Lançamentos de Março e Abril!

Olha que maravilha esses lançamentos, ai meu coração, ai meu dinheirinho! Escolhi os lançamentos que quero para minha estante, mas vocês podem conferir todos  no site do skoob!

Olhe e chore de emoção:

WICKEDSinopse: Imagine acompanhar a clássica e prestigiada história de O Mágico de Oz, de L. Frank Baum, pela perspectiva de Elfaba, a Bruxa Má do Oeste! Em Wicked, Gregory Maguire nos proporciona essa chance de conhecer o outro lado da moeda, e mergulhamos novamente no fantástico mundo da Terra de Oz.
Neste livro, descobrimos todos os detalhes da vida da garota de pele verde que cresceu cercada de desafios e preconceitos, até se tornar uma bruxa infame uma esperta, irritadiça e incompreendida criatura que põe à prova todas as noções sobre a natureza do bem e do mal. A improvável amizade da Bruxa Má do Oeste e Glinda, a Bruxa Boa do Norte, donas de personalidades tão opostas que se tornam melhores amigas; a rivalidade das duas ao se interessarem pelo mesmo homem; e a reação ao governo corrupto do Mágico de Oz também estão no foco de Wicked.

separador

profissão reporter

Sinopse: Comandado por Caco Barcelos, considerado por muitos o melhor jornalista da TV brasileira, o programa Profissão Repórter chega a uma década de existência com o chamado sucesso de público e de crítica. Ao longo de cerca de 250 programas, a produção semanal, exibida na TV Globo, conquistou inúmeros prêmios, foi objeto de estudo em universidades e virou referência para quem quer ser repórter. O livro Profissão Repórter 10 anos grandes aventuras, grandes coberturas comemora este aniversário trazendo o relato dos jornalistas que fizeram vinte das melhores reportagens exibidas pela TV Globo.
Mais do que apenas um relato dos bastidores, os autores das reportagens revelam um pouco da alma de cada programa onde, como diz Caco Barcelos, a estrela principal tem que ser e é a reportagem de qualidade.

separador

ALUCINADAMENTE_FELIZ_1457718133571109SK1457718133BSinopse: Jenny Lawson está longe de ser uma pessoa comum. Ela mesma se considera colecionadora de transtornos mentais, já que é uma depressiva altamente funcional com transtorno de ansiedade grave, depressão clínica moderada, distúrbio de automutilação brando, transtorno de personalidade esquiva e um ocasional transtorno de despersonalização, além de tricotilomania (que é a compulsão de arrancar os cabelos). Por essa perspectiva, sua vida pode parecer um fardo insustentável. Mas não é.
Após receber a notícia da morte prematura de mais um amigo, Jenny decide não se deixar levar pela depressão e revidar com intensidade, lutando para ser alucinadamente feliz. Mesmo ciente de que às vezes pode acabar uma semana inteira sem energia para levantar da cama, ela resolve que criará para si o maior número possível de experiências hilárias e ridículas a fim de encontrar o caminho de volta à sanidade.É por meio das situações mais inusitadas que a autora consegue encarar seus transtornos de forma direta e franca, levando o leitor a refletir sobre como a sociedade lida com os distúrbios mentais e aqueles que sofrem deles, sem nunca perder o senso de humor. Jenny parte do princípio de que ninguém deveria ter vergonha de assumir uma crise de ansiedade, ninguém deveria menosprezar o sofrimento alheio por ele ser psicológico, e não físico. Ao contrário, é justamente por abraçar esse lado mais sombrio da vida que se torna possível experimentar, com igual intensidade, não só a dor, mas a alegria.

separador

THE_KISS_OF_DECEPTION_1460033683369382SK1460033683B

Sinopse: Tudo parecia perfeito, um verdadeiro conto de fadas menos para a protagonista dessa história. Morrighan é um reino imerso em tradições, histórias e deveres, e a Primeira Filha da Casa Real, uma garota de 17 anos chamada Lia, decidiu fugir de um casamento arranjado que supostamente selaria a paz entre dois reinos através de uma aliança política. O jovem príncipe escolhido se vê então obrigado a atravessar o continente para encontrá-la a qualquer custo. Mas essa se torna também a missão de um temido assassino. Quem a encontrará primeiro?
Quando se vê refugiada em um pequeno vilarejo distante o lugar perfeito para recomeçar ela procura ser uma pessoa comum, se estabelecendo como garçonete, e escondendo sua vida de realeza. O que Lia não sabe, ao conhecer dois misteriosos rapazes recém-chegados ao vilarejo, é que um deles é o príncipe que fora abandonado e está desesperadamente à sua procura, e o outro, um assassino frio e sedutor enviado para dar um fim à sua breve vida. Lia se encontrará perante traições e segredos que vão desvendar um novo mundo ao seu redor.

separador

PARA_PODER_VIVER_1458152330563126SK1458152330BSinopse: Em narrativa memorável, uma jovem norte-coreana conta como escapou de uma das mais sanguinárias ditaduras do planeta.
Yeonmi Park não sonhava com a liberdade quando abandonou a Coreia do Norte. Mas sabia que fugir era a única maneira de sobreviver à fome, às doenças e ao governo repressor. Este livro é a história da luta de Park pela vida. O leitor acompanha sua infância no país mais sombrio do mundo. Em seguida, testemunha sua fuga, aos treze anos, pelo submundo chinês de traficantes e contrabandistas. Emociona-se com seu périplo pela China através do deserto de Gobi até a Mongólia, guiada pelas estrelas, em direção à Coreia do Sul. Vibra com seu papel como ativista pelos direitos humanos. Antes dos 21 anos, Yeonmi acumulou experiência suficiente para encantar todas as gerações de leitores neste livro memorável.

separador

O_QUARTO_DIA_1457547359570727SK1457547359B (1)

Sinopse: Em O Quarto Dia, Sarah Lotz conduz o leitor por uma viagem de réveillon que tinha tudo para ser perfeita. Mas às vezes o novo ano reserva surpresas desagradáveis…
Janeiro de 2017. Após cinco dias desaparecido, o navio O Belo Sonhador é encontrado à deriva no golfo do México. Poderia ser só mais um caso de falha de comunicação e pane mecânica… se não fosse por um detalhe: não há uma pessoa viva sequer no cruzeiro.
As autoridades acham indícios de uma epidemia de norovírus, mas apenas descobrem os corpos de duas passageiras. Para piorar, todos os registros e gravações de bordo sofreram danos irreparáveis.
Como milhares de pessoas podem ter sumido sem deixar rastro? Teorias da conspiração se alastram, mas só há uma certeza: 2.962 passageiros e tripulantes simplesmente desapareceram no mar do Caribe.

separador

A_HISTORIA_DE_NOS_DOIS_1458317944572561SK1458317944BSinopse: Emma tem 27 anos, é linda e inteligente e vive cercada de pessoas que ama. Prestes a se casar com Richard, seu namorado desde a época de escola, ela não poderia estar mais empolgada.
Mas o que deveria ser o momento mais feliz de sua vida de repente vira uma tragédia. Emma sofre um acidente e é salva por um estranho minutos antes que o carro em que ela viajava explodisse.
Abalada, ela decide adiar o casamento. E nesse meio-tempo descobre segredos que a fazem questionar as pessoas nas quais sempre confiara a ponto de duvidar se deve se casar afinal.
Para complicar, ela se sente cada vez mais ligada a Jack, o homem que a salvou e que não sai da sua cabeça. Jack é lindo, gentil e divertido, de um jeito diferente de todos que ela já conheceu. Por outro lado, é Richard quem ela sempre amou…
Uma mulher, dois homens, tantos destinos possíveis. Como essa história vai terminar?

separador

QUALQUER_OUTRO_LUGAR_1459975153576518SK1459975153B

Sinopse: Alyssa está tentando entrar novamente no País das Maravilhas. Os portais para o reino se fecharam, não sem antes levarem sua mãe. Jeb e Morfeu estão presos em Qualquer Outro Lugar, reino em que intraterrenos expulsos do País das Maravilhas estão vivendo.
Para resgatá-los, ela precisa recorrer à ajuda de seu pai. Juntos, eles iniciam uma missão quase impossível para tentar resgatar entes queridos, restaurar o equilíbrio dos reinos e o lugar dela como Rainha.
Alyssa precisa lutar não só com a Rainha Vermelha, um espírito malicioso que tem a intenção de refazer o País das Maravilhas à própria imagem, mas também reconstruir seu relacionamento com Jeb, o mortal que ela ama, e Morfeu, o ser fantástico que também reivindica seu coração.
E, se todos tiverem sucesso e saírem vivos, eles poderão finalmente ter o felizes para sempre .

separador

A_GAROTA_PERFEITA_1460065253576750SK1460065253BSinopse: Mia, uma professora de arte de 25 anos, é filha do proeminente juiz James Dennett de Chicago. Quando ela resolve passar a noite com o desconhecido Colin Thatcher, após levar mais um bolo do seu namorado, uma sucessão de fatos transformam completamente sua vida.
Colin, o homem que conhece num bar, a sequestra e a confina numa isolada cabana, em meio a uma gelada fazenda em Minnesota. Mas, curiosamente, não manda nenhum pedido de resgate à familia da garota. O obstinado detetive Gabe Hoffman é convocado para tocar as investigações sobre o paradeiro de Mia. Encontrá-la vira a sua obsessão e ele não mede esforços para isso.
Quando a encontra, porém, a professora esté em choque e não consegue se lembrar de nada, nem como foi parar no seu gélido cativeiro, nem porque foi sequestrada ou mesmo quem foi o mandante. Conseguirá ela recobrar a memória e denunciar o verdadeiro vilão desta história?

separador-lápiz-3

Ficamos com desejo? Ficamos com desejo!

Estamos sem dinheiro? Estamos sem dinheiro!

Mas o importante é que em último caso podemos ler em PDF hahahah

Tem algum lançamento que você está louco para ler? Conta aqui 😀

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

Resenha: A Casa Assombrada, John Boyne

a casa assombrada

Autor: John Boyne    Editora: Companhia das Letras Páginas: 296                Ano:  2015

Classificação 3.5 ⭐️ 🚍

Á venda l Submarino l Americanas 

Sinopse:

Eliza Caine tem 21 anos e acaba de perder o pai. Totalmente sozinha e sem dinheiro suficiente para pagar o aluguel na cidade, ela se depara com o anúncio de um tal H. Bennet. Ele busca uma governanta para se dedicar aos cuidados e à educação das crianças de Gaudlin Hall, uma propriedade no condado de Norfolk – sem, no entanto, mencionar quantas são, quantos anos têm ou dar quaisquer outras explicações. Assim, ela larga o emprego de professora numa escola para meninas e ruma para o interior.  Chegando a Gaudlin Hall, Eliza se surpreende ao encontrar apenas Isabella, uma menina que parece inteligente demais para sua idade, e Eustace, seu adorável irmão de oito anos. Os pais das crianças não estão lá. Não se veem criados. Ela logo constata que não há nenhum outro adulto na propriedade, e a identidade de H. Bennet permanece um mistério. A governanta recém-contratada busca informações com as pessoas do vilarejo, mas todos a evitam. Nesse meio tempo, fica intrigada com janelas que se fecham sem explicação, cortinas que se movem sozinhas e ventos desproporcionais soprando pela
propriedade. E então coisas realmente assustadoras começam a acontecer…

 “Não tinha sido minha imaginação. Duas mãos tinham agarrado meus tornozelos e me puxado — eu ainda podia senti-las.”

Sim eu senti medo! 😱👻 Mas agora que a leitura acabou percebi que não foi assim tão aterrorizante e isso é ótimo, sabe por que? Isso mostra o quão envolvida eu estava na história!

A história é boa sim apesar de ter achada ela clichê. Quase no meio do livro eu já tinha acertado o que estava acontecendo com a coitada da protagonista e imaginei o que viria. Achei também que o autor deu uma enrolada chegando no final do livro. Mas eu li do mesmo jeito e com o mesmo entusiasmo, por que apesar de ser manjada a história, ela tem o que muitas outras não tem: ação por parte da assombração!

” Havia uma presença naquela casa, alguma coisa profana; uma noção que eu antes desprezara como fantasia tomou conta de mim e me disse que aquela era a verdade.”

 

“Com quem você estava falando?”, perguntei, caminhando em sua direção, segurando-o pelos ombros e levantando a voz.
“Com o velho”, Eustace disse.
“Aqui não tem nenhum velho”, berrei, soltando-o e dando uma volta completa para verificar o quarto antes de olhar para ele outra vez. “Não tem mais ninguém aqui.”
“Agora ele saiu”, disse Eustace, baixinho, afundando sob as cobertas. “Mas ainda está na casa. Diz que não vai embora, por mais que ela queira. Ele não vai para onde deveria ir, não enquanto você ainda estiver aqui.”

 

” Conforme lia, comecei a temer que não conseguisse dormir naquela noite, tamanha minha certeza de que estava cercada pelos espíritos daqueles que deixaram suas formas corpóreas para trás, mas que ainda não tinham feito a passagem pelos portões do céu.”

Desde o primeiro dia que Eliza Caine chega na mansão ela já é atacada pela assombração, isso mesmo, sem rodeios, o fantasma foi lá e agarrou os tornozelos da mocinha enquanto ela dormia. Que simpatia né? E durante a história os ataques vão piorando! É água que ferve do nada, é ventania que só atinge Eliza e a levanta do chão, é mãos em seus pescoço…uma loucura.

Para ajudar  no clima de mistério, a história se passa em Londres durante a era vitoriana, o que me lembra muito as famosas e polêmicas fotos com defuntos e Jack o estripador. E para dar o tchan, temos neblina, muitaaa neblina!

Ah! No livro temos muitas citações do famoso escritor Charles Dickens, são citadas diversas obras e atá um sarau com o próprio!

Bom, vamos a história! No livro conhecemos Eliza Caine, uma jovem de 21 anos que após a morte do pai, se torna orfã e acaba aceitando um emprego como governanta numa cidade do interior de Londres. O que ela não imaginava é que seria a única adulta de toda a mansão e que as últimas quatro governantas morreram de formas brutais. Ela tenta, e como tenta obter informações sobre seus patrões, já que eles não a receberam e até o momento não apareceram, mas todos mudam de assunto e não esclarecem nada. Naquele tempo as pessoas era muito cordias e polidas então acredito que esse foi o motivo de Eliza ter demorado tanto para conseguir informações sobre a mansão. Se fosse hoje era só gritar ou bater que o pessoal já abre o bico hahaha

As crianças que ela cuida são Isabella de 12 anos e Eustace, 8 anos. Até mesmo eles dois não dizem onde estão seus os pais e Isabella é uma criança terrivelmente assustadora, parece até estar possuída.

E bom, durante os 45 dias que Eliza fica na casa como governanta e tentando descobrir o que está acontecendo com a mansão, com os habitantes e as crianças, muito ataque fantasmagórico acontece na vida dela.

“Você não permitiria, não é?”, ela perguntou. “Se tivesse filhos. Não permitiria que outra mulher os criasse.”
“Não”, eu disse. “Seria função minha.”
“Então você entende”, ela respondeu,
“Entendo o quê?”, perguntei, sem a menor ideia do que ela estava querendo dizer.
“Tudo”, Isabella disse, com um suspiro profundo, desviando o rosto e olhando pela janela.

É um livro bacana, recomendo!

Depois me conta o que acharam!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana

Resenha: Nu, de botas, Antonio Prata

nu de botas

Autor: Antonio Prata         Editora: Companhia das Letras      Páginas: 140           Ano:  2013

Classificação 5 ⭐️ 🚍

Á venda l Submarino l Americanas

Sinopse

Em Nu, de botas, Antonio Prata revisita as passagens mais marcantes de sua infância. As memórias são iluminações sobre os primeiros anos de vida do autor, narradas com a precisão e o humor a que seus milhares de leitores já se habituaram na Folha de S.Paulo, jornal em que Prata escreve semanalmente desde 2010.

As primeiras lembranças no quintal de casa, os amigos da vila, as férias na praia, o divórcio dos pais, o cometa Halley, Bozo e os desenhos animados da tevê, a primeira paixão, o sexo descoberto nas revistas pornográficas – toda a educação sentimental de um paulistano de classe média nascido nos anos 1970 aparece em Nu, de botas. O que chama a atenção, contudo, é a peculiaridade do olhar. Os textos não são memórias do adulto que olha para trás e revê sua trajetória com nostalgia ou distanciamento. Ao contrário, o autor retrocede ao ponto de vista da criança, que se espanta com o mundo e a ele confere um sentido muito particular – cômico, misterioso, lírico, encantado.

” Minha mãe não gostava que nos referíssemos a Vanda como ‘empregada’, preferia ‘a moça que trabalha lá em casa’. Eu estranhava: por que dizer ‘a moça que trabalha lá em casa’, se a todas as moças que trabalhavam nas casas dos outros, os vizinhos chamavam ‘empregadas’?”

Acho que eu nunca dei tanta risada dentro do ônibus por causa de um livro. Sabe aquele momento em que você está lendo e, de repente, você começa a rir loucamente? Daí as pessoas que estão ao seu redor acham que você tem problemas e ligam para o hospital psiquiátrico pelo simples fato de te acharem um ser extraterrestre por estar rindo de um livro? Então, essa foi a sensação que eu tive ao ler Nu, de botas.
Muitas de vocês devem se recordar do nome Antonio Prata. Digo muitas porque ele foi cronista da revista Capricho durante alguns anos. E sim, ele é filho do grande escritor e dramaturgo Mario Prata.

Gente, que capa sensacional! Sério, eu compre este livro por causa da capa! Sempre gostei muito das crônicas do Prata no site da Folha, mas o que me ganhou mesmo foi a capa. – sem contar a textura e o cheiro do papel. Eu tenho dessas coisas, podem me julgar…

Recordo-me de alguns momentos da minha infância. Banho de chuva e, em seguida, ficar correndo que nem uma louca desvairada na lama, passar a tarde com os coleguinhas fazendo arte, – tipo ficar jogando “pertences” na rua e subir no escorregador para gritar clemência sob o objeto – passar a tarde no parque brincando naqueles brinquedos de madeira, enfim, coisas de infância que foram se perdendo com o passar do anos.

Antonio Prata retrata de maneira muito divertida as suas peripécias praticadas quando era apenas um menino que gostava de usar apenas moletom, camiseta e botas. As suas recordações são escritas de uma forma tão gostosa de se ler que você se sente inserido no contexto, às vezes parece que está sendo retratada as suas memórias nestas folhas de papel pólen bold. Quem viveu a infância nos anos 80 irá, com toda a certeza do mundo, se deliciar com as histórias deste homem! Se você acha que aprontou muita, ainda não viu nada…

Simples, bonito, divertido e genial! Foi essa a minha conclusão no fim da leitura. Deu até dó de ter terminado o livro tão rapidamente! Você se apega com o autor e suas histórias. Ri com ele, sente as mesmas dúvidas que ele sentira e tudo mais! Um misto de emoções e risos é marca deste livro!

Gostaram? Me conta o que achou!

E se sentirem saudades me façam uma visita no Fragmento Literário!

assinatura Barbara

Resenha: A Revolução dos Bichos, George Orwell

a revolução dos bichos

Autor: George Orwell                   Páginas: 152         Editora: Companhia das Letras          Ano:  2007

Classificação 5 ⭐️ 🚍

Á venda l Submarino l Americanas

Sinopse:

Verdadeiro clássico moderno, concebido por um dos mais influentes escritores do século 20, “A Revolução dos Bichos” é uma fábula sobre o poder. Narra a insurreição dos animais de uma granja contra seus donos. Progressivamente, porém, a revolução degenera numa tirania ainda mais opressiva que a dos humanos
Escrita em plena Segunda Guerra Mundial e publicada em 1945 depois de ter sido rejeitada por várias editoras, essa pequena narrativa causou desconforto ao satirizar ferozmente a ditadura stalinista numa época em que os soviéticos ainda eram aliados do Ocidente na luta contra o eixo nazifascista.  De fato, são claras as referências: o despótico Napoleão seria Stálin, o banido Bola-de-Neve seria Trotsky, e os eventos políticos – expurgos, instituição de um estado policial, deturpação tendenciosa da História – mimetizam os que estavam em curso na União Soviética.
Com o acirramento da Guerra Fria, as mesmas razões que causaram constrangimento na época de sua publicação levaram A revolução dos bichos a ser amplamente usada pelo Ocidente nas décadas seguintes como arma ideológica contra o comunismo. O próprio Orwell, adepto do socialismo e inimigo de qualquer forma de manipulação política, sentiu-se incomodado com a utilização de sua fábula como panfleto.

“Quatro pernas bom, duas pernas ruim “

George Orwell, pseudônimo de Eric Arthur Blair, nasceu em 1903 na Índia. Intenso opositor do totalitarismo, Orwell discorre em suas principais obras, 1984 e A Revolução dos Bichos, as atrocidades presentes dos regimes políticos vigentes de sua época.

A novela satírica tem como cenário a “Granja do Solar”, sendo seu dono um senhor chamado Jones. Cansados da exploração sofrida no campo, os animais dessa fazendo resolvem tomar uma atitude contra seu dono: iniciar uma revolução contra a opressão humana.

Ao narrar a insurreição dos bichos, Orwell utiliza o período stalinista como referência para a construção do clássico moderno. A ditadura repressiva que assolava a época toma forma com claras referências a figuras históricas para a composição das personagens. A exemplo disso, temos o despótico Napoleão – sinceramente, fiquei com um ódio mortal dele. Acho que nunca na minha vida eu fiquei com vontade de bater numa personagem como agora – sendo uma alusão a Stalín e Bola-de-Neve, Trotsky, o “inimigo pragmático” da revolução.

O início da revolução é marcado por diversas utopias para a criação de uma “sociedade interna” livre de crueldade, livres da mão do homem. No entanto, o projeto inicial saí dos trilhos e toma outro rumo.

Marcado por um início promissor, os porcos – seres considerados no enredo “superiores” intelectualmente – começam a se tornar aquilo que o grupo repudiava, a forma “animalesca” do ser humano.

“Quatro pernas bom, duas pernas melhor “

Fica claro no decorrer da obra a facilidade de obter êxito na manipulação das personagens. Além disso, a associação que o enredo permite com a nossa realidade é preocupante. É um choque de realidade, em minha opinião. A sagacidade, crueldade e submissão representada em cada classe animal nos remete a refletir acerca da relação humana.

O que vocês acham? Contem pra mim!

E não esqueçam de me fazer uma visita! Fragmento Literário

assinatura Barbara