Resenha: A Casa Assombrada, John Boyne

a casa assombrada

Autor: John Boyne    Editora: Companhia das Letras Páginas: 296                Ano:  2015

Classificação 3.5 ⭐️ 🚍

Á venda l Submarino l Americanas 

Sinopse:

Eliza Caine tem 21 anos e acaba de perder o pai. Totalmente sozinha e sem dinheiro suficiente para pagar o aluguel na cidade, ela se depara com o anúncio de um tal H. Bennet. Ele busca uma governanta para se dedicar aos cuidados e à educação das crianças de Gaudlin Hall, uma propriedade no condado de Norfolk – sem, no entanto, mencionar quantas são, quantos anos têm ou dar quaisquer outras explicações. Assim, ela larga o emprego de professora numa escola para meninas e ruma para o interior.  Chegando a Gaudlin Hall, Eliza se surpreende ao encontrar apenas Isabella, uma menina que parece inteligente demais para sua idade, e Eustace, seu adorável irmão de oito anos. Os pais das crianças não estão lá. Não se veem criados. Ela logo constata que não há nenhum outro adulto na propriedade, e a identidade de H. Bennet permanece um mistério. A governanta recém-contratada busca informações com as pessoas do vilarejo, mas todos a evitam. Nesse meio tempo, fica intrigada com janelas que se fecham sem explicação, cortinas que se movem sozinhas e ventos desproporcionais soprando pela
propriedade. E então coisas realmente assustadoras começam a acontecer…

 “Não tinha sido minha imaginação. Duas mãos tinham agarrado meus tornozelos e me puxado — eu ainda podia senti-las.”

Sim eu senti medo! 😱👻 Mas agora que a leitura acabou percebi que não foi assim tão aterrorizante e isso é ótimo, sabe por que? Isso mostra o quão envolvida eu estava na história!

A história é boa sim apesar de ter achada ela clichê. Quase no meio do livro eu já tinha acertado o que estava acontecendo com a coitada da protagonista e imaginei o que viria. Achei também que o autor deu uma enrolada chegando no final do livro. Mas eu li do mesmo jeito e com o mesmo entusiasmo, por que apesar de ser manjada a história, ela tem o que muitas outras não tem: ação por parte da assombração!

” Havia uma presença naquela casa, alguma coisa profana; uma noção que eu antes desprezara como fantasia tomou conta de mim e me disse que aquela era a verdade.”

 

“Com quem você estava falando?”, perguntei, caminhando em sua direção, segurando-o pelos ombros e levantando a voz.
“Com o velho”, Eustace disse.
“Aqui não tem nenhum velho”, berrei, soltando-o e dando uma volta completa para verificar o quarto antes de olhar para ele outra vez. “Não tem mais ninguém aqui.”
“Agora ele saiu”, disse Eustace, baixinho, afundando sob as cobertas. “Mas ainda está na casa. Diz que não vai embora, por mais que ela queira. Ele não vai para onde deveria ir, não enquanto você ainda estiver aqui.”

 

” Conforme lia, comecei a temer que não conseguisse dormir naquela noite, tamanha minha certeza de que estava cercada pelos espíritos daqueles que deixaram suas formas corpóreas para trás, mas que ainda não tinham feito a passagem pelos portões do céu.”

Desde o primeiro dia que Eliza Caine chega na mansão ela já é atacada pela assombração, isso mesmo, sem rodeios, o fantasma foi lá e agarrou os tornozelos da mocinha enquanto ela dormia. Que simpatia né? E durante a história os ataques vão piorando! É água que ferve do nada, é ventania que só atinge Eliza e a levanta do chão, é mãos em seus pescoço…uma loucura.

Para ajudar  no clima de mistério, a história se passa em Londres durante a era vitoriana, o que me lembra muito as famosas e polêmicas fotos com defuntos e Jack o estripador. E para dar o tchan, temos neblina, muitaaa neblina!

Ah! No livro temos muitas citações do famoso escritor Charles Dickens, são citadas diversas obras e atá um sarau com o próprio!

Bom, vamos a história! No livro conhecemos Eliza Caine, uma jovem de 21 anos que após a morte do pai, se torna orfã e acaba aceitando um emprego como governanta numa cidade do interior de Londres. O que ela não imaginava é que seria a única adulta de toda a mansão e que as últimas quatro governantas morreram de formas brutais. Ela tenta, e como tenta obter informações sobre seus patrões, já que eles não a receberam e até o momento não apareceram, mas todos mudam de assunto e não esclarecem nada. Naquele tempo as pessoas era muito cordias e polidas então acredito que esse foi o motivo de Eliza ter demorado tanto para conseguir informações sobre a mansão. Se fosse hoje era só gritar ou bater que o pessoal já abre o bico hahaha

As crianças que ela cuida são Isabella de 12 anos e Eustace, 8 anos. Até mesmo eles dois não dizem onde estão seus os pais e Isabella é uma criança terrivelmente assustadora, parece até estar possuída.

E bom, durante os 45 dias que Eliza fica na casa como governanta e tentando descobrir o que está acontecendo com a mansão, com os habitantes e as crianças, muito ataque fantasmagórico acontece na vida dela.

“Você não permitiria, não é?”, ela perguntou. “Se tivesse filhos. Não permitiria que outra mulher os criasse.”
“Não”, eu disse. “Seria função minha.”
“Então você entende”, ela respondeu,
“Entendo o quê?”, perguntei, sem a menor ideia do que ela estava querendo dizer.
“Tudo”, Isabella disse, com um suspiro profundo, desviando o rosto e olhando pela janela.

É um livro bacana, recomendo!

Depois me conta o que acharam!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana

Resenha: Freud me tira Dessa!, Laura Conrado

freud me tira dessa

Autora: Laura Conrado        Editora: Novo Século Páginas: 212                    Ano:  2012

Classificação 3.5 ⭐️ 🚍

Á venda l Submarino l Americanas

Sinopse:

“Freud, me tira desta!” narra a história de Catarina, uma jovem que passa a morar sozinha em função do novo emprego. Dona de uma vida amorosa catastrófica e disposta a rever suas escolhas, Cat busca ajuda na psicoterapia. Como se não bastasse o dolorido processo de conhecer a si mesma e de adentrar na relação com seus familiares, Catarina se apaixona pelo terapeuta. No auge de sua angústia, a personagem recorre ao pai da Psicanálise para sair dessa. Por meio das confusões de Cat, é possível não simplesmente rir, mas também se identificar com a profunda trajetória de autoconhecimento e aceitação da própria história.

“O ódio espuma.

A preguiça se derrama.

A gula engorda.

A avareza acumula.

A luxúria se oferece.

O orgulho brilha.

Só a inveja se esconde.”

Zuenir Ventura

 

 ” Protagonizei um barraco digno de programas populares, em que mães abandonadas vão pedir prova de DNA na televisão. Eu não sabia brigar direito, mas tentava.”

Ri muito e me identifiquei em várias situações! Todo mundo tem uma amiga igual a Catarina ou é a própria Catarina rs.

Catarina tem 23 anos, recém formada, está morando sozinha pela primeira vez em BH. Tudo está indo bem, tem um apê bacana, um emprego ótimo, carro, curso de inglês, amigas…Mas a vida amorosa…ahhh a vida amorosa..tá uma b*sta!

Todos os caras com quem Cat se envolve a dispensa pra voltar com a ex ou porque arrumou uma namorada. Como ela mesmo diz: ” Eu sou uma agente catalisador de retomadas. Era como se ficar comigo fosse o necessário para o cara ver que amava mesmo a outra.”

A história da Catarina se encaixa na vida de muitas mulheres, ela se sente rejeitada pela mãe, acha que a irmã mais nova, Amanda, é a preferida, faz drama com tudo, tem a auto-estima bem abalada…assim, é tipo eu, você e geral  por aí né rs

A parte que ela sai no tapa com a irmã me fez rir muito! Explicando: A Amanda aproveitou que a Catarina não morava mais com a família e guardou suas coisas no guarda roupa da irmã. Catarina ficou louca! Achou um abuso! Já não bastava a Amanda estar namorando um rapaz que Catarina foi apaixonada na escola, agora vai roubar o guarda roupa dela também?! Ahhh não! hahahahahahah

Mas a irmã dela foi bem sacana mesmo fazendo outras coisas…coisas de irmã, até a minha já aprontou essa do guarda roupa comigo.

” Por que a minha irmã estava me contando isso na frente dele? Por que não falou comigo sozinha? Devia ser o medo de apanhar, lógico. E eu ia bater! “

Catarina foca só nas coisas ruins, ela não se sente realizada por ter conquistado tanta coisa na vida profissional, é como se sucesso para ela fosse ter um namorado. E ela tem consciência disso! Tanto que ela procura ajuda de um terapeuta para conseguir se aceitar. Pena que ela se apaixona pelo terapeuta. Gente, como mulher é complicada rs.

Confesso que quando isso aconteceu eu fiquei brava. Já não basta levar um monte de fora a pessoa vai lá e se mete nessa de paixão platônica!

 ” Luiz me deu muitos lenços para as lágrimas e para o nariz que parecia colocar para fora o catarro de uma vida inteira.”

 

” Era a primeira vez que dizia aquilo em voz alta. Por mais que me doesse falar, parecia que dividir me aliviava.”

O engraçado, mais uma vez, é que eu conheço muitas mulheres assim, que reclamam todos os dias por não terem um namorado. Que procuram namorado na balada, que engatam relacionamentos sabendo que não vai dar certo. Isso nem Freud resolve.

E um conselho pessoal: quando você para de procurar, aparece. (Aconteceu isso comigo rs)

Recomendo a leitura! É rápida, fácil e divertida. 

  “Mas estar com alguém é isso, Catarina. É deixar a outra pessoa te ver como você é. É estar exposto, correr o risco.”

 Ah e eu li esse livro pelo site Le Livros, aquele que eu comentei esses dias aqui!

E você já leu? Vai ler?

Me conta depois o que achou!

Beijo, outro, tchau!

assinatura ana

Le Livros – A nova sensação do meu momento!

Tô tão feliz!

Me passaram um site de livros para download onde tem vários que são LANÇAMENTOS!

877306

 

 

 

 

Vários títulos que estão nas livrarias na bancada de mais vendidos estão no site a  disposição e gratuitamente para você ler online ou fazer download, fica a gosto do freguês!

E não é só isso!

Tem uma página para fazer cursos online grátis, que passam por administração, viagens e vai até sexualidade. Tem um que explica sobre como escrever textos em blog, vou fazer ele daqui a pouco hahahahahahah

Visita lá gente, eu adorei de verdade e já estou escolhendo um!

http://lelivros.club/

 Alguns títulos disponíveis:

Trilogia A Seleção

Se eu Ficar

Os Instrumentos Mortais

Harry Potter

Todos do Nicholas Sparks

E chega de escrever e vai lá conferir, depois me conta qual você escolheu!

Beijo, outro, tchau!

assinatura ana