Resenha: Com o amor não se brinca, Mônica de Castro

COM_O_AMOR_NAO_SE_BRINCA_1365088261B

Autor: Mônica de Castro, ditado por Leonel   Editora: Vida e Consciência – Páginas: 359 –         Ano: 2002

Classificação 3/5 ⭐️ 🚍

Á venda l Submarino l Americanas

Sinopse:

Há quem diga que o amor é a base de tudo, porém eles se esquecem que: há os que se anulam em nome do amor e acabam abandonados. Há os que investem tudo acreditando que serão correspondidos e vivem reclamando do egoísmo alheio. Há os que sonham com um amor perfeito, pretendem encaixar o ser amado neste modelo e acabam descobrindo que cada um é como é e não temos poder para mudar ninguém. Há os que confundem paixão com amor. Não percebem que paixão é admirar no outro o que recalca em si; quando a ilusão projetiva desaparece percebemos o ridículo dos nossos atos apaixonados. Há os que confundem apego com amor. São egoístas que esperam do outro exatamente o que não se dão.

O amor verdadeiro nunca faz sofrer. Traz alegria, motivação e prazer, agindo sempre com seu poder de harmonizar as relações humanas. Quando ser feliz passa a ser um objetivo sério, logo percebemos que ´Com o Amor não se Brinca´.

” Deus não possui religião minha filha. A religião universal, aquela que liga os homens a Deus, é a que vem do coração. O amor, o respeito e a compreensão são as verdadeiras religiões que nos aproximam do Criador.”

E inaugurando a sessão espirita do blog, trago o livro da Mônica de Castro, uma grande referência na área que atua. Uns anos atrás eu li um livro da Zíbia Gasparotto e depois nunca mais tive a oportunidade de ler qualquer outro.

Eu não tenho religião mas acredito em Deus e não foi nenhum problema ler um livro espirita. Então se você tem outras crenças leia a resenha com a mente aberta.

A história se passa no Brasil, acredito que por volta de 1800 pois os negros ainda eram escravos. E temos três personagens principais: Os irmãos gêmeos Fausto e Rodolfo e Júlia, cunhada da irmã dos gêmeos. Desde a infância Rodolfo sente inveja e ciúmes do irmão e isso foi para a vida adulta. Em muitos momentos Rodolfo fala sobre a inveja que sente mas não sabe o porquê, só que precisa destruir o irmão.

Rodolfo é uma péssima pessoa com atitudes enojantes. Fausto é um homem de caráter, não é perfeito, mas é um ser humano muito bom. E temos Palmira, a mãe dos meninos. Pensa numa mulherzinha ruim. Trata os escravos e qualquer outra pessoa não católica com extrema maldade. Quando o marido dela falece, a família toda se reúne da fazenda para o funeral. É quando os irmãos conhecem Júlia. De imediato rola uma atração entre ela e Fausto e quando Rodolfo descobre isso, de imediato prepara um plano para seduzir Júlia.

” O fato era que tinha que possuir tudo o que Fausto quisesse ou possuísse. Era uma necessidade. E se Fausto desejava Júlia, Rodolfo decidiu que teria que que tê-la.”

Outros personagens surgem e ora se envolvem na trama ora tem suas próprias histórias. Acredito que as duas que merecem destaque é Marta e Camila. Marta é filha do capataz. A garota volta a fazenda depois de se formar no escola do convento e conversando com Júlia revela que tem dons, que consegue se comunicar com espíritos. Esse dom é extremamente importante para ajudar Sara, uma personagem judia, que sofre de tuberculose.

” – Bem, ele disse que havia dois espíritos do meu lado.
  – Espíritos? Mas que espíritos?
  – Isso ele não soube me dizer. Apenas disse que eram espíritos que, percebendo minha sensibilidade, aproximaram-se de mim para se comunicar.”

A outra personagem que citei, Camila, é irmã dos gêmeos. Ela é uma personagem muito forte e com muita experiência de vida. Camila se entregou antes do casamento ( lembrem que a história se passa em 1800) e depois do ato o rapaz fugiu. Para não desonrar a família ela é obrigada a se casar com outro rapaz. Decidida a não se casar por conveniências ela decide se tornar freira. O destino então coloca no caminho dela Leopoldo, um homem que não se importa dela não ser virgem e a toma para casamento. Leopoldo e Camila são contra a escravidão e tratam todos com muito respeito, o que é raro dado a época em que vivem.

No fim do livro descobrimos que todos tiveram vidas passadas e nos explica a ligação de todos esses personagens e o motivo de seus sentimentos.
 

” Educação religiosa é uma coisa. Fé sincera é outra bem diferente. O que quero saber é se realmente acredita em Deus como uma força superior a guiar e orientar nossos destinos.”

Falando agora como crítica literária: o livro tem uma linguagem muito simples e poderia ter menos páginas, já que muitas situações e palavras repetem. A primeira impressão que tive foi que parecia novela mexicana: sofrem ao extremo, amam ao extremo e fazem muitas maldades. Mas a mensagem do livro é muito bonita e me pôs a pensar quando terminei.

E durante a resenha descobri que esse livro é o segundo de uma trilogia rs…mas olha, não atrapalhou a leitura, acredito que possam ser lidos sem ordem.

1 – Sentindo na Própria Pele
2 – Com o Amor Não se Brinca
3 – Lembranças que o vento traz.
 

Me contem a opinião de vocês!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

Anúncios

Conte o que você achou!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s