Resenha: Anexos, Raibow Rowell

anexos

Autor: Rainbow Rowell – Editora: Novo Século Páginas: 368 – Ano: 2014

Classificação 4/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino lAmericanas

Sinopse:

Beth Fremont e Jennifer Scribner-Snyder sabem que alguém está monitorando seus e-mails de trabalho. (Todo mundo na redação sabe. É política da empresa.) Mas elas não conseguem levar isso tão a sério, e continuam trocando e-mails intermináveis e infinitamente hilariantes, discutindo cada aspecto de suas vidas.
Enquanto isso, Lincoln O’Neill não consegue acreditar que este é agora o seu trabalho ler os e-mails de outras pessoas. Quando ele se candidatou para ser agente de segurança da internet, se imaginou construindo firewalls e desmascarando hackers e não escrevendo um relatório toda vez que uma mensagem esportiva vinha acompanhada de uma piada suja. Quando Lincoln se depara com as mensagens de Beth e Jennifer, ele sabe que deveria denunciá-las. Mas ele não consegue deixar de se divertir e se cativar por suas histórias. No momento em que Lincoln percebe que está se apaixonando por Beth, é tarde demais para se apresentar. Afinal, o que ele diria…?

Antes da resenha quero agradecer a Luiza aqui do blog, que me presenteou com esse livro! Muito obrigada! Foi uns dos melhores presentes de aniversário!

” Eu não quero amar tanto alguém a ponto dessa pessoa ocupar toda a minha cabeça, todo meu espaço. Se eu soubesse que ia me sentir desse jeito a seu respeito, teria ido embora muito tempo atrás, enquanto ainda podia.”

Gente a resenha vai ser longa heim…porque eu gostei do livro e quero falar dele hahaha

Esse é o primeiro livro da Rainbow Rowell ( adoro esse nome), a mesma autora do livro Eleanor & Park. E para quem gostou de um vai gostar do outro com certeza. A escrita  permance a mesma: leve e divertida! Deus, como eu dou risada com essa mulher, seja minha amiga Rainbow!

Ao contrário de Eleanor e Park, nesse livro temos personagens adultos, beirando os trinta anos e a maior parte da história se passa no jornal onde eles trabalham. Beth e Jennifer são amigas e trabalham na redação do jornal, mas como ficam em áreas diferentes, boa parte da comunicação é feita por e-mails. Elas sabem que a empresa monitora os e-mails e que palavras chaves “ativam o sistema” de monitoramento, mas mesmo assim elas continuam tendo conversas super divertidas ou não, sobre relacionamentos e eles sempre caem na pasta para serem verificados.

” – Você não vai dizer a sua mãe que está grávida? Ela pode notar quando sua barriga começar a crescer.
– Ela vai me dizer que estou gorda.”

E quem verifica? Lincon, uma cara lindo e alto de vinte e oito anos. O trabalho dele consiste em verificar se estão passando informações da empresa para terceiros, alertar a supervisão sobre contéudos impróprios…essas coisas que a gente sabe que não pode fazer rs. Esse é o trabalho dele e mesmo assim ele se sente invadindo a intimidade das pessoas. Vai entender né.

Não gostei dele não.

Uma amiga disse que eu não gostei porque eu sou estúpida e grossa. Pode ser né. O Lincon tem quase trinta anos e mora com a mãe. Ele ainda sofre por um relacionamento da época da escola e não é nada sociável. Ele deve ter pontos positivos, mas como eu não gostei dele só vi os negativos mesmo hahahah.

” Se era assim que ele agia perto de uma garota pela qual não se sentia atraído, como agiria se algum dia precisassa consertar o computador da Beth? Podia até vomitar nela.

A Beth e a Jennifer são mulheres que gostaria de ter como amigas. Super engraçadas, com tiradas ótimas, gentem como a gentem. A Beth namora o  desde a faculdade e está a espera do pedido de casamento. O namorado dela é um ser que deveria ser estudado, nem dá pra explicar, é sério. A Jennifer é casada com o Sr. Perfeito. É sério, eu queria casar com ele também. Até a Beth fala que se a Jennifer morrer primeiro, ela vai se casar com ele. Eles estão passando por uma fase que ele quer ser pai mas ela não tem certeza se quer ser mãe e várias coisas acontecem.

” – Eu nunca sequer estive na Califórnia.
–  Está tudo bem, é um lugar seguro.
–  Eu não sei qual aparência tem o lugar. Não consigo visualizar você ai. Eu tento enviar energia positiva, mas não sei em que direção enviá-la”.

E todos esses acontecimentos da vida são discutidos por e-mail. E o Lincon lá lendo tudo, anexos desenhoacompanhando igual novela rs…Até que ele percebe que se apaixonou pela Beth mesmo nunca tendo visto ela. E bom…agora é com vocês. Qualquer coisa dita a partir daqui pode comprometer a história.

É um livro super fofo ( não tão fofo quanto Eleanor e Park rs), eu recomendo a leitura para quem curte romance e histórias leves. Ela fluiu tão bem comigo que terminei em quatro dias. 

E um agradecimento a mãe do Lincon que parece ser inspirada no filme ” Minha mãe é uma peça”, nesse trecho que selecionei, a Beth comentou com a Jennifer que o Lincon parecia o Tom Cruise.

” – Mãe, você acha o Tom Cruise atraente?
– Querido você acha o Tom Cruise atraente?
– Mãe! Não! Porque você está perguntando isso? Jesus.
– Porque você está perguntando isso?
– Eu perguntei se você achava o Tom Cruise atraente. Não perguntei se achava que eu era gay. Você acha que eu sou gay?
– Eu não disse isso. Eu só estava tentado ajudar.
– Ajudar em que?
– Em você me contar, caso fosse.
– Mãe você está falando sério?
– Ora Lincon, convenhamos que se você fosse, isso explicaria muita coisa.”

Tô aqui esperando os comentários de vocês!

Até a próxima.

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

Anúncios

Resenha: O Presente do Meu Grande Amor

o presente do meu grande amor

Autor:  Vários/ Organizado por Stephanie Perkins           Editora: Intrínseca     Páginas:  320                    Ano:  2014

Classificação 5 ⭐️ 🚍

Á venda l Submarino l Americanas

Sinopse:

Se você gosta do clima de fim de ano e tudo o que ele envolve — presentes, árvores enfeitadas, luzes pisca-pisca, beijo à meia-noite —, vai se apaixonar por O’ presente do meu grande amor’. Nas doze histórias escritas por alguns dos mais populares autores da atualidade, há um pouco de tudo, não importa que você comemore o Natal, o ano-novo, o Chanucá ou o solstício de inverno.

 

Ai que livro mais fofo do mundo inteiro! Ai que vontade de morder e apertar até ficar roxinho!

livro 2

Eu ficava olhando pra capa, tentando descobrir quem era quem rs

Eu amei! ❤ Realmente foi um presente!

Li achando que ia encontrar histórias melosas, carregadas no apelo emocional e quem me conhece sabe que eu não sou dada a sentimentalismo, e por esse motivo me preocupei. Massss ainda bem que me enganei e que resolvi ler!

Eu pensei em dizer qual era a melhor história mas não é possível. Depois pensei em escolher as três melhores,  mas também não deu. É impossível mesmo. Todas as histórias são ótimas! Todas despertam ótimos sentimentos e você termina o livro achando que tudo é lindo! 😀 Se sente mais leve, sorri a toa e recomenda a leitura para os amigos!

O livro é composto por 12 histórias que se passam na época do natal e todas envolvem casais. Há reencontros, primeiros beijos, casais se formando…tem histórias com duendes, pessoas reais, fantasmas…tem católicos, judeus, ateus…Para todos os gostos! Cada história tem em média 29 páginas, então acaba se tornando uma leitura bem leve, rápida e fácil.

A história que mais ri foi do David Levithan. Nunca tinha lido nada dele e adorei sua forma divertida e inteligente de escrever.

A Rainbow Rowell é mestre em me fazer dizer ” ownnnn”. Foi uma das que eu mais gostei.

A história da Stephanie Perkins foi tão real, tão apaixonante que eu li mais de uma vez!

A Holly Black é um pouco estranha. A verdade é que eu não sei se as histórias são muito bizarras ou se a culpa é da tradução.

Não vou fazer uma resenha de cada conto, massss trouxe um frase de cada um deles para vocês!

“- Não vou a lugar algum,  Noel.
– Vai sim – disse ele, apertando-a contra si. – E não tem problema. Só. .. preciso que me leve junto. “

 

” – Você só vem quando neva – comenta ela.
– Eu só tenho permissão para vir quando neva – diz ele. – E apenas na noite de Natal. “

 

” – O que estamos fazendo? – sussurrou ela em meu ouvido.
– Não faço a menor ideia – respondi, e então voltamos a nos beijar. “

 

” Sei dizer Feliz Natal em qualquer idioma. Os duendes sabem falar qualquer idioma,  mas eu sou apenas humana.”

 

” Mas esse garoto das Árvores de Natal tinha algo que os outros não tinham. Algo de que ela precisava e só ele podia oferecer. “

 

” Estou com medo de estar apaixonado,  porque isso envolve exigir tanta coisa. Estou com medo da minha vida nunca se encaixar na dele. De que ele nunca me conheça. De ouvirmos as histórias,  mas nunca a verdade completa. “

 

” – Você está incrível – falei para ele,  porque estava mesmo.
Se todos os Krampus fossem como ele, a maldade reinaria”

 

” Jogamos várias rodadas de ‘ Eu Nunca’ e, quando alguém disse ‘ eu nunca quis ficar com ninguém dessa festa’, várias pessoas tiveram que tomar um shot”

 

” O beijo era o que importava. Não apenas o beijo, mas o que o beijo significava. O que ele revelava. O que a noite revelava. O que os dois haviam revelado”

 

” A imagem de Grace de biquíni logo veio a mente, seguida do pastor Robinson de sunga. Sacudi a cabeça em um reflexo para afasta-la do cérebro. “

 

” O sorriso de Ben é como açúcar polvilhado em cima de um biscoito. “

 

” Então ele me beijou. Depois me abraçou forte e eu olhei as estrelas no céu de Bethlenhem, certa de que tinha voltado pra casa. “

 

” Alguém lhe dera aquele presente. Alguém estava ali. Ela o sentia. ‘ Eu vou libertá-la e exaltá-la’. Essas foram as palavras dele em seu sonho. Ele já a libertara.”

separador-lápiz-3

Isso é tudo pessoal! Espero que tenham gostado 🙂

Opaaa não acabou não! Tem presente para vocês! Os dois primeiros leitores que comentarem aqui vão ganhar esses displays fofos com o tema do livro! 

PicsArt_1423162118193

Beijo,  outro,  tchau!


assinatura nova ana marys 

Resenha: Eleanor e Park, Rainbow Rowell

eleanor e park

Autora: Rainbow Rowell        Editora: Novo Século Páginas: 328                              Ano:2014

Classificação 5 ⭐️ 🚍

Á venda l Submarino l Americanas

Sinopse:

Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e “grande” (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família. Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo.

 “A gente acha que abraçar uma pessoa com força vai trazê-la mais para perto. Pensamos que, se a abraçarmos com muita força, vamos senti-la, incorporada em nós, quando estivermos longe. Toda vez que Eleanor ficava longe de Park, sentia sua perda.” Eleanor.

tumblr_n6e7hcCNeM1t9hr18o4_r2_250

A história começa dentro do ônibus escolar…ônibus, blog, ônibus, tendeu? tendeu? rs

 Esse livro veio e me deixou de um jeito que não consigo explicar em palavras. A dor que eu senti no fim do livro, foi pior do que a leitura de Como eu era antes de você.

Mas ele também me fez sorrir e  lembrar da época de escola, quando tinha minhas paixonites. Durante a leitura me peguei sorrindo várias vezes, me peguei fazendo “ownnn”, me peguei falando alto..peço desculpas as pessoas no ônibus que me viram fazer isso 😉

A história se passa em 1986 o melhor ano de todos rs, e tem muitas referências da época, como os cabelos, fita cassetes, bandas…durante a leitura eu parava para pesquisar de quem eles estavam falando rs..

O livro começa com Eleanor entrando no ônibus escolar para o primeiro dia de aula. A primeira reação de Park ao vê-la é pensar porque ela se veste daquele jeito, tão ridicula. Ele acaba deixando ela sentar do lado dele por pena e já começa a ficar preocupado com sua reputação. Park  não interage muito com o pessoal no ônibus, porque ele não gosta do assuntos que rolam lá (ele não faz o tipo popular, mas tem muitos amigos). Eleanor não tem amigos na escola nova e sofre bulling todos os dias.   

tumblr_mlkxtux73h1s9nwv7o2_250 Todo dia no ônibus, Park percebe que Eleanor muito discretamente lê o gibi com ele, então começa a virar as páginas mais devagar para que ela possa acompanhar a leitura. Nos dias seguintes ele entrega gibis para ela ler em casa. O mais engraçado é que eles não conversam e ficam assim por dias…

Um dia Park puxa assunto e eles trocam pouquíssimas palavras, eles são tímidos mas gostam da presença um do outro. Em uma dessas conversas, olha que fofura, Park fala de algumas bandas e Eleanor conta que nunca ouviu. No dia seguinte ele grava uma fita, mas ela não aceita porque não tem onde ouvir, ele por sua vez empresta seu walkman , ela não aceita porque vai gastar pilhas, então ele pega todas as pilhas dos carrinhos e controles remotos e entrega a ela.

Tudo acontece tão naturalmente que não sei onde foi que o romance começou. É uma história envolvente e linda, do começo ao fim!

Eleanor tem um humor sarcástico, isso eu gostei nela. É também muito resistente ao relacionamento deles, talvez porque a vida pessoal dela seja muito complicada. O padrasto a expulsou de casa e ela ficou um ano morando na casa de uns amigos da mãe. A mãe é uma coitada, o pai pouco se importa com os filhos e sequer paga a pensão. Ter 16 anos e passar por tudo isso não é fácil.

Agora o Park…ahh o Park, pela primeira vez eu me apaixonei por um personagem. Ele entra de cabeça nesse amor por Eleanor, faz muitas declarações, está sempre presente, se preocupa e atédownload  dá uma voadora em quem mexer com ela! É um príncipe né.

Park disse tantas coisas bonitas para Eleanor que eu imagino o esforço que ela fez para não se entregar 100%. Ela mostrou gostar dele em vários momentos dizendo coisas lindas, mas é nítido que Park a amava mais. O esforço dele para mantê-la por perto, as perguntas que ele fazia tentando conhecê-la melhor e ela só escorregando, com medo que ele desistisse dela, com medo dele achá-la estranha. Que bobona.

Nossa que difícil escrever sobre eles.

Difícil também é me conter e não falar nada que comprometa sua leitura.

E o final, bom, ele vai destruir seu coração, vai deixar ele em pedacinhos. E você vai terminar querendo mais.

E também vai terminar a leitura querendo esmurrar Eleanor e a escritora. Não se faz isso com os leitores, coisa feia.

” Teve vontade de dar filhos a ele, além dos próprios rins” Eleanor

Eu me dei conta que eles estavam mesmo apaixonados quando Park pegou na mão de Eleanor, essa parte foi a melhor sem sombra de dúvida. E ao lembrar meus olhos ficam cheios de lágrimas.

“Quando tocou a mão de Eleanor, ele a reconheceu. Ele soube.” Park
tumblr_n6e7hcCNeM1t9hr18o3_r1_250

 

” Segurar a mão de Eleanor era como segurar uma borboleta. Ou um coração a bater. Como segurar algo completo e completamente vivo.” Park

 

images

 

 E tenho duas notícias boas! Ouvi boatos  que terá continuação e a  que vai virar filme! Meu coração não vai aguentar.

 Vou chorar no começo já.

❤ ❤ ❤ ❤

E essas ilustrações deles? Não tô resistindo em não compartilhar.

 

 “Mesmo estilhaçada em milhões de pedaços, Eleanor ainda sentia o toque de Park em sua mão. Sentia o dedão dele explorando-lhe a palma.” Eleanor.

 

” Não gosto de você. Preciso de você” Park

 

” Ele estava com o rosto muito perto do dela. Dava para beija-lo, ou dar-lhe uma cabeçada antes mesmo que ele tivesse a chance de se afastar” Eleanor

 

” Sinto sua falta Eleanor. Quero ficar com você o tempo todo” Park

 

“Se ela tinha saudade? Queria perder-se dentro dele. Amarrar os braços dele em volta dela feito um torniquete” Eleanor.

eleanor_and_park_by_candy8496-d7cxzkl

  “Porque não importa pra mim, Park. Se você gostar de mim, eu juro por Deus, nada mais importa.” Eleanor
  “Eu te amo. E nem posso me imaginar não amando mais” Park

 

” Sempre que alguém na família dela brigava, a mãe começava a gritar: Na cabeça não, na cabeça não!” Eleanor

 

” Na próxima vez vou dizer somente: Eleanor, acompanha-me para dentro desse beco escuro, porque eu quero te dar um beijo” Park

 

 ” Eu…só não queria me despedir de você, Eleanor. Nunca mais” Park.

Ah tá parei ❤

E você já leu? Vai ler?

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana

 

 

 

 

 

Update!

Meu Alzheimer atacou aqui rs

Ganhei esse livro da Natália, a parceira do blog. A dedicatória foi tão fofa e me fez rir vários momentos!

Natália, quando quiser me dar mais livros de presente, fica a vontade!rs

20140829_064001