Resenha: O Presente do Meu Grande Amor

o presente do meu grande amor

Autor:  Vários/ Organizado por Stephanie Perkins           Editora: Intrínseca     Páginas:  320                    Ano:  2014

Classificação 5 ⭐️ 🚍

Á venda l Submarino l Americanas

Sinopse:

Se você gosta do clima de fim de ano e tudo o que ele envolve — presentes, árvores enfeitadas, luzes pisca-pisca, beijo à meia-noite —, vai se apaixonar por O’ presente do meu grande amor’. Nas doze histórias escritas por alguns dos mais populares autores da atualidade, há um pouco de tudo, não importa que você comemore o Natal, o ano-novo, o Chanucá ou o solstício de inverno.

 

Ai que livro mais fofo do mundo inteiro! Ai que vontade de morder e apertar até ficar roxinho!

livro 2

Eu ficava olhando pra capa, tentando descobrir quem era quem rs

Eu amei! ❤ Realmente foi um presente!

Li achando que ia encontrar histórias melosas, carregadas no apelo emocional e quem me conhece sabe que eu não sou dada a sentimentalismo, e por esse motivo me preocupei. Massss ainda bem que me enganei e que resolvi ler!

Eu pensei em dizer qual era a melhor história mas não é possível. Depois pensei em escolher as três melhores,  mas também não deu. É impossível mesmo. Todas as histórias são ótimas! Todas despertam ótimos sentimentos e você termina o livro achando que tudo é lindo! 😀 Se sente mais leve, sorri a toa e recomenda a leitura para os amigos!

O livro é composto por 12 histórias que se passam na época do natal e todas envolvem casais. Há reencontros, primeiros beijos, casais se formando…tem histórias com duendes, pessoas reais, fantasmas…tem católicos, judeus, ateus…Para todos os gostos! Cada história tem em média 29 páginas, então acaba se tornando uma leitura bem leve, rápida e fácil.

A história que mais ri foi do David Levithan. Nunca tinha lido nada dele e adorei sua forma divertida e inteligente de escrever.

A Rainbow Rowell é mestre em me fazer dizer ” ownnnn”. Foi uma das que eu mais gostei.

A história da Stephanie Perkins foi tão real, tão apaixonante que eu li mais de uma vez!

A Holly Black é um pouco estranha. A verdade é que eu não sei se as histórias são muito bizarras ou se a culpa é da tradução.

Não vou fazer uma resenha de cada conto, massss trouxe um frase de cada um deles para vocês!

“- Não vou a lugar algum,  Noel.
– Vai sim – disse ele, apertando-a contra si. – E não tem problema. Só. .. preciso que me leve junto. “

 

” – Você só vem quando neva – comenta ela.
– Eu só tenho permissão para vir quando neva – diz ele. – E apenas na noite de Natal. “

 

” – O que estamos fazendo? – sussurrou ela em meu ouvido.
– Não faço a menor ideia – respondi, e então voltamos a nos beijar. “

 

” Sei dizer Feliz Natal em qualquer idioma. Os duendes sabem falar qualquer idioma,  mas eu sou apenas humana.”

 

” Mas esse garoto das Árvores de Natal tinha algo que os outros não tinham. Algo de que ela precisava e só ele podia oferecer. “

 

” Estou com medo de estar apaixonado,  porque isso envolve exigir tanta coisa. Estou com medo da minha vida nunca se encaixar na dele. De que ele nunca me conheça. De ouvirmos as histórias,  mas nunca a verdade completa. “

 

” – Você está incrível – falei para ele,  porque estava mesmo.
Se todos os Krampus fossem como ele, a maldade reinaria”

 

” Jogamos várias rodadas de ‘ Eu Nunca’ e, quando alguém disse ‘ eu nunca quis ficar com ninguém dessa festa’, várias pessoas tiveram que tomar um shot”

 

” O beijo era o que importava. Não apenas o beijo, mas o que o beijo significava. O que ele revelava. O que a noite revelava. O que os dois haviam revelado”

 

” A imagem de Grace de biquíni logo veio a mente, seguida do pastor Robinson de sunga. Sacudi a cabeça em um reflexo para afasta-la do cérebro. “

 

” O sorriso de Ben é como açúcar polvilhado em cima de um biscoito. “

 

” Então ele me beijou. Depois me abraçou forte e eu olhei as estrelas no céu de Bethlenhem, certa de que tinha voltado pra casa. “

 

” Alguém lhe dera aquele presente. Alguém estava ali. Ela o sentia. ‘ Eu vou libertá-la e exaltá-la’. Essas foram as palavras dele em seu sonho. Ele já a libertara.”

separador-lápiz-3

Isso é tudo pessoal! Espero que tenham gostado 🙂

Opaaa não acabou não! Tem presente para vocês! Os dois primeiros leitores que comentarem aqui vão ganhar esses displays fofos com o tema do livro! 

PicsArt_1423162118193

Beijo,  outro,  tchau!


assinatura nova ana marys 

Resenha: A Menina Mais Fria de Coldtown, Holly Black

a menina mais fria capa

Autor: Holly Black            Editora: Novo Conceito Páginas: 382                       Ano:  2014

Classificação 4/5 ⭐️ 🚍

Á venda l Submarino l Americanas

Sinopse:

No mundo de Tana existem cidades rodeadas por muros são as Coldtowns. Nelas, monstros que vivem no isolamento e seres humanos ocupam o mesmo espaço, em um decadente e sangrento embate entre predadores e presas. Depois que você ultrapassa os portões de uma Coldtown, nunca mais consegue sair. Em uma manhã, depois de uma festa banal, Tana acorda rodeada por cadáveres. Os outros sobreviventes do massacre são o seu insuportavelmente doce ex-namorado que foi infectado e que, portanto, representa uma ameaça e um rapaz misterioso que carrega um segredo terrível. Atormentada e determinada, Tana entra em uma corrida contra o relógio para salvar o seu pequeno grupo com o único recurso que ela conhece: atravessando o coração perverso e luxuoso da própria Coldtown. A Menina Mais Fria de Coldtown, da aclamada Holly Black, é uma história única sobre fúria e vingança, culpa e horror, amor e ódio.

” Os militares ergueram barricadas em volta das áreas da cidades em que as infecções irromperam. Foi assim que as primeiras Coldtowns foram fundadas”

Confesso que não foi um livro que ansiava para ler a todo momento, são muitos detalhes que poderiam ser ignorados, mas ele me deixava curiosa! Lá pelas páginas 270 uma reviravolta me deixou de queixo caído e comecei a ler todo momento que podia. O livro todo me deixou ansiosa e tem um ritmo constante desde o inicio,  é lutar, é se esconder, é tentar manter pelo menos uma troca de roupa em boas condições rs. Ele não tem aquele apelo romântico a la Edward e Bella, na verdade são poucos os momentos românticos e quando tem lembra bastante a série True Blood!

Se teve uma coisa que eu gostei foi a personalidade da Tana, protagonista da história. Ela é decidida, disposta a ajudar seus amigos e família, sente medo mas isso não a deixa paralisada,  é feroz e em alguns momentos eu falava em voz alta:” colega vai com calma aí, pensa melhor”.a menina mais fria

O cenário construído pela autora é bem interessante, não tinha lido nada parecido até o momento. Isso é muito bom, porque sai do óbvio. Tudo é novo na história da Holly Black, desde a reação do mundo ao descobrir que existem vampiros até a forma com que as pessoas se tornam vampiros. Ah e aqui ele é retratado como vampiro de verdade, daqueles que morrem no sol! Anne Rice agradece.

E a formatação do livro é um show a parte! A capa é linda, a cada novo capítulo você é presenteado com uma frase de algum pensador/autor sobre a morte e nas páginas você encontra manchas como se fossem respingos de sangue. Tem alguns erros de português, mas nada que atrapalhe a leitura.

” Ela havia gritado, gritos agudos, chamando a mãe, contudo a mãe já estava lá. A mãe era o monstro”

” A morte tem seus prediletos, como qualquer um. Aqueles que são queridos da morte não haverão de morrer”

Vamos ao livro! A história começa com Tana acordando com uma baita ressaca dentro de uma banheira e desesperada porque já está de tarde e todos da festa devem ter tirado fotos dela enquanto esteve desmaiada. Ao sair do banheiro ela vê que ocorreu um massacre ali,  tudo indica que foi um ataque de vampiro. Em meio a confusão de ainda estar bêbada e ver todos seus amigos mortos, ela encontra seu ex-namorado Aidan amarrado na cama de um quarto, e no canto um vampiro preso por correntes ( o vampigato Gavriel). De cara, Tana percebe que Aidan foi mordido e com certeza já está infectado, mas ela ainda pode ajudar ele, basta deixá-lo em quarentena. Ela desamarra os dois ( até o vampiro gente!) e durante a fuga um outro vampiro arranha sua perna com as presas.

a menina mais fria 2Os três fogem da casa e tomam como destino a maior e mais próxima ColdTown que existe, para que Aidan e Tana possam ficar sob vigilância do governo durante o periodo de descontaminação. Tana não tem certeza se está infectada mas tem medo de ir para a casa e acabar matando sua família. Gavriel os acompanha. É incrível a influência que ela tem sobre eles dois, não sei se é o cheiro dela ou a força que ela passa, mas Aidan e Gavriel fazem tudo que ela manda.

Como a sinopse diz, Coldtowns são cidades cercadas para manter os vampiros dentro delas. Mas no mundo de Tana, os vampiros não são só maus e assassinos, eles também são celebridades! Muitos humanos (principalmente adolescentes) vão para as Coldtows servir de “comida” para eles, almejando que um dia, serão transformados nesses seres imortais. Tudo é televisionado e cheio de glamour, a vida nas Coldtows parece ser esplêndida e desejável. Mas não é só isso o que acontece atrás dos poderosos muros. Intrigas, ódio e assassinatos também estão envolvidos.

Após uns dias em ColdTown Tana percebe que não está infectada – Será? Deixarei vocês na dúvida- e pode enfim sair daquele lugar! Massssss tudo começa a dar errado, acho que nem parou de dar errado, e talvez ela tenha que ficar lá para sempre.

Você não terá tempo para descansar! Recomendo a leitura!

E parece que tem mais vindo por ai! Será uma trilogia? Espero que não rs.

” Eles comem uns aos outros. Comem a nós. Comem todas as porcarias de coisas. Eles beberiam o sangue do mundo inteiro se nós deixássemos”

” Você é mais perigosa que o nascer do sol”

” Eu quero ver as cinzas de vocês dois soprarem na face de uma lua vermelha como sangue”

” Todo herói não está ciente de todas as razões terríveis pelas quais realizou todas aquelas boas ações? Não está ciente de todos os erros que já cometeu e de como boas pessoas se feriram por causa das decisões deles?”

Olha que legal esse book trailer lançado nos Estados Unidos! Mil vezes melhor do que o lançado no Brasil.

Gostaram? Já leram?

Conta aqui!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

Resenha: Boneca de Ossos, Holly Black

BONECA_DE_OSSOS

Autor: Holly Black            Editora: Novo Conceito Páginas: 221                       Ano:  2013

Classificação 3/5 ⭐️ 🚍

Á venda l Submarino l Americanas

Sinopse:

Poppy, Zach e Alice sempre foram amigos. E desde que se conhecem por gente eles brincam de faz de conta – uma fantasia que se passa num mundo onde existem piratas e ladrões, sereias e guerreiros. Reinando soberana sobre todos esses personagens malucos está a Grande Rainha, uma boneca chinesa feita de ossos que mora em uma cristaleira. Ela costuma jogar uma terrível maldição sobre as pessoas que a contrariam. Só que os três amigos já estão grandinhos, e agora o pai de Zach quer que ele largue o faz de conta e se interesse mais pelo basquete. Como o seu pai o deixa sem escolha, Zach abandona de vez a brincadeira, mas não conta o verdadeiro motivo para as meninas. Parece que a amizade deles acabou mesmo…

Mas, de repente, Poppy conta para os amigos que começou a ter sonhos com a Rainha ¿ e também com o fantasma de uma menininha que não conseguirá descansar enquanto a boneca de ossos não for enterrada no seu túmulo vazio. Então, Poppy, Zach e Alice partem para uma última aventura a fim de ajudar o fantasma da Rainha a encontrar o seu descanso eterno. Mas nada acontece do jeito que eles planejaram… A missão se transforma em uma jornada de arrepiar.

Será que a boneca é apenas uma boneca ou existe algo mais sinistro por trás desses fatos? Poppy está mesmo dizendo a verdade ou tudo isso não passa de um truque para que voltem a brincar juntos? Se existe mesmo um fantasma, o que vai ser das crianças agora que elas estão nas suas mãos?

“Ele se perguntava se crescer era descobrir que a maioria das histórias não passavam de mentiras”

Confesso que não foi uma leitura tão agradável quanto pensei que seria. Mas a culpa é minha mesmo, eu não prestei atenção na classificação etária. Na minha opinião ele é indicado para menores de 13 anos. Eu leria ele para alguma criança ou indicaria sem problemas.

É também difícil contar sobre o livro porque a sinopse é muito detalhada e completa. Resta apenas dar minhas 20141223_151127opiniões pessoais.

O livro narra a história de três amigos com doze anos de idade e uma imaginação invejável. Eu fiquei fascinada de como eles se entregam as histórias que criam. Todos os dias depois da aula eles se reúnem  para criar histórias com seus bonecos e são histórias realmente boas. Todas as histórias envolvem uma boneca de porcelana que a mãe de Poppy tem guardada e proíbe que toquem nela. A boneca é bem assustadora e para completar é feita de ossos o que estimulou muito a imaginação das crianças.

Quando o pai de Zach o proíbe de brincar ele não conta o verdadeiro motivo para as meninas e elas ficam arrasadas. Dois dias depois Poppy conta que a alma da boneca de porcelana foi até ela e pediu para ser enterrada e conseguir enfim descansar em paz.

” Ela não descansará até a gente enterra-la. E não vai nos deixar descansar também. Ela prometeu nos atormentar se não ajudarmos.”

Poppy sugere aos amigos que essa seja a ultima aventura deles e após muita insistência ela consegue convence-los. Eles saem no meio da madrugada para outra cidade a fim de encontrar o cemitério que a boneca deve ser enterrada. Essas crianças tem mais sorte do que juízo.

Na maior parte da história eu senti raiva da Poppy, ela é muito autoritária e até agora eu fico pensando se ela inventou essa história ou se era verdade. E claro, senti medo da boneca, quem me conhece sabe que eu tenho pavor de bonecas e ficar nesse dilema ” será que a boneca se mexeu mesmo? Será que ela está possuída mesmo?” foi angustiante.

20141223_151017As crianças também tem muita imaginação, elas associam tudo ao fato da boneca estar assombrada e toda a aventura e sentimentos ficam intensificados levando o leitor a se confundir do que é real ou não.

O livro tem uma pegada obscura mas não assusta e passa também lições sobre amizade e relações familiares. Durante a leitura você encontra ilustrações sobre as cenas descritas. Eu lembrei da época que pegava livros na biblioteca e só queria aqueles com desenhos rs. Como eu disse é um livro infantil, não espere você com trinta anos sentir medo dele ou vai sentir né, nunca se sabe.

“Foi como um soco no estomago. William, a Lâmina, Max Caçador e todos os outros estavam mortos. Sem eles as histórias estariam mortas também.”

 E vocês já leram? Vão ler? Conta aqui!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys