magia. De toda maneira, para os humanos o deserto é um lugar impiedoso, principalmente se você é pobre, órfão ou mulher.

Amani Al’Hiza é as três coisas. Apesar de ser uma atiradora talentosa, dona de uma mira perfeita, ela não consegue escapar da Vila da Poeira, uma cidadezinha isolada que lhe oferece como futuro um casamento forçado e a vida submissa que virá depois dele.

Para Amani, ir embora dali é mais do que um desejo — é uma necessidade. Mas ela nunca imaginou que fugiria galopando num cavalo mágico com o exército do sultão na sua cola, nem que um forasteiro misterioso seria responsável por lhe revelar o deserto que ela achava que conhecia e uma força que ela nem imaginava possuir.

” Aquilo doeu. Depois de quase dois meses de confiança, bastava ser uma garota para mudar tudo (p.161)”

 assinatura nova luiza

Resenha: A extraordinária garota chamada Estrela, Jerry Spinelli

a-extraordinaria-garota-chamada-estrela

Autor: Jerry Spinelli – Editora: Gutenberg            Ano: 2014 – Páginas: 192

Classificação 2/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino l Americanas

Sinopse:

A garota chamada Estrela. Ela é tão mágica quanto o céu do deserto. É tão estranha quanto seu rato de estimação. É tão misteriosa quanto seu próprio nome. Com um simples sorriso, ela captura totalmente o coração de Leo Borlock. Com sua alegria, ela incendeia uma revolução de liberdade e autenticidade no espírito de sua escola. No começo, os colegas encantam-se com ela por tudo o que a faz ser diferente. Mas isso começa a mudar, e Leo, apaixonado e apreensivo, percebe que a única coisa que pode salvá-la das críticas é a mesma que pode destruí-la: ser alguém comum. Nesta celebração do inconformismo, o premiado Jerry Spinelli tece um conto tenso e emocional sobre os percalços de precisar ser popular e da emoção e inspiração do primeiro amor.

“De todas as características incomuns de Estrela, essa para mim era mais marcante. As coisas ruins não a afetavam.”

Uma amiga minha me disse que esse era seu livro favorito, e quando alguém fala isso eu fico muito MUITO curiosa. Então ela me emprestou e hoje vamos falar um pouquinho dele. Simbora!

Quem narra a história é Leo Borlock. Ele mais a escola inteira se impressionaram quando uma aluna nova chamada Estrela ingressou no colégio. A primeira impressão dela foi chamar a atenção de todos pela sua aparência exageradamente incomum. Usava roupas e acessórios chamativos, além de tocar um instrumento chamado ukulele, parecido com um violão.

Além disso, Estrela tem uma personalidade maravilhosamente cativante! Deixava as pessoas ao seu redor felizes. Sempre se mostrou prestativa, acabando por ser chamada para o time de líderes de torcida, se tornando popular. Mas ela não se enchia disso, não inflamava o ego.

Porém, seus dias de popularidade chegam ao fim muito depressa. Isso porque, além das roupas, seu jeito também desagradava as pessoas. Não que havia algo de errado, ela simplesmente era boa demais. Mas convenhamos que Estrela é bem doidinha.

“Ao mesmo tempo, nos contínhamos. Porque ela era diferente. Diferente”.

Leo e Estrela haviam se tornado amigos bem próximos. Isso o incomodou, pois ele reparou que seus amigos da escola estavam ignorando-o com sucesso. Para ele, o que as pessoas acham ou o que vão achar é o mais importante. Tudo isso porque o viram andando com a garota.

“(…) todos desviavam de nós”.

Não bastava ser ignorada, Estrela era alvo de bullying. O mais fantástico era que ela não revidava. O seu interior permanecia da mesma maneira, independente da maldade de certos alunos. Como o próprio título diz, Estrela é extraordinária.

“Eles estavam todos em é agora, apontando os dedos, avançando, gritando, estivessem com o microfone ou não”.

Por fim, esse livro é direcionado para o público infanto juvenil, mas é indicado para todas as idades. A leitura é rápida, fácil e agradável. Além da mensagem, que é passada de maneira simples para o público jovem.

assinatura nova luiza

Resenha: Traços, Eduardo Cilto

traços

Autor: Eduardo Cilto – Editora: Outro Planeta      Ano: 2016 – Páginas: 272

Classificação 3/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino l Americanas

Sinopse:

Quando Matheus aceitou acompanhar Beatriz na festa do colégio, jamais imaginou que terminaria a noite participando de um ritual místico (de veracidade duvidosa) para saber o que o futuro reservava para ele e a amiga. Assim que as velas que os cercavam se apagam e uma resposta esquisita encerra a cerimônia, Beatriz leva o resultado a sério e entende que deve fugir da cidade pequena para se encontrar com seu destino nas ruas da capital de São Paulo. Perdido no meio de tudo, Matheus é obrigado a repensar o que considera certo ou errado quando é convidado para participar do plano maluco de fuga e decide que precisa passar por cima dos limites impostos pelos pais para finalmente ser capaz de entender quem realmente é. Os dois amigos partem sozinhos para São Paulo e carregam consigo não somente as malas nas costas, mas também o peso de todos os problemas que achavam que estavam deixando para trás. Sem ter ideia do que estão enfrentando, Matheus e Beatriz descobrem mais sobre si mesmos, criam, quebram laços e encaram desafios que jamais pensaram que confrontariam enquanto contavam as moedas para realizar esse grande plano que iria mudar suas vidas para sempre.

” A vida pode ser muito parecida com os quadrinhos, pois ambos tem alguém controlando o que acontece; no caso você é o desenhista da sua própria história, e os traços feitos são as ações que toma para designar o rumo que sua vida seguirá. Então tenha consciência de que, a partir de agora, é você quem define o desenho que seus traços vão formar.”

Olha, eu acho que se eu tivesse 16 anos eu teria amado essa história! Mas no auge dos meus cabelos brancos, cheia de boleto pra pagar, confesso que os personagens me irritarem com a falta de responsabilidade! 

Mas uma coisa é certa, a história é bem escrita e gostosa de ler. Matheus e Beatriz formam uma dulpa que não deveriam ir na padaria juntos. Não dá pra confiar hahaha

Matheus foi um personagem que eu gostei muito. Ele é um adolescente muito  tranquilo, muito comum. Ele tem um lado nerd, tem um problema de relacionamento com o pai, é apaixonado por Beatriz, tem poucos amigos…assim, não fede nem cheira, mas ele seria meu amigo na escola com certeza! É uma pessoa muito boa e disposto a ajudar os amigos.

Agora a Beatriz…aff. Que garotinha escrota. Mimada e egoísta. Não sei como o Matheus pode se apaixonar por ela. Pensa numa pessoa que é má influência e multiplica por dez. O resultado é a Beatriz. E o pior, a Beatriz é fã de um youtuber ( pois é, eu disse que isso era o pior)  e foge de casa para encontrar ele em São Paulo. Como ela não quer ir sozinha, já que ir sozinha é chato, ela envolve o Matheus e o convence a fugir com ela. Ele vai né, adolescente apaixonado faz cada coisa.

” Ás vezes, as pessoas se deixam cegar pelo número infinito de expectativas que as cerca e acabam não percebendo que o que elas mais querem está na frente do próprio nariz, não exatamente como imaginam, mas muitas vezes de um jeito até melhor do que o esperado.”

A viagem é marcada por vários acontecimentos. Carona com drag queens, documentos falsos, youtubers sendo desmascarados, sequestro, policia, reencontros…com certeza ambos tiraram uma lição.  A escrita do autor é muito madura e em muitos momentos encontramos mensagens de motivação e reflexão. Pela primeira vez encontrei um livro escrito por um youtuber que não foi feito para falar de si próprio e sim contar uma história.

” O mundo pode ser extremamente assustador e hostil quando você é forçado a encará-lo sem estar preparado. Mas é assim que as coisas sempre acontecem.”

” – O que quero dizer é que até o Super-Homem, que é o cara mais forte do mundo, fica fraco quando encontra uma pedrinha de kryptonita de vez em quando. Você vai ficar bem, vai dar tudo certo!”

O engraçado é que esse não é um romance. Não tem momentos fofos, de carinho, declarações de amor, pegação ou beijos.  Ele se encaixa melhor em uma categoria de aventura. 

Finalizando…esse livro é voltado para o público juvenil, pois trás muitas situações que vivemos nessa idade e também conta com referências desse mesmo universo. Fica a dica de leitura e para presentear!

Até a próxima.

