Mangá: Resenha No Game No Life

91Kodua7lNL

Editora: New Pop          Ano: 2013 

Autor: Yu Kamiya 

Modo de Leitura: Direita para Esquerda

separador manga

Um anime literalmente perfeito! Escrito e ilustrado por um brasileiro! Sim, um brasileiro! Inovador não? Ah, o nome dele é Yu Kamiya, mesmo sendo brasileiro ainda tem traços japoneses! A história conta sobre os irmãos inseparáveis, Sora e Shiro, hackers profissionais reclusos/anti-sociais, podemos perceber isto desde o primeiro episódio! 

Shiro, com uma inteligência absurdamente absurda (Shiro é uma mulher, vale lembrar, e consegue fazer coisas surpreendentes como, planejar a hora e data de morte de um personagem no jogo e ela conseguir matar!!!) E Sora, um estrategista que praticamente é invencível, descobre falhas nas regras do jogo e faz elas ao seu favor de forma que seus inimigos não consigam ganhar dele!

Conhecidos em um Game RPG online por “brancos” –  personagens de alto nível onde conseguem fazer façanhas incríveis e pontuações altíssimas só que, acusados de serem hackers os nomes dos jogadores ficam sempre em branco –  um certo dia eles são levados ao mundo dos jogos ( literalmente ) pelo Tiet, denominado de grande deus rei dos jogos.

Lá a guerra é esquecida e todos devem lutar pelo os seus direitos através de jogos! Nessa terra tem os Ymanti uma raça que foi dona de grande parte deste mundo, mas perdida pelo o seu “Rei louco ou tolo” se vocês perceberem algumas coisas que ele fez…

A cada edição você conhece mais um pouco sobre o mundo que eles foram enviados e os personagens.

É uma manga bem colorido (aparentemente um arco-iris) e já aviso que contém ilustrações de nudez, como todo mangá Ecchi ( em um outro post eu explico o que é isso!).

Indico com toda certeza!

separador-lápiz-3

Bem, esse é o primeiro texto que publico aqui, gostaria de agradecer a todos! Espero que gostem e visitem minha página no face Oficina Yaoi/Yuri.

Obrigado! 

assinatura wesley

Anúncios

Resenha: Alma?, Gail Carriger

CAPA-ALMA1

Autor: Gail Carriger            Editora: Valentina Páginas: 308                       Ano:  2013

Classificação 4 ⭐️ 🚍

Á venda l Submarino l Americanas

Sinopse:

Alexia Tarabotti enfrenta uma série de atribulações sociais, quiproquós e saias justas (embora compridíssimas) em plena sociedade vitoriana. Em primeiro lugar, ela não tem alma. Em segundo, é solteirona e filha de italiano. Em terceiro, acaba sendo atacada sem a menor educação por um vampiro, o que foge a todas as regras de etiqueta.
E agora? Pelo visto, tudo vai de mal a pior, pois a srta. Tarabotti mata sem querer o vampiro ― ocasião em que a Rainha Vitória envia o assustador Lorde Maccon (temperamental, bagunceiro, lindo de morrer e lobisomem) para investigar o ocorrido.
Com vampiros inesperados aparecendo e os esperados desaparecendo, todos parecem achar que a srta. Tarabotti é a responsável. Será que ela conseguirá descobrir o que realmente está acontecendo na alta sociedade londrina? Será que seu dom de sem alma para anular poderes sobrenaturais acabará se revelando útil ou apenas constrangedor? No fim das contas, quem é o verdadeiro inimigo, e… será que vai ter torta de melado?
Uma das séries de Steampunk mais cultuada do mundo.

“Lorde Macon observou-a, com admiração. A srta. Tarabotti podia ter uma visão crítica do próprio rosto sempre que se olhava no espelho de manhã, mas não havia nada de errado com sua própria aparência. O conde só deixaria de notar esse detalhe tentador se tivesse bem menos alma e desejos sexuais. Mas é obvio que ela sempre estragava o momento sedutor ao abrir a boca. Na humilde opinião dele, ainda estava por nascer uma mulher mais irritantemente tagarela”.

Alma? foi um livro que me conquistou aos poucos, sempre que eu ia na livraria me deparava com ele, mas nunca dei importância, até o dia que eu resolvi aceitar suas investidas. E para minha surpresa eu amei, devorei ele nos meus cafés da manhã que se tornaram muito mais interessantes.

O livro se passa no século XIX, em Londres, numa época que lobisomens, vampiros e preternaturais (humanos sem alma) convivem socialmente, apesar de nem todos concordarem. O foco da história cai em  Alexia Tarabotti, uma inglesa de 26 anos, de origem italiana por parte de pai e o pior, solteirona.

Alexia é uma preternatural, apesar de sua família não saber desse detalhe, eles se preocupam  mais com o “desastre” de ela não ter se casado. A história poderia ser sem graça se não fosse pelo fato de ela ser uma mulher de personalidade forte, inteligente, de língua afiada e muito divertida que sempre se mete em confusão e tem uma queda, apesar de não admitir, pelo Lorde Maccon, lobisomem Alfa e chefe do DAS (departamento de assuntos sobrenaturais).

No decorrer da história, entre fofocas da sociedade, chapéis esquisitos, sombrinhas que funcionam como armas, vestidos com anquinhas inconvenientes e chás, Alexia sem querer, ajuda nas investigações sobre o desaparecimento de lobisomens e vampiros para desgosto de Lorde Maccon.

É um livro que quando você começa, não quer parar de ler. A história te prende, os diálogos são divertidos e intrigantes e a tensão sexual entre Alexia e Lorde Maccon deixam o livro mais interessante. Aconselho o livro para todos que gostam de urban fantasy e steampunk. Se você é fã de Jane Austen feat sobrenatural, tem grandes possibilidades de gostar do livro.

Estou ansiosa para ler a continuação da história: Metamorfose?

Já leu o livro? Me conte o que achou.

Não leu? Comente também! =D

assinatura nova ana marys