Resenha: A Menina Que Roubava Livros, Markus Zusak

A menina que surrupiava livros

Autor: Marcus Zusak    Editora: Intrínseca    Páginas: 478               Ano: 2007

Classificação 5 ⭐️ 🚍

Á venda l Submarino l Americanas

Sinopse:

Ao perceber que a pequena Liesel Meminger, uma ladra de livros, lhe escapa, a Morte afeiçoa-se à menina e rastreia suas pegadas de 1939 a 1943. A mãe comunista, perseguida pelo nazismo, envia Liesel e o irmão para o subúrbio pobre de uma cidade alemã, onde um casal se dispõe a adotá-los por dinheiro. O garoto morre no trajeto e é enterrado por um coveiro que deixa cair um livro na neve. É o primeiro de uma série que a menina vai surrupiar ao longo dos anos. O único vínculo com a família é esta obra, que ela ainda não sabe ler. Assombrada por pesadelos, ela compensa o medo e a solidão das noites com a conivência do pai adotivo, um pintor de parede bonachão que lhe dá lições de leitura. Alfabetizada sob vistas grossas da madrasta, Liesel canaliza urgências para a literatura. Em tempos de livros incendiados, ela os furta, ou os lê na biblioteca do prefeito da cidade. A vida ao redor é a pseudo-realidade criada em torno do culto a Hitler na Segunda Guerra. Ela assiste à eufórica celebração do aniversário do Führer pela vizinhança. Teme a dona da loja da esquina, colaboradora do Terceiro Reich. Faz amizade com um garoto obrigado a integrar a Juventude Hitlerista. E ajuda o pai a esconder no porão um judeu que escreve livros artesanais para contar a sua parte naquela História.

” Os seres humanos me assombram”

Confesso que esse livro foi até o momento, o único que me fez chorar no final. Nossa como eu amo esse livro.

A menina que roubava livros é um drama  oi Thalia! que se passa na Alemanha durante a segunda guerra mundial e conta a história de Liesel Meminger, uma garota que encontrou a morte três vezes em um curto período e saiu ilesa nas três vezes. E por esse motivo a morte resolveu contar sua história, e essa é a narradora do livro, sim, a morte.

O livro começa com Liesel sendo levada para um lar adotivo pela própria mãe e no caminho seu irmão caçula falece. No enterro ela rouba seu primeiro livro, “O manual do coveiro”. O livro roubado serve mais como uma lembrança já que Liesel não sabe ler, e que por traquinagem  do destino é o primeiro livro que ela lê.

Ao chegar em sua nova casa, Liesel é recebida pela sua nova mãe, uma senhora muito estúpida que A-D-O-R-A chama-la de porca, mas que ama a garota, só não sabe demostrar, e um pai super amoroso que a ensina ler.

No decorrer do livro nós encontramos ainda, um judeu em apuros, um vizinho que se torna seu melhor amigo e quer porque quer um beijo de Liesel, um Alemanha nazista, um Hitler que manda queimar livros em praça publica, a esposa do prefeito com sua enorme biblioteca e uma Liesel apaixonada por livros.

No livro ela não rouba tantos livros assim, na verdade pega emprestado, porque depois de ler ela devolve, então eu acho injusto chama-la assim rs se for desse jeito eu também sou ladra de livros kkkk.

A história é envolvente, é linda é uma leitura recomendável sem sombra de dúvidas.

” As palavras não foram ditas, mas decididamente estavam lá, em algum ponto”

Recentemente a história pode ser encontrada nos cinemas, eu assisti e achei brochante, confesso que chorei no final, mas não achei tão emocionante como o livro, no livro eles são mais pobres, mais mal vestidos, mais sujos, principalmente a Liesel, ela está muito limpa e bem vestida sabe…Segue o trailer pra você dar uma conferida:

Já leu o livro? Me conte o que achou.

Não leu? Comente também! =D

Beijo, outro, tchau!

assinatura ana

Resenha: Antes de Dormir, S. J. Watson

antes de dormir

Autor: S. J. Watson      Editora: Record             Páginas: 400         Ano: 2009

Classificação 4 ⭐️ 🚍

Á venda l Submarino l Americanas

Sinopse: 

Todos as manhãs, Christine acorda sem saber onde está. Suas memórias desaparecem todas as vezes que ela dorme. Seu marido, Ben, é um estranho. Todos os dias ele tem de recontar a vida deles e o misterioso acidente que tornou Christine uma amnésica. Encorajada por um médico, ela começa a escrever um diário para ajudá-la a reconstruir suas memórias mas acaba descobrindo que a única pessoa em quem confia talvez esteja contando apenas parte da história.

“Algo mais foi acrescentado. Algo inesperado, aterrorizante. Mais aterrorizante do que qualquer coisa que vi hoje. Ali, sob o meu nome, em caneta preta e letras maiúsculas, estão quatro palavras. NÃO CONFIE EM BEN. Não há nada que eu possa fazer a não ser virar a página. Começo a ler a minha história.” 

Antes de dormir é um livro de suspense (por mais que lá esteja escrito romance, pra mim é suspense rs) que conta a história de Christine, uma mulher na faixa dos 45 anos que sofre de amnésia após um acidente.

Todas as manhãs ao acordar, Christine não sabe onde está, quantos anos tem e não reconhece o marido, Ben. Suas memórias desaparecem sempre que dorme, desde antes do acidente e toda manhã seu marido conta o que aconteceu. Para ela Ben é um estranho, a vida dela é completamente estranha.

O livro começa com a protagonista acordando completamente confusa, sem saber onde está e sem reconhecer seu próprio rosto, o leitor não obtém nenhuma informação adicional da protagonista, o que é bem legal porque nós ficamos desesperados com a falta de informação e ficamos num estado de amnésia junto com a personagem. Nesse dia, ela acha um diário feito por ela mesma com anotações do dia a dia dela um pouco depois do acidente, este diário foi uma sugestão do médico que acompanha seu caso. Com as anotações, Christine começa a ler  sobre o que aconteceu e como está sendo os dias dela desde o acidente e também incluindo informações novas.

No decorrer da história em alguns momentos ela tem flashbacks de alguns acontecimentos, lembra de amizades que nunca mais vieram visita-la, lembra que tem um filho mas não sabe o que aconteceu com ele, e ao confrontar seu marido começa a perceber que ele está escondendo algo e  não está sendo sincero ao contar o que realmente aconteceu e que talvez ele não seja realmente seu marido.

É angustiante viver a vida de Christine, você vai descobrindo a verdade junto com ela e fica aflito, preocupado com o bem estar dela e principalmente torce para que a memória dela volte.

Na minha opinião o livro começa muito bem, esfria no meio e o final é de tirar o folego.

E sabe o que é mais legal??!! O livro virou filme!!!!! Bom pra mim isso é legal rsrs

Diz a boca miúda que o filme estréia ainda esse semestre, olha aí o poster o filme:

before i go to sleep poster

Eu espero que o filme seja muito bom, porque esse filmes que a Nicole Kidman faz, deusulivre.

Já leu o livro? Me conte o que achou.

Não leu? Comente também!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana

Resenha: 3096 dias Natascha Kampusch

3096-dias-01

Autor: Natascha Kampusch, Heike Gronemeier e Corinna Milborn.                                                            Editora: Versus    Páginas: 225   Ano: 2011

Classificação 5 ⭐️ 🚍

Á venda l Submarino l Americanas

Sinopse: 

Natascha Kampusch sofreu o destino mais terrível que poderia ocorrer a uma criança: em 2 de março de 1998, aos 10 anos, foi sequestrada a caminho da escola. O sequestrador – o engenheiro de telecomunicações Wolfgang Priklopil, a manteve prisioneira em um cativeiro no porão durante 3.096 dias. Nesse período, ela foi submetida a todo tipo de abuso físico e psicológico e precisou encontrar forças dentro de si para não se entregar ao desespero.

“‘-Vou tirar você daqui, prometo. Você ainda não pode fugir, porque é muito pequena. Mas, quando tiver 18 anos, vou dominar o sequestrador e libertar você desta prisão. Não vou abandoná-la.’
Naquela noite, fiz um pacto com meu próprio eu mais velho. E mantive a palavra.”
20110303_poster

Cartazes espalhados pelo bairro pela família de Natacha.

Acho que esse é o único livro autobiográfico que li até hoje, a história é tão forte e impressionante que eu custo a acreditar que realmente aconteceu.

Natascha foi raptada no dia que ganhou o direito de ir sozinha a escola, aos 10 anos de idade, foi raptada, jogada em uma caminhonete e aprisionada durante 8 anos em um cubículo no subsolo da casa de seu raptor Wolfgang Priklopil de 35 anos.

Durante esses 8 anos, Natascha sofreu abusos psicológicos e físicos, abusos que chegam a ser sufocantes ao leitor por serem narrados com tantos detalhes. Com certeza ela teve muita sanidade para passar por tudo e sair ilesa. Não tenho dúvida que Natascha é uma guerreira e sobrevivente. Eu fico imaginando como ela conseguiu discernir o que acontecia, já que os anos que ficou raptada são os que nós formamos nossa personalidade, nossos ideais, e me fez refletir muito.

Foto de Natasha, seu sequestrador e o cativeira que ela viveu por longos anos.

Foto de Natacha, seu sequestrador e o cativeiro que ela viveu por longos anos.

O livro conta a história antes, durante e depois do sequestro, a relação dela com os pais, o sequestro e a vida que ela enfim pode começar. Com certeza durante a leitura você terá diversos sentimentos a flor da pele. Aconselho a leitura sim, até  quem não gosta de autobiografia corre o risco de gostar como aconteceu comigo.

“…ninguém no mundo exterior acreditaria que uma vítima de sequestro pudesse se sentar com seu sequestrador para jogar ludo. Mas o mundo exterior não era mais meu mundo. (…) E havia apenas uma pessoa que podia me tirar da solidão opressiva – a mesma que criara aquela solidão pra mim.” – Natacha

Ahhh e foi lançado um filme sobre o livro, estou louca para ver! Se bem que os filmes baseados em livros sempre decepcionam né….mas eu quero ver mesmo assim, porque não é uma história qualquer é uma história real. Pra quem não viu o trailler, tá aqui ô:

Já leu o livro? Me conte o que achou.

Não leu? Comente também! =D

assinatura ana