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

Resenha: Jogos Macabros, R.L Stine

jogos macabros

      Autor: R.L Stine – Editora: Globo Livros              Ano: 2016 – Páginas: 280

Classificação 5/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino l Americanas

Sinopse:

Conhecido mundialmente por seus livros de terror e suspense, com centenas de milhões de exemplares vendidos, R. L. Stine desponta no cenário da ficção juvenil pela genialidade na criação de enredos sinistros. O“Stephen King da literatura juvenil” ficou famoso na década de 1990 com a aplaudida coleção Rua do Medo. Quase duas décadas depois do último volume, Stine atende aos pedidos dos leitores e lança o livro inédito Jogos macabros, publicado no Brasil pela Globo Alt.

Tal como os outros títulos da coleção, a história se passa na velha cidade de Shadyside, nos EUA, conhecida por ser palco de acontecimentos misteriosos e aterrorizantes envolvendo os alunos da escola local. Todos na região conhecem a excêntrica e rica família Fear, e sabem também do passado terrível que os assombra. Apesar desses histórico nada promissor, Brendan Fear parece ser um garoto diferente de sua família. Gentil e simpático, o jovem vive rodeado de colegas e chama a atenção de Rachel Martin, uma garota simples, colega de classe dele.

Quando o aniversário de Brendan está prestes a chegar, ele começa a planejar uma comemoração um tanto diferente na isolada ilha do Medo, onde existe um casarão de veraneio pertencente à família Fear. Rachel é uma das convidadas para passar o final de semana no local sombrio e, contrariando os avisos dos amigos, decide ir. No caminho, coisas estranhas já começam a acontecer e, ao chegarem à mansão, Brendan dá as coordenadas para o início de um jogo que se revelará o mais mortal de todos.

Repleto de reviravoltas, Jogos macabros mantém o leitor apreensivo da primeira à última página. Como todo bom enredo de R. L. Stine, a história dá espaço a fantasmas, assassinato, traição e romance, e marca, enfim, um retorno triunfal do autor à Rua do medo.

” Só fico contente por ter descoberto o psicopata que você é ” (p. 40).

Rachel Martin trabalha em um café após o período de estudo. É durante um de seus turnos que ela é convidada para a festa de aniversário de 18 anos pelo (lindo, maravilhoso, encantador, crush eterno) Brendan Fear. Aquilo a desconcertou bastante, pois ele nunca havia se dirigido à ela. Sem nem relutar, Rachel aceita o convite e é assim que sua melhor amiga, Amy, e seu ex, Mac, enlouquecem. 

Os Fear era conhecida por ter um passado tenebroso e mistérios obscuros, o que garantia todos a distância. Ninguém era louco o suficiente para se misturar àquela família. Por esse motivo, o que não faltou foram reprovações de seus amigos. Apesar disso, Rachel já estava decidida. 

A festa, que duraria a noite toda, ocorreria na ilha do Medo na casa de Veraneio dos Fear (Essa da foto. Assustadora, não é?). Para chegar lá, um barco ficou responsável pela travessia do grupo de convidados. Já estava escuro quando chegaram. Eles são levados por uma trilha de terra em meio a mata até alcançarem a casa. Chegando lá, o grupo é surpreendido com um jogo criado pelo aniversariante: cada um, junto a sua dupla, deveria procurar objetos (take a look no que tinha na lista: pernas de corvo, tarântula viva, um dedo de múmia) escondidos pela casa descritos em um envelope que receberam ao chegar. O que eles não sabiam era que o jogo se inverteria e eles que acabariam tendo que se esconder.

” Eu não tinha como saber que o pesadelo havia apenas começado ” (p.56).

Gostei bastante do ambiente e dos personagens. Tem toda aquela turma divertida, do tipo high school. Dá uma pegada teen com suspense.

” Cada folha que soprava em meu tornozelo me assustava. Cada sombra que se movia fazia eu me encolher de medo” (p. 271).

O que mais me impressionou foi a maneira que R.L. Stine conduziu a história. Não consigo explicar o quão perfeita sua escrita é! Ele escreve cadeias que se encaixam perfeitamente nas que se sucedem. Gostei muito também do fato de não detectar aqueles tipos de parágrafos que só estão lá para encher as páginas.

Confesso que não estava esperando gostar tanto do livro. O nome parece clichê, mas podem ter certeza de que sua história não é. Pela experiência com a leitura do autor, sei que sempre tem uma surpresinha no final, mas igual a de Jogos Macabros nunca vi! Se eu já gostava do autor, depois desse livro virei fã de carteirinha!

assinatura nova luiza

Resenha: A droga da obediência, Pedro Bandeira

a droga da obediencia

Autor: Pedro Bandeira – Editora: Moderna                Ano: 2003 – Páginas: 192

Classificação 5/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino l Americanas

Sinopse:

Num clima de muito mistério e suspense, cinco estudantes — os Karas — enfrentam uma macabra trama internacional: o sinistro Doutor Q.I. pretende subjugar a humanidade aos seus desígnios, aplicando na juventude uma perigosa droga! E essa droga já está sendo experimentada em alunos dos melhores colégios de São Paulo.
Esse é um trabalho para os Karas: o avesso dos coroas, o contrário dos caretas!

 

Pedro Bandeira: Gênio das palavras, inventor do mistério, dono da minha (e da de milhões de brasileiros) infância. Sem sombra de duvida esse cara é um dos meus autores favoritos! E sem sombra de duvidas “A Droga da Obediência” é o meu livro favorito.

A trama narra a história de quatro amigos (que mais tarde viram cinco), Miguél, Calú, Magrí e Crânio, que formaram um tipo de organização secreta no colégio Elite, com o propósito de investigar o que fosse; Esses são os Karas!

Os Karas se reuniam em um velho galpão, que ficava escondido no quartinho dos zeladores, e até então, nunca haviam tido uma missão de verdade. Até que em uma certa manhã o líder dos Karas convoca todos para uma reunião. Ele só não contava que nessa reunião haveria um intruso, Chumbinho: O único menino de todo o colégio Elite que sabia tudo sobre os Karas. Cada sinal, cada reunião, cada código dos Karas estava sob o conhecimento do pequeno intruso.

Depois de se “divertirem” com o mais novo integrante da turma, os Karas começam a investigar o desaparecimento de vários jovens, que parecem estar conectados. Bom, se eu continuar falando, te conto a história inteira… Te conto como os Karas, cinco adolescentes (que são considerados crianças e por isso nunca são levados a sério) descobriram uma droga que mudaria o mundo e assim o salvaram (na boa, meu sonho é viver uma aventura tipo a dos Karas, ou fazer parte do elenco do filme [sim eu ainda estou a espera do filme] ou até mesmo escrever o roteiro do filme), te conto sobre os pequenos romances que foram delicadamente inseridos na narrativa (ta parei!).

Mas, falando sério, o que eu mais gostei desse livro é que ele te faz pensar sobre até que ponto o ser humano pode chegar por poder. Eu cheguei a conclusão que aos poucos, estamos vendendo nossa humanidade por pedaços coloridos de papel, e isso me assusta!

Mas, voltando ao livro: De 0 á 5 minha nota é 5 (e vocês sabem o quanto é difícil um livro ganhar 5 em minhas mãos). O autor soube criar um plano perfeito sobre a dominação do mundo, que é um tema muito usado em desenhos e criar vilões e heróis que condizem com a realidade.

Espero que gostem da leitura e que se um dia tiverem que salvar o mundo, me chamem! Ah e não se esqueça que o vilão é aquele que você menos espera!

assinatura leticia

Resenha: Atlântida, o enigma perdido de Flystwick, Ronnyel Sanpe

ATLÂNTIDA O ENIGMA PERDIDO DE FLYSTWICK

Autor:  Ronnyel Sanpe – Editora: Giostri              Ano: 2016 – Páginas: 266

Classificação 3/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino Americanas

Sinopse:

Após longos anos separados, 4 amigos reúnem-se para encontrar um enigma deixado por um historiador chamado John Flystwick. Desvendar esse enigma pode levá-los ao tesouro do rei de Atlântida, sendo isso uma prova irrefutável de que tal local existiu. Uma grande aventura repleta de acontecimentos surpreendentes e a descoberta dos maiores segredos de uma civilização há muito tempo perdida.

 

 

” – Me encontraram – sussurou penosamente para si mesmo. Mas como? Ninguém além da velha senhora sabia da sua existência. O que ele poderia ter feito para ser descoberto?
Não importava, ele tinha que fugir.”

Antes de tudo: muito obrigada Ronnyel por esse livro incrível! E muito obrigada por ter autografado ele! Meu primeiro livro com autógrafo!

Tudo começa quando as crianças Carol, Victor, Mônica e Diogo ouviram pela primeira vez a história do tesouro do rei de Atlântida, contada pelo Sr. Antônio, avô de Camila. Apesar de ficarem impressionados eles não levaram a história adiante, afinal todos acharam que era apenas uma história. Anos depois eles se reencontram no velório Sr. Antônio e descobrem que ele deixou em testamento um baú para Vitor. Para surpresa geral, dentro do baú tem um mapa para o tal tesouro! O que era uma simples história acaba se tornando a maior aventura da vida deles! Por que convenhamos, se aparece um mapa do tesouro em suas mãos, você vai atrás né?

Bom, eu vou.

” Descobrindo que o tesouro era real, ele não só descobriu um tesouro antigo. Descobriu a prova que faltava de que Atlântida realmente existiu, e que havia uma grande população no continente que afundara.”

” Essas perguntas não saíam da cabeça do rapaz. O que mais o deixava nervoso não eram as perguntas e sim a agonia de não ter as respostas para elas.”

E a jornada se torna uma missão no estilo ‘ Indiana Jones’, tem enigma, perseguição, mapa, tiroteio, descoberta de civilização…E tudo isso no Brasil! Sim! E o mais legal é que tudo acontece no nordeste. O autor soube usar muito bem as cidades para criar um clima de mistério.

” – Você mente…- grunhiu  velho. – Eu sei o que vocês querem. E digo: lá vocês não vão encontrar nada. Apenas a morte e coisas aterrorizantes. Coisas que vocês jamais viram nas suas vidas. “

Outro ponto positivo é que eu aprendi mais sobre o Brasil e as cidades. Tem uma passagem que os amigos vão na Pedra da Galinha Choca, no Ceará e rola um comentário que nesse lugar rodaram o  filme dos Trapalhões. Gente me bateu uma nostalgia…quase chorei. Eu vi esse filme! rs

E sobre a cidade de Atlântida, eu amei a ideia de como ela ainda existe e tem até um vocabulário próprio do lugar! Eu queria que boa parte do livro tivesse acontecido nela e não na  busca do tesouro. Talvez a história tenha uma continuação e isso aconteça..quem sabe 😎 Ah e os personagens…gente não consegui sentir simpatia por nenhum rs…tinha hora que eu torcia pra alguém levar um tiro ou cair num buraco hahaha..

E vocês, se interessam por cidades perdidas, tipo Atlântida? Eu acho incrível!

Fico aqui aguardando os comentários de vocês!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

Resenha: A estrela que nunca vai se apagar, Esther Earl

A-Estrela-que-nunca-vai-se-apagar

Autor: Esther Earl – Editora: Intrínseca               Ano: 2014 – Páginas: 448

Classificação 5/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino Americanas

Sinopse:

A Estrela Que Nunca Vai Se Apagar conta a história de Esther Grace Earl, diagnosticada com câncer da tireoide aos 12 anos. A obra é uma espécie de diário da jovem, com ilustrações, fotos de seu arquivo pessoal, textos publicados na internet, bate-papos com os inúmeros amigos que fez on-line e reproduções de cartas escritas em datas comemorativas como aniversários. A jovem perdeu a batalha contra a doença, mas deixou um legado de otimismo e celebração ao amor. Atualmente sua mãe, Lori Earl, preside a instituição sem fins lucrativos This Star Won´t Go Out (tswgo.org), que apoia pacientes e famílias que lutam contra o câncer.

” Apenas seja feliz, e, se não conseguir ficar feliz, faça coisas que te deixem feliz.”

Quando eu comecei a ler esse livro eu já sabia que a Esther não tinha sobrevivido mas mesmo assim eu fiquei com esperança. E eu chorei heim! Ô sofrimento!

Esse é um livro lindo, uma história real e principalmente uma lição de vida! Eu fiquei surpresa em ver como uma adolescente pode falar tantas coisas inteligentes, como se já tivesse vivido muito. O livro é composto por trechos do diário de Esther, fotos pessoais, postagens da família no blog e declarações de amigos e médicos.

É muito amor em 448 páginas. São muitos sentimentos…De verdade, leia! 

trecho a estrela que nunca vai se apagar

Esse trecho destruiu meu coração 😦

Ah uma curiosidade, muitas pessoas pensam que o livro ‘ A culpa é das estrelas’ foi baseado na vida de Esther. Mas não é. Esther serviu de inspiração para a história mas não tem nenhuma relação com a vida dela. Não existiu nenhum Gus, viagem para conhecer um escritor, visitar a casa de Anne Frank…Mas mesmo assim é uma linda homenagem de John Green para Esther. Ah e eles se conheceram mesmo! Foram amigos e tudo mais! Legal né 🙂 

É isso! Leiam e comentem, comentem se já leram, comentem sobre o tempo, sobre as olimpíadas..hahaha…brincadeira!

” Lembrem-se que vocês tem sorte, mesmo se acharem que não tem. Porque sempre tem alguma coisa pela qual ficar agradecido.”

Até a próxima!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

Resenha: O Mensageiro, saga O Doador, livro 03 , Lois Lowry

o mensageiro

           Autor: Lois Lowry – Editora: Arqueiro              Ano: 2016 – Páginas: 160

Classificação 2/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l SubmarinoAmericanas

Sinopse:

Há seis anos, Matty chegou ao pacato Vilarejo. Sob os cuidados de Vidente, um cego que tem uma visão especial, ele amadureceu e se adaptou à nova vida. Agora, espera receber seu nome verdadeiro, que determinará seu valor ali, como ocorre com todos os habitantes.

Contudo, algo nefasto está se infiltrando no Vilarejo, e os moradores, antes orgulhosos de receber forasteiros, passam a exigir que as fronteiras sejam fechadas para se protegerem.

Por ser um hábil mensageiro, Matty é encarregado de avisar os outros povoados sobre o bloqueio. Sua missão também tem outro grande objetivo: buscar Kira, a filha de Vidente, antes que seja tarde demais.

Ele é o único capaz de viajar pela Floresta, que já provocou algumas mortes. O problema é que ela também está se tornando um lugar perigoso para o garoto. Mas muitos dependem de Matty. Então, armado apenas de um poder recém-descoberto, ainda incompreensível e incontrolável, ele se arriscará a fazer o que talvez seja sua última viagem.

” Mas agora sabia que em toda parte, espalhadas pelos quatro cantos do mundo conhecido, existiam comunidades onde as pessoas sofriam. Nem sempre de surras ou à fome, como havia acontecido com ele, mas por causa da ignorância. Por não saberem. Porque eram privadas do conhecimento.”

Mas que diacho aconteceu com a autora que ela pirou de vez nessa história?

Gente eu sou super fã dessa saga, os dois primeiros livros ( O doador e A Escolhida) me conquistaram rapidamente! Mas esse terceiro livro, sei lá, me incomodou viu. Não entendi.

Nessa continuação conhecemos melhor Matty. Quem leu o segundo livro sabe quem é! Lembra que a Kira tinha um amigo, um menininho sujo que morava na rua e vivia seguindo ela com um cachorro, o pitoco? Então, é o mesmo Matty 🙂 Ele conseguiu fugir dessa comunidade e ir para o Vilarejo.

Esse livro é legal porque tem referências e personagens dos dois primeiros livros e bate aquela nostalgia sabe? Mas então, nesse livro Matty deve ter por volta de 15 anos e ele é o encarregado de levar as mensagens de uma cidade a outra. Tipo um carteiro & correios. Esse Vilarejo é interessante porque ele fica rodeado por uma floresta com vida própria. Se você tenta ir embora ela te ataca, muitas vezes só de entrar na floresta ela já começa a te machucar. E Matty é o único que consegue atravessá-la sem ser atingido.

“- Não entendo exatamente o que é – continuou Líder – Mas consigo ver que a Floresta está ficando mais densa, como um…- Ele hesitou – Eu ia dizer ” como um coagulo de sangue”. Como algo que vai ficando mais vagaroso e doente.”

Mas devido a alguns acontecimentos, digamos sobrenaturais no Vilarejo, a floresta e as pessoas começam a mudar e Matty tem uma missão. Gente, uma loucura, sério. Eu estou até com vontade de ler todo o livro novamente para ver se entendo a história. Espero que o próximo livro, o último da saga, seja melhor. Que feche com chave de ouro! Os livros da saga são todos curtos então não dá para falar muito sobre a história. Mas esse é bem diferente dos dois primeiros.

Ahhh e deixa eu falar uma coisa! Não deveria mas vou falar! Se você não quer ler um spoiler então para aqui! A resenha acabou. Agora se você quer saber, continua de-de-descendo:.
.
.
.
.
.
. Você vai ler?
.
.
.
.
.
.
.
.
.Certeza? Eu vou contar!
.
.
.
.
.
.
.
.
.A Kira e o Jonas se encontram! E surge uma faísca de amor. Ownnnn ❤

Espero que vocês tenham gostado e comentem aqui, vamos falar desse livro intrigante!

Até a próxima!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys